NOTÍCIAS

VEREADORES FRITAM GESTÃO DA FMS

APÓS RECUSAR CONVITE DA CÂMARA, VEREADORES CRITICAM GESTÃO DE GILBERTO ALBUQUERQUE QUE PODE ACABAR COMO ADOLFO NUNES

18/08/2021 13:17

Os vereadores da Câmara de Teresina receberam nesta quarta-feira (18) a tão aguardada “visita” do presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Gilberto Albuquerque, após o gestor não ter comparecido ao convite dos vereadores na semana passada. Logo no início da sessão o que se viu foi os vereadores da bancada da oposição e até mesmo da base do governo, como o parlamentar Joaquim do Arroz (MDB), iniciar um processo de “fritura” do presidente da FM que exerce a função há pouco mais de oito meses. Vale lembrar que após reclamarem da dificuldade de diálogo com o ex-secretário de Governo Adolfo Nunes, o prefeito Doutor Pessoa (MDB) exonerou o prestigiado secretário e o enviou para comandar a Arsete.

Para entender todo esse problema entre o presidente da FMS e a Câmara, se faz necessário relembrar que há vários dias os parlamentares cobram a ida de Gilberto Albuquerque àquela Casa. Os parlamentares reclamam que estão sendo cobrados diariamente pela população por conta do atraso da vacinação contra covid em Teresina e, também, por várias mudanças “mal informada” no atendimento de hospitais e UBS da capital, até agora sem explicações por parte do gestor da Fundação.

Na semana passada, o vereador Joaquim do Arroz (MDB) chegou a aprovar um requerimento convocando o presidente da FMS a prestar esclarecimentos à Câmara, porém, o vereador Renato Beger [líder do prefeito na Câmara] pediu que o requerimento fosse trocado por um simples convite. “Nós aprovamos esse requerimento, porém a pedido do Renato trocamos por um convite e aceitamos a ponderação e fizemos o convite, mas o prefeito não veio, deixou todos os vereadores esperando. Depois disso, agora fizemos uma convocação para que ele fique obrigado a vir prestar esses esclarecimentos”, explicou o parlamentar. O requerimento para a convocação foi lida e aprovada ontem (17) na Câmara por todos vereadores presentes, com abstenção apenas do vereador Renato Beger, convocando para o presidente da FMS estar presente nesta quarta (18) às 11h na Câmara.

Já na sessão desta quarta, com a presença de Gilberto Albuquerque, o vereador Joaquim do Arroz fez duras críticas a forma que a FMS está atuando em Teresina. “Eu mesmo fiquei mais de uma hora na fila, na UFPI, ao lado de uma fedentina de um gato morto. Mandei um zap para o senhor presidente e nunca se quer respondeu. Eu tomei a PFIZER e me senti um pouco mais e não tinha um local adequado para um repouso, como é recomendado pelo Ministério da Saúde. Se não temos vacinas para aplicar em mais pessoas, pelo menos, essas que tem deveriam ser aplicadas com qualidade na população. Imagina se chegar essas novas vacinas, como a FMS vai aplicar”, reclamou Joaquim.

Gilberto Albuquerque - presidente da FMS.

O vereador Ismael Silva (PSD) também reclamou que a Fundação não tem sido transparente quanto as mudanças promovidas no atendimento à saúde na capital. “Reclamo aqui da situação da UBS do Parque Wall Ferraz que padece de estrutura mínima para o atendimento. Sobre o problema da vacinação, somos a última capital no ranking da vacinação por faixa etária. A Fundação precisa informar melhor sobre o envio de doses, cronograma e expectativa da população a ser vacinada”, ponderou.

EXPLICAÇÕES DA FMS

Sobre a não ida e não resposta ao convite feito pela Câmara para ir até aquela casa, o presidente da FMS se justificou que estava em uma outra reunião. “Sei que o gestor tem obrigação de prestar contas à população e, principalmente, para Câmara já que os vereadores representam o povo. Na semana passada não pude vir à essa Casa, porque coincidiu com uma reunião do Ministério Público que começou as 10h e terminaria às 11h, mas acabou terminando as 13h. Mas hoje, vim e acredito que este é um meio de divulgar as ações, tirar dúvidas e fazer o trabalho fluir melhor na Fundação”, ressaltou Gilberto Albuquerque.

O presidente da FMS ainda justificou o atraso de Teresina em relação à outras capitais do país, devido há ausência de vacinas. “Teresina, assim como todas as cidades ela apenas administra as doses que chegam. Não estamos adiantados pela falta de vacina. Quem compra é o Ministério da Saúde e o Governo do Estado quem distribui, a gente só aplica as que tem”, respondeu Gilberto aos vereadores.

Vale ressaltar que nessa terça-feira a capital do Piauí foi destaque em matéria veiculado pelo Jornal Nacional, da Rede Globo, como a última capital no ranking de vacinação por faixa etária. Já na manhã desta quarta-feira (18), a FMS pareceu correr atrás deste prejuízo e anunciou que vai saltar de 33 para 25 anos, ou seja, a partir das 18h de hoje vai abrir no seu site agendamentos para jovens a partir de 25 anos.

Sobre as mudanças na rede atendimento à Saúde na capital, o gestor justificou que as adequações que estão sendo feitas são por conta de mudanças anteriores ocorridas durante a Pandemia. “A rede sofreu modificações e agora com a redução dos casos da covid está voltando ao normal. Estamos fazendo um esforço muito grande para volte o quanto antes ao normal”, explicou Gilberto Albuquerque.

Comente