NOTÍCIAS

UNIÃO BRASIL COMEÇANDO DESUNIDO

DESACERTO ENTRE PSL E DEM NO PIAUÍ PODE PROVOCAR RACHA NO RÉCEM CRIADO UNIÃO BRASIL

19/11/2021 12:21

O novo partido União Brasil, criado em outubro de 2021 através da fusão dos partidos DEM e PSL, parece não estar tão unido como o próprio nome sugere. A nova sigla que nasce com status de super partido -- podendo somar a maior bancada na Câmara com 82 deputados, quatro governadores de Estado e ainda outros senadores --, tem também como desafio unir os diretórios estaduais pelo país.

Luciano Bivar (PSL) e ACM Neto (DEM) no lançamento do União Brasil (foto: redes sociais)

A fusão ainda precisa do aval do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que o União Brasil possa ser oficializado e ter permissão para atuar como partido, o que se espera que aconteça até fevereiro de 2022. Até lá, DEM e PSL continuam cada um com suas seções estudais. Porém, com a certeza da fusão, apenas um diretório deve permanecer e unir os dois grupos políticos, com acomodação dos caciques locais.

Nos bastidores o que se sabe é que há um desacerto entre membros do PSL e DEM em diversos estados. Essa incerteza de quem ficará no comando, era inclusive um dos entraves para fusão do novo partido, mas acabou sendo aprovado pela maioria dos membros das siglas. 

O que se comenta é que a cúpula do PSL tem uma lista de qual diretório estadual caberá a cada um dos dois partidos. Essa informação no entanto é desmentida -- ou ao menos desconhecida -- por líderes do DEM.  A presidência da nova sigla nos estados do Maranhão, Paraíba, Rio Grande do Norte e São Paulo estão nos planos dos democratas. Porém, na suposta lista dos pesselistas esses diretórios já constam sob o comando de membros do PSL.

O que pode acontecer, também, é que em estados maiores como São Paulo, o partido seja dividido por zonas de influências, onde apesar de haver um líder estadual cada região terão um comando.

Membros do DEM e do PSL do Piauí participam da solenidade de fusão dos partidos em Brasília. (foto: ascom)

Em outros estados, como no Piauí, já há discussões mais acaloradas e até troca de acusações por parte de líderes do DEM que acusam membros de outras siglas de quererem “tomar” o União Brasil. No estado, ainda não foi definido quem ficará na presidência, figurando nessa disputa o presidente do DEM-PI, Rooney Lustosa, e o presidente do PSL-PI, vereador Luís Andre.

DISPUTA NO PIAUÍ

No capítulo mais recente no Piauí, o ex-vereador Rooney Lustosa assinou uma nota divulgada no perfil do Instragram do DEM Piauí onde destaca que até a oficialização da fusão do União Partido, tanto o PSL quanto o DEM permanecem com suas autonomias.  Ainda segundo ele, o DEM repudia posições de políticos que querem se apoderar da bandeira da verdadeira oposição no Piauí. Na nota, o Demista acusa o senador Ciro Nogueira (Progressista) de tentar usurpar esse mérito do Democratas, tentando, inclusive de se apoderar de outras siglas partidárias. Na nota, ele chama ainda o líder progressista de oportunista e traidor, denunciando Ciro de tentar espoliar o União Brasil.

Vale lembrar que o vereador Luis André (PSL-PI), que também almeja a presidência do União Brasil, esteve, recentemente, em Brasília com o senador e ministro Ciro Noguera. Nos bastidores da política, o que se comenta é que o parlamentar da Câmara de Teresina pode ser preterido pelos colegas partidários para assumir o comando da nova legenda, podendo inclusive trazer mais parlamentares para o novo União Brasil, como o vereador Markim Costa, expulso recentemente do DEM.

Vereador Luís André se encontra com ministro Ciro Noguera em Brasília.  (foto: redes sociais)

UNIÃO BRASIL COMO TERCERIA VIA

A nível nacional o novo partido já tem definido sua cúpula tendo como presidente o deputado Luciano Bivar (PSL) e como vice, o senador José Agripino (DEM). O ex-prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) que também trabalhou para união dos partidos ficou como secretário geral. Os outros membros da cúpula estão divididos entre os dois partidos.

Para presidência em 2022, o União Brasil já declarou que não deve apoiar a reeleição de Bolsonaro (Sem partido) e nem mesmo a candidatura do ex-presidente Lula (PT). O partido tenta lançar candidatura própria tendo como nomes postulante a pré-campanha o ex-ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM) e conversa também com outros nomes como do apresentador José Luiz Datena, que se figurou como pré-candidato do PSL. Além deles, tem também sondagem com o nome do presidente do senado, Rodrigo Pacheco (DEM).

Presidenciáveis do União Brasil para 2022.

O certo é que se tiver o União Brasil tiver candidato representando uma possível terceira via, tudo poderá mudar nos Estados. No Piauí, por exemplo, o vereador Luis André (PSL) já figura como apoiador do grupo liderado pelo senador Ciro Nogueira na disputa ao governo do Estado; já Rooney Lustosa almeja uma candidatura de terceira via.

Porém, vale lembrar que “até o andar da carruagem” quem quer a formação de uma terceira via no estado é o grupo político do atual prefeito de Teresina, Doutor Pessoa (MDB), e seu vice, Robert Rios (PSB). E não é segredo para ninguém que o prefeito tem dito que já tem “gente sua” conversando sobre a possibilidade de todo seu grupo ir para o União Brasil para assim viabilizar um "novo nome" para disputa ao Governo do Piauí.

Possíveis nomes do União Brasil no Piauí.

O União Brasil também tem outros nomes com representatividade no Piauí, como o do ex-senadores Heráclito Fortes (DEM) e de Mão Santa (PSL), esse último é o atual prefeito de Parnaíba. Porém, não estariam dispostos a entrar nessa briga pelo comando da nova sigla.

Comente