NOTÍCIAS

UM HOSPITAL INTEIRO PARA EMPREGAR A FAMÍLIA

GOVERNADOR RETOMA UMS EM PAES LANDIM PARA MANTER FORÇA POLÍTICA DE SUA FAMÍLIA E IMPEDIR CHEGADA DE RECURSOS FEDERAIS POR MEIO DE CIRO NOGUEIRA

03/01/2021 10:15

Coisa inédita no Piauí aconteceu na terra natal de Wellington Dias (PT). No apagar das luzes de 2020, o governador mandou o secretário Florentino Neto (PT) pegar de volta para o Estado a gestão da Unidade Mista de Saúde. Os motivos, segundo apurou o Política Dinâmica, são dois: manter uma gestão política para sua família no município e, principalmente, impedir que o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mande recursos para cidade e fortaleça, assim, a imagem do senador Ciro Nogueira (PP).

Sim, tudo se trata de 2022. Segundo fonte do PD dentro da secretaria de Saúde, “o que aconteceu lá em Paes Landim é inédito”. A Unidade Mista de Saúde, aliás, tem o nome do avô de Wellington Dias, Félix Barroso, que já foi prefeito da cidade e era pai de seu pai. A UMS foi municipalizada em 2007, durante o segundo mandato de Wellington.

Wellington Dias já garantiu cargo público e manutenção de força política para sua família em Paes Landim; na foto, Gutim, sua esposa Keylane, que vai comandar a UMS, e o governador Welligton Dias (foto: Facebook)

WELLINGTON X CIRO

A retomada da UMS foi uma jogada política tão urgente que foi realizada numa canetada do secretário Florentino Neto no dia 25 de dezembro, feriado de Natal. A portaria foi publicada no Diário Oficial do dia 28 de dezembro, mesma edição que traz a nomeação da ex-primeira-dama da cidade e esposa do primo de Wellington, o ex-prefeito Gutemberg Araújo, o Gutim do PT, que não conseguiu se reeleger em 2020.

Pressa muita: Florentino tomou a UMS no dia de Natal, 25 de dezembro (imagem: reprodução)

O primo de Wellington foi derrotado por Thalles Marques, filiado ao Progressistas do senador Ciro Nogueira. Foram apenas 58 votos de diferença, mas a simbologia do resultado foi expressiva: Wellington e o PT rejeitados na “casa” do próprio governador. Com todos os parentes perdendo os cargos na Prefeitura e sem ter onde fazer favor em troca de votos, o jeito foi o governador retomar a UMS, que na cidade tinha um dos maiores quadros de funcionários, comissionados e contratos temporários da gestão municipal.  

Esposa de Gutim já está nomeada para mandar na UMS em Paes Landim (imagem: reprodução)

“Escutei por aqui que por conta da derrota do parente dele, o governador não quer o Ciro [Nogueira, senador] mandando dinheiro pra lá, porque é a cidade dele [Wellington] e também porque se chegar muito recurso federal, isso faria bem para a imagem do presidente [Jair] Bolsonaro”, revela a fonte.

É pessoal: Wellington Dias estaria agindo para impedir que Ciro Nogueira e Jair Bolsonaro tenham imagem melhor que a sua própria em Paes Landim (foto: Jailson Soares | politicaDinamica.com)

EXISTEM OUTROS CASOS QUE SÃO URGENTES

Ainda segundo essa pessoa que trabalha na Secretaria de Saúde, por atrasos no repasse do cofinanciamento do setor, há casos mais urgentes precisando de atenção em municípios onde o atendimento não corresponde à demanda, provocando um efeito dominó que, em último caso, “pressiona fortemente” o sistema de Saúde de Teresina.

Sem olhar prioridades: gestão política da SESAPI está sacrificando atendimentos pelo interior do Piauí e sobrecarregando Teresina (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

“Não quero avaliar do ponto de vista político. O que posso garantir, vendo nossos números aqui, é que, do ponto de vista técnico, temos dezenas de outros casos mais urgentes de prefeituras que não conseguem manter o atendimento de saúde em hospitais e unidades de saúde que foram municipalizadas lá atrás. Não vejo que esse seja o caso em Paes Landim. Em Palmeirais, temos um caso bem mais urgente, por exemplo, de hospital que poderia voltar para o controle do Estado”, argumenta a fonte.

E só essa denúncia já é o bastante para o Ministério Público do Estado do Piauí solicitar informações à SESAPI. O Política Dinâmica solicitou, mas até a publicação desta matéria, ainda não havia recebido qualquer resposta.

INFORMAÇÕES SOLICITADAS:

Por meio de Whatsapp, solicitamos à assessora de imprensa da SESAPI, Élida Sá, informações sobre o caso. A mesma mensagem foi enviada para o número do secretário Florentino Neto. Os servidores da SESAPI, segundo a assessoria de imprensa, estão de recesso desde o dia 31 de dezembro de 2020.

Bom dia, Élida.

Precisamos de informações sobre a Portaria SESAPI/GAB nº 747, de 25 de dezembro de 2020. Ela trata da reestadualização da Unidade Mista de Saúde de Paes Landim.

1. Por qual motivo a SESAPI retomou o controle da UMS?

2. Houve gestão política do governador Wellington Dias para que a UMS permanecesse sob controle de sua família na cidade?

3. Que critérios foram levados em consideração para o ato do sr. secretário de Saúde, Florentino Neto, neste caso?

4. Existe o planejamento do Governo do Estado do Piauí para retomar outras unidades básicas ou mistas de saúde em outros municípios?

5. Existe um estudo sobre o impacto financeiro sobre essas retomadas? Ou pelo menos sobre a retomada da UMS em Paes Landim?

Aguardamos o quanto antes as respostas.

Atenciosamente,

Marcos Melo

Política Dinâmica

Comente