UMA OBRA QUE FEDE

OBRA INACABADA MOSTRA QUE GESTÃO DE GIL CARLOS DEIXOU MUITAS SUSPEITAS NO AR E AINDA MAIS SUJEIRA PELAS RUAS DE SÃO JOÃO DO PIAUÍ

Marcos Melo Marcos Melo
27/04/2021 18:22 - Atualizado em 27/04/2021 18:48

Quando dizem que o nome de uma rua é "Rua Sem Prefeito", significa que o poder público ainda não passou por ali. Às vezes é uma crítica merecida, pela falta de compromisso do gestor, outras vezes, uma injustiça, pela falta de recursos que impedem que todas as ruas sejam calçadas ou asfaltadas de uma vez. Mas quando um bairro passa por uma obra de saneamento e depois disso parte dele ganha o nome de "Lagoa da Bost*", aí, definitivamente, tem coisa errada. E é o que aconteceu com bairro Barro Vermelho, em São João do Piauí.

Saneamento que fede: obra já deu muita dor de cabeça para população de SJP, mas promete dar mais ainda para Gil Carlos se algum órgão de controle se interessar pela fiscalização (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica)

Perdoe-nos, leitor, não vamos repetir o nome da lagoa. Mas é o nome que foi dado pelos populares da região indignados com o presente que o ex-prefeito Gil Carlos (PT) deixou para quem mora ali.

Uma obra orçada em R$ 10 milhões teve início em 2016, durante a primeira gestão de Gil Carlos. Ele foi reeleito, depois elegeu seu sucessor e até o momento, a Prefeitura do município já pagou 80% desses recursos à empresa vencedora da licitação. Porém, apenas 50% da obra está concluída segundo as medições da equipe técnica da Fundação Nacional de Saúde, do Ministério da Saúde.

O contrato foi realizado por RDC, o Regime Diferenciado de Contratação, um dispositivo que abriu ainda mais brechas para corrupção no setor público (imagem: reprodução)

O Política Dinâmica teve acesso aos documentos e é isso mesmo: o pessoal em São João do Piauí parece que andou brincando com dinheiro federal não apenas com aluguel de carro na Educação -- Operação Topique --, mas também com recursos da Saúde.

A maior parte das ligações das casas à rede de esgoto já foi realizada. Várias deles tiveram suas fossas sépticas desativadas. Mas a rede de esgoto atual termina em canto nenhum. A estação de tratamento ainda não foi finalizada, 5 anos depois do início das obras.

Pode não parecer, mas estas aí são três das ruas saneadas pela obra iniciada pelo ex-prefeito Gil Carlos (fotos: reprodução)

Não se sabe se por esse motivo ou se por uso de material inadequado, agora os dejetos ficam no meio da rua. Além da sujeira, urubus tomaram conta da cidade. Quando chove, lama e esgoto viram uma mistura de imundice que toma conta de todo o bairro e terminam por se acumular na parte mais baixa do bairro, que recebeu o nome de Lagoa da... você já sabe.

Hélio Isaías e Gil Carlos: irmão do deputado foi contratado pelo prefeito e obra não termina (foto: Prefeitura de São João do Piauí)

Quando em maio de 2016 a BM Engenharia assinou contrato com a Prefeitura Municipal de São JOão do Piauí, estava inadimplente com impostos federais. Mesmo com débitos em aberto junto a Receita Federal, foi capaz de receber repasses da FUNASA.

A empresa que venceu a concorrência, a BM Engenharia Ltda, pertence a aos empresários Isaías Vieira Filho e Neander Moura. O primeiro, irmão do deputado estadual Hélio Isaías (PP), o segundo, eleitor do mesmo deputado. Neander, aliás, foi candidato a vereador em Oeiras em 2020 e ficou na primeira suplência.

Sócio da empresa: Neander Moura faz parte do grupo político de Hélio Isaías (foto: Instagram)

Como se vê, a história não fede apenas. O cheio ruim é mais forte quando se percebe as relações políticas dos proprietários da empresa.


Comente!

ANTERIOR

INQUÉRITO CONCLUÍDO

PRÓXIMA

PARA ONDE VAI A CPI?