PESSOA VAI CONSEGUIR PIORAR?

IDEIA DISCUTIDA NOS BASTIDORES DA PMT É DIVIDIR FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE, COLOCAR LEONÁRDO EULÁLIO O PRIMEIRO ESCALÃO E TRAZER DINHEIRO DE FÁBIO ABREU

Marcos Melo Marcos Melo
08/03/2021 17:16 - Atualizado em 08/03/2021 17:30

Respeite desespero. A gestão do Doutor Pessoa (MDB) quer dividir a Fundação Municipal de Saúde. De um lado, licitações, recursos humanos e o Hospital de Urgência de Teresina; do outro, as Unidades Básicas de Saúde e as Unidades de Pronto Atendimento. O objetivo: “arrendar” um dos dois pedaços para o Partido Liberal, a siga comandada pelo deputado estadual Fábio Xavier e pelo deputado federal Fábio Abreu.

Cunhado de Xavier e apoiado por Abreu: nomeação de Leonardo Eulálio tem tudo pra piorar a Saúde de Teresina (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

Em troca da indicação do vereador Leonardo Eulálio, Abreu destinaria emendas parlamentares direto para a Prefeitura de Teresina num momento em que a bancada federal anda mais do que desconfiada com Dr. Pessoa (MDB) e Robert Rios (PSB).

O QUANTO SE QUER

Depois de sucessivas reuniões da Prefeitura Municipal de Teresina com a bancada federal do Piauí, passou-se a ser observado um problema: os parlamentares prometem, mas não definem emendas a serem destinadas à gestão de Pessoa. O atual prefeito até já prometeu “plaquinhas” em obras contendo o nome daqueles que destinaram recursos, mas essa não “colou”.

A cúpula da PMT se confraterniza com recorrência com Leonardo Eulálio, neste registro de fevereiro, um almoço no sítio do ainda vereador (foto:Divulgação)

Deputados federais, pelos bastidores, apontam que a gestão de Pessoa não é de confiança e que não se sentem confortáveis com a possibilidade de serem “grampeados” em conversas agora e achacados mais adiante. Não existe, portanto, confiança institucional entre parlamentares e Prefeitura.

O PL quer fazer negócio: assume a pasta e, imediatamente, o deputado federal Fábio Abreu destinaria de R$ 15 milhões a R$ 25 milhões rapidamente para Teresina. É dinheiro para emergência de combate à pandemia e para que se faça “algo pelos 100 dias de gestão”, que promete não ser uma das melhores datas para Teresina.

O HISTÓRICO NÃO É BOM

Atual vereador de Teresina, Leonardo Eulálio (PL) não deve durar no mandato até o Natal deste ano. A pandemia, certamente, vai durar mais que ele. Único eleito num partido envolvido num esquema de candidaturas laranjas denunciadas pelo Política Dinâmica ainda em dezembro de 2020. A chapa inteira deverá ser cassada.

Não é de agora que Pessoa tenta arrumar uma maneira de colocar Leonardo Eulálio no primeiro escalão de sua gestão (fotos: divulgação)

Contra Leonardo, ainda, o histórico do médico na gestão privada da Unimed Teresina: em 2017, ele chegou a ser destituído do cargo de presidente da mais importante cooperativa médica do Piauí por problemas que foram desde crimes de gestão fraudulenta, estelionato, lavagem de dinheiro, apropriação indébita, até associação criminosa e falsidade ideológica. A maior parte dos “problemas” referentes à construção do atual Hospital da Unimed no bairro Primavera.

JÁ FOI DIVIDIDA

Entre os anos de 2013 e 2016, na terceira gestão do ex-prefeito Firmino Filho (PSDB), a Fundação Municipal de Saúde já havia sido dividida, daquela vez, em três pedaços: Secretaria de Saúde (administração), Fundação Municipal de Saúde (atenção básica) e Fundação Hospitalar (hospitais de média e alta complexidade).

Decentralizar não trouxe a eficiência e o controle necessário para a maior estrutura da Prefeitura de Teresina. A FMS foi reunificada em 2017.

Comente!

ANTERIOR

INQUÉRITO CONCLUÍDO

PRÓXIMA

PARA ONDE VAI A CPI?