NOTÍCIAS

VIOLÊNCIA VOLTA A CRESCER NO PIAUÍ

COMANDANTE DA PM COMEMORA REDUÇÃO DO NÚMERO DE ROUBOS, MAS DIZ QUE MORTES VIOLENTAS SÃO FEITAS POR FACÇÕES QUE DEVEM SER COMBATIFAS PELA PF

26/08/2022 12:56

Uma das maiores preocupações da população piauiense é a resposta que o poder público irá dar para os altos índices de criminalidade e a sensação de insegurança no Estado. Segundo o comandante da Polícia Militar do Piauí, coronel Scheiwann Lopes, a polícia reduziu vários indicadores de violência e precisa de um trabalho em conjunto para combate o crescimento da atuação das facções criminosas. O discurso do comandante é o mesmo seguido pela governadora Regina Sousa (PT), porém, os indicadores de segurança mostram outra realidade e crescimento, principalmente, dos casos de homicídios.

Dados do Monitor de Violência do Portal G1 revelam que média móvel de homicídios no Piauí é maior que índice nacional (reprodução Infográfico G1)

Segundo levantamento feito pelo Monitor da Violência, criado pelo portal nacional G1, só no primeiro semestre (janeiro a junho de 2022) o Piauí registrou 373 assassinatos, somente o Piauí e mais sete estados registraram aumento da violência no País. Os dados levantados de acordo com informações oficiais da Secretaria de Segurança Pública do Piauí (SPP-PI), revelam o crescimento de 7,2% na comparação com os primeiros seis meses de 2021, quando o Piauí registrou 348 mortes violentas intencionais (MVIS).

 Os números do Piauí, são contrários aos da maior parte do país que apresentam redução nos últimos anos de casos violentos de latrocínios (roubo seguido de morte da vítima), homicídios e lesões seguidas de morte. De acordo com o G1, se comparados os números de 2021 e 2020, o Estado também apresenta um crescimento ainda maior de 11%, tendo o Piauí sido o 3º estado com maior crescimento no País. Em 2021, foram 780 MVIS, resultando numa média de 2 homicídios por dia no Estado, os números de 2020 foram de 700 mortes.

Ainda segundo dados da SSP-PI, de janeiro a junho de 2022, o Piauí registrou 10.108 casos de roubos em geral e roubos de veículos. Os dados que constam no Painel de Indicadores Públicos da Criminalidade da Secretaria de Segurança divergem dos relatados em entrevista ao Política Dinâmica pelo comandante da PM. (Veja os números gerais!)

O QUE DIZ A PM

O comandante da Polícia Militar do Piauí, coronel Scheiwann Lopes, disse que a PM aumentou todos os seus índices de produtividade nestes últimos meses. “Aumentos os números de apreensões de armas, drogas, prisões, elaboração de Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO). Agora, nos MVIs (Mortes Violentas Intencionais) nós estamos no mesmo patamar do ano passado”, reforçou o comandante.

Comandante da PM ressalta diminuição dos dados de ocorrências atendidas pela PM, porém, números da Secretaria de Segurança do Piauí revelam aumento de casos de homicídios (foto: Jailson Soares/ PD)

Apesar da fala do comandante, o relatório acima mostra números divergentes, no primeiro semestre de 2022 o número de homicídio foi de 373 assassinatos, já no mesmo período de 2021 foram 348 mortes. “Os MVIs nós estamos no mesmo patamar do ano passado, mas em 2021 tínhamos a pandemia mais severa, todo mundo em casa, agora, todo mundo tá na rua. E os índices de mortes, mesmo assim, estão no mesmo patamar”, disse o coronel.

Ainda de acordo com o comandante as mortes estão na maioria relacionadas com disputa de facções criminosas e são de pessoas envolvidas com o crime. “É a guerra do tráfico, que eles estão em lista pré-determinados para matar e para morrer. É uma questão que foge da competência da polícia militar, agora precisamos do apoio de outros apoios e fortalecer esse pessoal [Polícias] e nós estamos fortalecendo com apoio à Polícia Civil através da nossa inteligência. Isso é para que tenhamos mais agilidade e robustez nos inquéritos policiais da atuação da polícia judiciaria na atuação do Ministério Público Judiciário”, explica Sheiwann.

O comandante destacou ainda que essa questão de combate as facções criminosas é trabalho da Polícia Federal. “Muitas vezes essa questão de facções está no âmbito da PF e fora da nossa atuação, mas estamos com as forças integradas, sentando e conversando e trabalhando, mas de certo que aumentamos a nossa produtividade em cerca de 40 a 30 %. Foram diminuídos mais de 28% nos roubos de residências, roubo de veículos, reduzimos já mais de 1000 ocorrências em comparação ao ano passado”, revelou o comandante.

Centro Integrado de Segurança Pública tem sido montado apenas nos períodos de férias no Litoral do Piauí (foto: SSP-PI)

 Os dados aos quais o comandante se refere são o comparativo entre Janeiro a Junho (1º semestre de 2022 quando foram registrados 10.100 ocorrências de roubos no geral e roubos de veículos no Piauí, sendo que em 2021 os números do primeiro semestre foram de 11.844 ocorrências deste tipo.

Ainda segundo o comandante, neste ano de 2022 só foram registrados três latrocínios, sendo que dois desses sendo a vítima Policial Militar. “Dois desses casos já foram elucidados, então, a Polícia tá trabalhando e fazendo o seu papel”, ressaltou.

FACÇÕES NO NORTE DO ESTADO

Segundo o comandante da PM, a Força Integrada de Segurança Pública do Piauí conseguiu mostrar seu trabalho em Parnaíba e região. “Lá passou 50 dias sem homicídios, foram feitas várias prisões sobre lideranças e grupos presos, demos um golpe do crime organizado, com apreensão de sítios, veículos, recursos, para poder fazer frente ao poder econômico dessas facções.  Então, o trabalho está sendo feito gradativamente e progressivo”, afirmou.

Sobre escolta de Policiais, presos do sistema judiciário do Piauí apagam pinxações de faccionados no Norte do Piauí (foto: Sejus)

GOVERNADORA CULPA FACÇÕES

A Governadora do Piauí, Regina Sousa, reconheceu que precisa ser feito muito para melhorar a segurança da população no Estado. “Fizemos muito, não é suficiente, estamos com um concurso, são mais mil pessoas para dá um reforço [refere-se ao concurso para PM-PI]. A população só enxerga a Polícia Militar. Então, não adianta se falar de outra polícia, porque essa aqui é a que tá na rua. Ela [a PM] não é suficiente para atender toda demanda, é preciso que a gente aumente o efetivo”, reconhece a governadora.

Além de aumentar o efetivo, a governador ressaltou que o governo tem investido em obras de infraestrutura nos batalhões e espera entregar várias reformas até o fim do ano. Nessa última quinta-feira (25/08), a governadora esteve inaugurando uma nova sede para o Batalhão da Polícia Militar Ambiental que fica dentro do Parque Zoobotânico de Teresina. A obra foi realizada pela empresa privada que administra o Parque, como compensação pela Projeto de Parceria Pública (PPP) realizada entre o Governo e a empresa que passou a ser detentora das instalações do Zoobotânico nos próximos 30 anos.

Obra de reforma de Batalhão da Polícia Militar Ambiental foi feita por empresa privada que 'ganhou' do Estado a permissão para administrar o Parque Zoobotânico através de uma PPP (foto: Jailson Soares/ PD)

“Promovemos o bem estar para os policiais, um lugar para eles ficarem, trabalharem. Tem os que ficam circulando na rua, mas tem os que ficam na retaguarda, uma coisa que o comandante tem primado desde que chegou é tentar dar mais condições aos policiais.  Inauguramos alguns batalhões, esse aqui foi feito pelo pessoal da concessão, mas temos outros para inaugurar porque é uma das tarefas do Estado é dar melhores condições para seus servidores” afirmou Regina.

Sobre o problema do crescimento das facções no Piauí, Regina Sousa diz que só a PM não conseguirá resolver e ressalta, que é preciso a colaboração do judiciário e a parceria com outras policias, como a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Polícia Federal (PF).

“Nosso entendimento é que tem que ser (um trabalho) colaborativo, árduo, difícil, mas que evoluiu muito no sentido que não é mais o crime comum que ocorre. É o crime do tráfico, que desemboca nas facções, que estão a serviço do tráfico de drogas. Então, todo mundo sabe que o tráfico descobriu a rota Piauí, ficam procurando lugar mais fáceis, por isso deslocamos mais policias para o Litoral (...) a tarefa deles é para uma eliminar a outra. Pode olhar que essas pessoas que morreram estão envolvidas com algum segmento”, ressaltou a governadora.

Governadora reconhece problemas no Segurança e diz que efetivo da PM é menor que a demanda pro Estado (foto: Jailson Soares/ PD)

De acordo com a gestora, a Secretaria de Segurança do Estado já realizou duas reuniões para um trabalho em conjunto das policias no combate as facções, mas pretende realizar outras com a presença do Judiciário.

Já fizemos duas reuniões, envolvendo PF e PRF, na última traçamos um plano de desenvolver grupos até o fim do ano, cada etapa de combate se fecha lá no litoral pode ajudar, as estratégias são eles que sabem. Eu não sou uma estrategista, mas evidente que é o tráfico de drogas que tem que ser combatido e aí também entra, na próxima reunião, o Judiciário e o Ministério Público para vermos como a gente ameniza isso. Por exemplo, teve a saída [saída temporária de presos] do dia dos pais, 21 não votaram, saíram sem tornozeleira. Acho que na próxima saída podemos combinar pra saírem com tornozeleira, porque os 21 estão aí soltos e nosso pessoal atras, precisa ter o monitoramento disso”, reclamou a governadora.

Comente