Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
ASSIS VÊ “COINCIDÊNCIA” EM OPERAÇÃO NO RIO

PETISTA REPERCUTE SUSPEITA DE QUE DEPUTADA BOLSONARISTA SABIA DA OPERAÇÃO E ESTRANHA FATO DO RIO DE JANEIRO SER PRIMEIRO ALVO

26/05/2020 12:34 - Atualizado em 26/05/2020 13:02

Assis Carvalho estranha a operação no Rio (Foto: Gustavo Almeida/PoliticaDinamica.com)

O deputado federal Assis Carvalho (PT) usou o Twitter nesta terça-feira (26) para repercutir informação sobre a operação da Polícia Federal que teve como alvo o governador do Rio, Wilson Witzel (PSC). Na postagem, Assis também levanta a suspeita de que a deputada bolsonarista Carla Zambelli (PSL-SP) teria tido informações privilegiadas sobre a operação.

Para o deputado petista, é muita coincidência que a PF tenha começado agir justamente no Rio de Janeiro, onde o presidente Jair Bolsonaro foi acusado de querer interferir na PF. 

"Mais coincidência: começou pelo Rio, justo onde o presidente foi acusado de querer interferir e onde ele mudou o superintendente", escreveu Assis.

Postagem feita pelo deputado Assis no Twitter (Foto: Reprodução/Twitter)

A Polícia Federal amanheceu nesta terça na residência oficial do governador do Rio. Os agentes também estiveram em outros endereços ligados ao governador, um dos principais desafetos do presidente Jair Bolsonaro. Witzel é suspeito de participação em esquema de desvios de dinheiro da saúde para o coronavírus no Rio de Janeiro.

Na segunda-feira (25), a deputada Carla Zambelli disse em entrevista a uma rádio que a PF faria operações contra governadores. A declaração levantou suspeitas de que ela sabia da ação da PF contra o governador Wilson Witzel. A deputada nega que tenha tido informação privilegiada.

ANTERIOR

CONSELHEIRO LUCIANO NUNES TESTA POSITIVO PARA COVID-19

PRÓXIMA

NOVO PRESIDENTE DO PT VAI SER UM DEPUTADO ESTADUAL