Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
BOMBAS NA EMISSORA DE RÁDIO

EM 1994, EMISSORA DE RÁDIO SOFREU ATENTADO À BOMBA NO PIAUÍ. NA ÉPOCA, PREFEITO E CAPITÃO DA POLÍCIA FORAM APONTADOS COMO SUSPEITOS

08/10/2019 19:54 - Atualizado em 08/10/2019 20:10

Matéria no jornal O Dia em 7 de julho de 1994 (Foto: Gustavo Almeida/PoliticaDinamica)

Era madrugada do dia 15 de junho de 1994 quando os transmissores da Rádio Serra da Capivara, de São Raimundo Nonato, foram alvos de um atentado a bomba. O fato foi manchete nos jornais de Teresina. Na época, conforme noticiou o jornal O Dia, os principais suspeitos de mandar destruir a emissora foram o então prefeito da cidade Gaspar Ferreira (PFL) e o então capitão da Polícia Militar José Araújo de Sousa.

Em 7 de julho de 1994, o jornal O Dia noticiava o andamento das investigações sobre o atentado à emissora. A rádio Serra da Capivara até hoje é um dos mais tradicionais veículos de comunicação do Sul do Piauí, alcançando dezenas de municípios da região. O inquérito do atentado foi aberto pelo 3º Batalhão da Polícia Militar, com sede em Floriano.

Na época, o coronel José Clodomar de Saboia foi designado pelo então secretário de Segurança Pública José Regino Pires de Melo para comandar as investigações. Ele ouviu o prefeito Gaspar, o capitão José Araújo e mais cinco pessoas, conforme matéria do jornal O Dia. Gaspar e o capitão negaram terem sido responsáveis pelo atentado a bomba na rádio.

Ainda conforme a publicação do O Dia, o diretor da emissora, Regis Nogueira, afirmou em seu depoimento que os principais suspeitos eram, de fato, Gaspar Ferreira e o capitão da polícia. A acusação alegou que os dois vinham sendo alvos de críticas na programação da emissora e por isso teriam mandado explodir as bombas nos transmissores.

Tudo aconteceu por volta das 3h da madrugada. Duas bombas de fabricação caseira foram usadas no atentado, mas apenas uma explodiu. A outra foi levada para Teresina, onde foi periciada no Departamento de Polícia Técnica e Científica da Secretaria de Segurança.

CASO NUNCA TEVE DESFECHO

Passados 25 anos, o episódio nunca foi desvendado. Enquanto viveu, Gaspar Ferreira sempre negou as suspeitas levantadas. Além disso, fez amizade com o próprio diretor da rádio.

Avelar Ferreira, filho de Gaspar e ex-prefeito de São Raimundo Nonato por três mandatos, afirmou ao Política Dinâmica que seu pai sempre pregou a paz e respeitou a livre atuação da imprensa. Ele, inclusive, nega a existência do inquérito noticiado por O Dia em junho de 1994.

"Meu pai foi um homem que sempre pregou a paz, sempre foi do diálogo e sempre respeitou uma imprensa livre. Ele nunca foi suspeito disso e muito menos teve inquérito com seu nome. Nós temos nossa consciência tranquila. Hoje, Dr. Regis Nogueira e a família Ferreira tem amizade e muito respeito", conta, 25 anos depois, o filho de Gaspar.

GRANDE LÍDER REGIONAL

Gaspar Ferreira foi um dos mais importantes líderes políticos da região Sul do Piauí, tendo sido vereador e depois prefeito de São Raimundo Nonato três vezes. Falecido em 2015, ele também é pai dos ex-deputados estaduais Ferreira Neto e Edson Ferreira. 

Com rara habilidade política e grande poder de persuasão, Gaspar também foi secretário de Agricultura do Estado no segundo governo de Hugo Napoleão, de quem era grande amigo. Para muitos, ele é considerado o maior líder político que São Raimundo Nonato já teve.

Comentários (0)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
Notícias relacionadas
GOVERNO DO PIAUÍ VAI APURAR CALOTE QUE ELE MESMO DEU
GOVERNO DO PIAUÍ VAI APURAR CALOTE QUE ELE MESMO DEU
GAECO: ALENTO CONTRA A CORRUPÇÃO NO PIAUÍ
GAECO: ALENTO CONTRA A CORRUPÇÃO NO PIAUÍ
PROJETO DE FLÁVIO NOGUEIRA CHAMA ATENÇÃO DA INDÚSTRIA QUÍMICA
PROJETO DE FLÁVIO NOGUEIRA CHAMA ATENÇÃO DA INDÚSTRIA QUÍMICA
PARA THEMÍSTOCLES, FOI TUDO NORMAL
PARA THEMÍSTOCLES, FOI TUDO NORMAL