EM 18 ANOS, PIAUÍ PERDEU CINCO DEPUTADOS FEDERAIS NO EXERCÍCIO DO MANDATO

MAIORIA DAS MORTES ACONTECEU NA DÉCADA DE 2000, QUANDO QUATRO PARLAMENTARES FEDERAIS PIAUIENSES MORRERAM EXERCENDO O MANDATO

Gustavo Almeida Gustavo Almeida
06/07/2020 10:52 - Atualizado em 06/07/2020 11:25

Cinco parlamentares morreram no mandato (Foto: Montagem/PoliticaDinamica.com)

A morte do deputado federal Assis Carvalho (PT) ocorrida na tarde do domingo (5) em Oeiras fez aumentar uma relação de parlamentares federais do Piauí que morreram no exercício do mandato nos últimos 18 anos. Desde 2003, já são cinco mortes.

Em 26 de julho de 2003, a também petista Francisca Trindade morreu após passar mal e desmaiar quando discursava em um evento em Teresina. Foi vítima de um aneurisma. Ela exercia os primeiros meses do mandato após ter sido a deputada federal mais votada do Piauí nas eleições de 2002, quando teve 165.190 votos. Trindade tinha apenas 37 anos.

No ano seguinte, em 9 de agosto de 2004, o deputado federal Afonso Gil Castelo Branco foi encontrado morto em sua casa em Teresina. Ele tinha sido eleito para o primeiro mandato nas eleições de 2002 pelo PC do B, mas estava no PDT quando morreu. A Polícia Federal apontou que a causa da morte foi suicídio. Na época, Afonso Gil estava estava em campanha para a Prefeitura de Teresina, ocupando o terceiro lugar nas pesquisas.

Em 5 de novembro de 2008, morreu o deputado federal Mussa Demes, do Democratas. Ele estava no sexto mandato consecutivo de deputado federal pelo Piauí e foi vítima de um câncer de pulmão. Mussa tinha 68 anos e sua morte ocorreu em Fortaleza, no Ceará.

Em 28 de setembro de 2009 foi a vez de Alberto Silva (MDB). Depois de ter sido prefeito de Parnaíba, deputado estadual, deputado federal, governador do Piauí duas vezes e senador da República, ele se elegeu novamente para a Câmara Federal em 2006, prestes a completar 88 anos. Considerado um dos maiores políticos da história do Piauí, Alberto morreu em Brasília. Ele foi sepultado Parnaíba, sua cidade natal.

Passados quase 11 anos, Assis Carvalho fez a triste relação aumentar. O petista foi diretor do Detran-PI, presidente da Agespisa, deputado estadual por um mandato, secretário de Saúde do Piauí e estava no terceiro mandato seguido de deputado federal. Assis era presidente regional do PT no Piauí e natural de Oeiras, a 306 km de Teresina.

ANTERIOR

GEORGIANO NETO DEIXA HOSPITAL APÓS 23 DIAS

PRÓXIMA

EVALDO ACREDITA EM WELLINGTON NA CAMPANHA DE FÁBIO NOVO