NOTÍCIAS

O CUPIDO DE JVC E SÍLVIO MENDES

ANTAGÔNICO AO CIRO NOGUEIRA DE 2010, MINISTRO TENTA PROMOVER UNIÃO ENTRE JVC E SÍLVIO MENDES NA DISPUTA PELO GOVERNO DO PIAUÍ

12/07/2022 08:00

Está marcado para o próximo dia 15 de julho o anúncio do apoio formal do ex-senador João Vicente Claudino (Podemos) à pré-candidatura de Sílvio Mendes (União Brasil). O ex-prefeito da capital tem sido o principal nome de oposição ao atual governo do Estado que busca a eleição do pré-candidato Rafael Fonteles (PT).
Fábio Sérvio e João Vicente Claudino ainda não confirmaram quem o Podemos irá apoiar para o Governo do Piauí (foto: ascom)

Apesar do apoio à Sílvio Mendes, o líder do Podemos não deve estender a adesão ao pré-candidato ao senado da mesma chapa, o ex-prefeito de Floriano Joel Rodrigues (PP). Isso porque, o Podemos de João Vicente Claudino (JVC) já tem um nome para concorrer ao senado, é o empresário Fábio Sérvio (Podemos). Embora a movimentação de JVC não deixa de enfraquecer Sérvio.

O partido de JVC, também, chegou a anunciar que poderia ter um nome para disputa ao Palácio de Karnak. Essa projeção era feita com o nome do professor Alex Mendes que chegou a figurar como pré-candidato ao governo do Piauí, mas seu nome logo foi retirado da pré-campanha do Podemos, abrindo, espaço para uma união do partido com outro pré-candidato.

SÍLVIO E JOÃO VICENTE SE UNEM?

Essa não é a primeira vez que JVC e Sílvio Mendes participam de uma campanha para o Governo do Estado do Piauí. Em 2010, o então senador JVC colocou seu nome na disputa contra o atual governador da época, Wilson Martins (PSB), e contra também Sílvio Mendes (PSDB), que deixou a Prefeitura de Teresina para arriscar um mandato a frente do governo.

Wellington Dias preferiu apoiar campanha de Wilson Martins e abandonou João Vicente Claudino (foto: reprodução TV Cidade Verde)

Naquela ocasião, João Vicente esperava ter o apoio do então governador Wellington Dias (PT) que em abril de 2010 se licenciou do cargo para disputar uma vaga no senado e deixou na cadeira seu vice Wilson Martins, que não abriu mão da reeleição. Apesar da aliança política com o senador JVC, Wellington preferiu declarar apoio à reeleição de Wilson Martins. O fato acabou sendo visto como uma traição à JVC.

Sílvio Mendes, Wilson Martins e João Vicente Claudino polarizam a disputa ao governo do Piauí em 2010 (foto: reprodução)

No primeiro da eleição de 2010, João Vicente acabou amargando uma terceira colocação com 337.028 votos (21,54% do total), contra 470.660 votos (30,08%) do candidato Sílvio Mendes que ficou em 2º lugar. Já o candidato Wilson Martins somou 725.563 votos (46,37%) dos votos. Com esse resultado, a eleição para o governo em 2010 foi para segundo turno e tanto Sílvio quanto Wilson duelaram pelo apoio de JVC.Eleito senador em 2010, Ciro Nogueira passou a pedir votos à campanha de Wilson Martins no 2º turno das eleições para o Governo do Piauí (foto: reprodução)

Iniciado o 2º turno daquele pleito, entrou em cena a figura do deputado federal e já eleito senador, Ciro Nogueira (PP), que concorrerá ao cargo do Senado fazendo dobradinha com Wellington Dias (PT) na chapa de Wilson Martins. Tanto Ciro, quando Wellington foram eleitos senadores pelo Piauí e coube a Ciro buscar o apoio de JVC, tendo em vista a mágoa deixada em JVC por Wellington. Na ocasião, Ciro também ajudou Wellington a coordenar a campanha de Dilma Rousseff para presidente que foi para 2º turno contra José Serra (PSDB).

Cabo eleitoral de DIlma em 2010, Ciro Nogueira foi um dos principais articuladores para o impeachment da presidenta Dilma em 2016 (foto: divulgação)

Ciro Nogueira defendia que a coligação PTB, PDT, PP, PRTB, PHS, PTC e PTdoB migrasse integralmente à campanha de Wilson no Piauí e Dilma Rousseff à presidência. Pouco tempo depois, o anúncio dessa migração até foi feito numa reunião na casa do senador João Vicente Claudino, mas a única ressalva foi o fato de JVC ter ficado neutro e não ter declarado apoio à nenhum dos candidatos. Apesar disso, João liberou suas bases para seguirem o caminho que optassem.

Naquele pleito, se tivessem unindo as forças da oposição em uma única chapa, JVC e Sílvio Mendes poderiam ter conquistado um resultado melhor contra o então governador Wilson Martins (PSB). Somados os votos de Sílvio e JVC no primeiro turno daquele disputa eleitoral, teriam juntos 807.688 votos, mais de 51% dos votos válidos, o que poderia resultar numa vitória ainda no 1º turno. Eram 90 mil votos a mais que os 725.563 votos (46%) de Wilson Martins.

Porém, naquela ocasião os grupos de oposição de JVC e de Sílvio Mendes não quiseram se unir contra o grupão de Wellington Dias, Wilson Martins e companhia. A diferença para este pleito é que o "antagônico cupido" tá com todas as flechas do lado da oposição.

Comente