WELLINGTON DECRETA “LOCKDOWN” E PESSOA CONCORDA

COM ALTA DE CASOS E MORTES, GOVERNO RETOMA MEDIDAS RESTRITIVAS E DOUTOR PESSOA RECUA EM DISCURSO DE CAMPANHA

Marcos Melo Marcos Melo
22/02/2021 12:00 - Atualizado em 22/02/2021 18:14

Com índices de mortes e infecção pelo novo coronavírus em alta no Piauí, na manhã desta segunda-feira (22), o governador Wellington Dias (PT) anunciou suspensão de todas as atividades presenciais que não sejam essenciais no Piauí. Este novo “lockdown” vai durar pelo menos até o dia 7 de março. Apesar de ter se posicionado contra esse tipo de medida na campanha eleitoral, o prefeito Doutor Pessoa (MDB), concordou com a restrição.

Wellington volta a restringir atividades públicas, provadas e parte do comércio por conta da pandemia (foto: Jorge Bastos | CCOM)

De acordo com explicações do secretário de Governo, Osmar Junior, do Estado, inclusive escolas privadas que estavam oferecendo aulas presenciais ou híbridas (presenciais e remotas), devem deixar de oferecer esse tipo de modalidade até o fim do vigor do decreto.

Estão suspensas todas as atividades que possam causar algum tipo de aglomeração em espaço aberto ou fechado, desde atividades religiosas em templos particulares atividades esportivas e coletivas em parques. Nem eventos culturais, nem sociais, nem esportivos. O comércio em geral terá atendimento presencial suspenso também. Por sua vez, o setor de construção civil não deve ser atingido de maneira direta.

As medidas passarão a valer a partir das 0h desta quarta-feira (24).

POLÍTICA E CONSTRANGIMENTO

Quem participou da reunião que definiu os termos desse novo decreto do Governo do Estado pelo lado da Prefeitura Municipal de Teresina foi o vice-prefeito Robert Rios (PSB). Para não ir à reunião, Doutor Pessoa disse que um parente estava chegando do interior com suspeita de infecção por covid-19.

Na campanha podia, agora, já não pode mais: Pessoa concordou com "lockdown" do Governo do Estado (foto: Jailson Soares | Instagram | PoliticaDinamica)

Extraoficialmente, o motivo é mais óbvio: Pessoa não quis o desgaste de “desdizer” o que dizia na campanha sobre fechamento de comércio, que queria manter tudo aberto e todo o discurso que poderia incitar a população contra a gestão anterior. Talvez, o médico Pessoa ficou com vergonha alheia do político Pessoa.

Veja o que Pessoa dizia durante a campanha:

E mais: Robert representou a Prefeitura, também, porque, afinal, é ele o prefeito de fato. E não tem vergonha de se “desdizer”.

Veja a íntegra do decreto abaixo:


Comente!

ANTERIOR

PTB NA PREFEITURA E FORA DO GOVERNO

PRÓXIMA

PRESIDENTE QUER 'APURAÇÃO ABERTA'