NOTÍCIAS

PREFEITA É CASSADA NO PIAUÍ

MUNICÍPIO TEM SUA SEGUNDA PREFEITA CASSADA EM MENOS DE UM ANO E VICE INSTABILIDADE POLÍTICA NO NORTE DO ESTADO

01/12/2022 11:26

O município de Murici Dos Portelas vive uma insegurança política nos últimos anos, nessa quarta-feira (30/11) a prefeita Francisca das Chagas Correia de Sousa, mais conhecida como Chaguinha da Saúde (PSD), foi cassada pela Câmara de Vereadores do município. Com seis votos dos nove parlamentares da Câmara, foi decidido que a prefeita deve perder o cargo pelo suposto crime de improbidade administrativa.

Eleita em março de 2022, com apenas sete meses de mandato Chaguinha da Saúde é cassada pelos vereadores de Murici dos Portelas (foto: rede social)

A alegação dos vereadores é de que a gestora não pagou o reajuste dos servidores municipais e não foi à Câmara prestar esclarecimentos sobre sua gestão, mesmo tendo ocorrido vários convites e convocações para gestora comparecer ao poder legislativo municipal. Na Câmara, a prefeitura tem em sua base apenas três vereadores, os outros seis são da oposição. Entre esses está o presidente do Legislativo municipal, vereador Raimundo Nonato de Sousa Pereira, mais conhecido como Raimundo Mutuca (PSD). Apesar de ser do mesmo partido que a gestora, Raimundo foi quem apresentou a denúncia e planejou toda votação contra a gestora.

Raimundo Mutuca já chegou a comandar interinamente o município por alguns meses. Na eleição de 2020, foi eleita prefeita do município Ana Lina Cunha (PSD), que assumiu em janeiro de 2021, mas em novembro de 2021 ela acabou sendo cassada por ter sido casada com o ex-prefeito município Ricardo Sales, nos anos de 2016 a 2020. Por conta disso, entre Novembro de 2011 e março de 2022, o presidente da Câmara ficou interinamente no cargo, até a realização de uma eleição suplementar, tendo sido eleita a Chaguinha da Saúde.

Presidente da Câmara chegou a se tornar prefeito interino por quatro meses, entre novembro de 2021 a março de 2022, após a prefeita eleita em 2020, também, ser cassada (foto: fivulgação)

Ainda no processo de cassação a Chaguinha da Saúde, a Câmara denunciou a gestora por supostas infrações administrativas que estariam impedindo o funcionamento regular da Câmara, com o impedimento dos vereadores analisarem documentos no arquivo da Prefeitura, fiscalização de obras e outros serviços municipais, seja por comissão formada pela Câmara ou auditoria.  Essa sessão de cassação da prefeita deveria ter ocorrido em outubro, mas uma decisão judicial contra o ato acabou retardando todo o processo que iniciou em setembro e foi concluído com a cassação da gestora agora no último dia de novembro.

Chaguinha teve apoio da ex-prefeita, Ana Lina, cassada em novembro de 2021.

Nas eleições suplementares em março de 2022, a chapa de Chaguinha da Saúde e Isabel Cristina (candidata a vice) recebeu 2.442 votos, sendo 55,35% do total. Com a decisão dos vereadores, a vice-prefeita Isabel Cristina poderá ser empossada como prefeita. Porém, a prefeita cassada deve recorrer da decisão da Câmara na Justiça.


Comente