Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
BOMBAS NA EMISSORA DE RÁDIO

EM 1994, EMISSORA DE RÁDIO SOFREU ATENTADO À BOMBA NO PIAUÍ. NA ÉPOCA, PREFEITO E CAPITÃO DA POLÍCIA FORAM APONTADOS COMO SUSPEITOS

08/10/2019 19:54 - Atualizado em 08/10/2019 20:10

Matéria no jornal O Dia em 7 de julho de 1994 (Foto: Gustavo Almeida/PoliticaDinamica)

Era madrugada do dia 15 de junho de 1994 quando os transmissores da Rádio Serra da Capivara, de São Raimundo Nonato, foram alvos de um atentado a bomba. O fato foi manchete nos jornais de Teresina. Na época, conforme noticiou o jornal O Dia, os principais suspeitos de mandar destruir a emissora foram o então prefeito da cidade Gaspar Ferreira (PFL) e o então capitão da Polícia Militar José Araújo de Sousa.

Em 7 de julho de 1994, o jornal O Dia noticiava o andamento das investigações sobre o atentado à emissora. A rádio Serra da Capivara até hoje é um dos mais tradicionais veículos de comunicação do Sul do Piauí, alcançando dezenas de municípios da região. O inquérito do atentado foi aberto pelo 3º Batalhão da Polícia Militar, com sede em Floriano.

Na época, o coronel José Clodomar de Saboia foi designado pelo então secretário de Segurança Pública José Regino Pires de Melo para comandar as investigações. Ele ouviu o prefeito Gaspar, o capitão José Araújo e mais cinco pessoas, conforme matéria do jornal O Dia. Gaspar e o capitão negaram terem sido responsáveis pelo atentado a bomba na rádio.

Ainda conforme a publicação do O Dia, o diretor da emissora, Regis Nogueira, afirmou em seu depoimento que os principais suspeitos eram, de fato, Gaspar Ferreira e o capitão da polícia. A acusação alegou que os dois vinham sendo alvos de críticas na programação da emissora e por isso teriam mandado explodir as bombas nos transmissores.

Tudo aconteceu por volta das 3h da madrugada. Duas bombas de fabricação caseira foram usadas no atentado, mas apenas uma explodiu. A outra foi levada para Teresina, onde foi periciada no Departamento de Polícia Técnica e Científica da Secretaria de Segurança.

CASO NUNCA TEVE DESFECHO

Passados 25 anos, o episódio nunca foi desvendado. Enquanto viveu, Gaspar Ferreira sempre negou as suspeitas levantadas. Além disso, fez amizade com o próprio diretor da rádio.

Avelar Ferreira, filho de Gaspar e ex-prefeito de São Raimundo Nonato por três mandatos, afirmou ao Política Dinâmica que seu pai sempre pregou a paz e respeitou a livre atuação da imprensa. Ele, inclusive, nega a existência do inquérito noticiado por O Dia em junho de 1994.

"Meu pai foi um homem que sempre pregou a paz, sempre foi do diálogo e sempre respeitou uma imprensa livre. Ele nunca foi suspeito disso e muito menos teve inquérito com seu nome. Nós temos nossa consciência tranquila. Hoje, Dr. Regis Nogueira e a família Ferreira tem amizade e muito respeito", conta, 25 anos depois, o filho de Gaspar.

GRANDE LÍDER REGIONAL

Gaspar Ferreira foi um dos mais importantes líderes políticos da região Sul do Piauí, tendo sido vereador e depois prefeito de São Raimundo Nonato três vezes. Falecido em 2015, ele também é pai dos ex-deputados estaduais Ferreira Neto e Edson Ferreira. 

Com rara habilidade política e grande poder de persuasão, Gaspar também foi secretário de Agricultura do Estado no segundo governo de Hugo Napoleão, de quem era grande amigo. Para muitos, ele é considerado o maior líder político que São Raimundo Nonato já teve.

Comentários (0)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
Notícias relacionadas
BIVAR NEGOCIA FUSÃO DO PSL COM O PP; CIRO NEGA
BIVAR NEGOCIA FUSÃO DO PSL COM O PP; CIRO NEGA
ELMANO DEFENDE PRISÃO NA 2ª INSTÂNCIA
ELMANO DEFENDE PRISÃO NA 2ª INSTÂNCIA
DNIT VAI REPASSAR R$ 26 MILHÕES PARA O ESTADO
DNIT VAI REPASSAR R$ 26 MILHÕES PARA O ESTADO
FIRMINO ADMITE SAID ENTRE “CANDIDATÁVEIS”
FIRMINO ADMITE SAID ENTRE “CANDIDATÁVEIS”