Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
INSEGURO
FUTURO PRESIDENTE DIZ QUE AINDA NÃO SABE DETALHES DA AGESPISA

VEREADOR, QUE É BASTANTE PRÓXIMO AO DEPUTADO ASSIS CARVALHO, DEMONSTROU APREENSÃO AO SER QUESTIONADO PELO POLÍTICA DINÂMICA

05/12/2017 14:39 - Atualizado em 05/12/2017 14:58

Vereador demonstrou insegurança (Foto: Marcos Melo/PoliticaDinamica.com)

O futuro presidente da Agespisa, o vereador de Piripiri Genival Sales (PT), falou nesta terça-feira (5) com a reportagem do Política Dinâmica. Demonstrando insegurança e apreensão diante das perguntas, ele chegou a dizer que "não deu entrada nos detalhes e no funcionamento da empresa" ao ser questionado sobre um provável plano de subconcessão dos serviços de abastecimento e saneamento em 56 municípios do Piauí.

Um dos maiores argumentos do governo para justificar a escolha de Genival é o fato dele ter 31 anos como servidor da empresa. Apesar disso, Genival diz que somente após passar pela sabatina na Assembleia é que vai se inteirar de todas as problemáticas da empresa e dos projetos que tramitam nela. Ele confirmou a estreita ligação com o deputado federal Assis Carvalho (PT) e disse que vota nele desde quando o petista ainda era deputado estadual.

Questionado sobre o que considera ter sido o grande problema que levou o governo estadual a ter que fazer uma subconcessão dos serviços da empresa na capital, já que possui mais de três décadas de experiência na instituição, Genival respondeu usando como exemplo o problema de captação de água no interior do estado, algo que não existe em Teresina.

Futuro presidente é ligado à Assis Carvalho (Foto: Marcos Melo/PoliticaDinamica.com)

"Nosso maior problema hoje é captação. É água. Por exemplo, em Pedro II o açude secou e ao longo do tempo a gente não previa esse colapso de cinco ou seis anos de seca onde acarretou no problema em todo o Estado. As dificuldades hoje são com o produto, com a captação de água e com isso nós vamos buscar alternativas através de poços para que possamos amenizar, principalmente na cidade de Pedro II", falou.

Indagado sobre o fato de em Teresina não existir problema de captação de água, ele mudou a resposta, chegou a dizer que o motivo da subconcessão foi a crise financeira que afetou o país e concluiu que isso acarretou na necessidade da subsconcessão, pois a empresa precisava de investimentos para sobreviver. Na mesma tentativa de melhorar a primeira resposta, disse que as parcerias público-privadas têm dado certo e precisam continuar.

"Nós entendemos que as PPs [se referindo às PPPs] são muito viáveis para o sistema público. É uma experiência que está dando certo e hoje a capital, o seu sistema de abastecimento de água, quem tem conhecimento, sabe que é uma parceria que está dando certo. Após chegar na presidência nós vamos analisar toda a problemática para que dentro da conjuntura a gente possa estar melhorando ou ampliando os nossos sistemas", falou.

Comentários (0)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
Notícias relacionadas
FARPAS
JOÃO DE DEUS ATACA A OPOSIÇÃO
JOÃO DE DEUS ATACA A OPOSIÇÃO
EMPRÉSTIMO
GOVERNO ESTUDA ALTERAR LISTA DE OBRAS
GOVERNO ESTUDA ALTERAR LISTA DE OBRAS
POSICIONAMENTO
AEGEA TENTA EXPLICAR PEDIDO DE REAJUSTE
AEGEA TENTA EXPLICAR PEDIDO DE REAJUSTE
ELEIÇÕES 2018
THEMÍSTOCLES COMENTA ENCONTRO COM DR. PESSOA
THEMÍSTOCLES COMENTA ENCONTRO COM DR. PESSOA