NOTÍCIAS

DIEGO VAI ZERAR ICMS NO PIAUÍ

PRÉ-CANDIDATO DO PL DIZ QUE O GOVERNO DO PIAUÍ PRECISA SAIR DO CICLO VICIOSO DE ARRECADAR MAIS RECURSOS SOMENTE COM O ICMS SOBRE OS COMBUSTÍVEIS

10/06/2022 09:40

O pré-candidato a governador pelo PL no Piauí, Major Diego Melo, disse em entrevista ao Política Dinâmica que é possível os Estados acompanharem a decisão do governo Bolsonaro em zerar o ICMS (Imposto sobre operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre prestações de Serviços de transporte interestadual, intermunicipal e de comunicação) sobre o diesel. “O governo Bolsonaro já prometeu que vai compensar essa perda de arrecadação dos Estados. É preciso seguir essa linha de redução dos impostos sobre os combustíveis para que o Piauí, por exemplo, não fique nesse vício dependente de um imposto abusivo como é cobrado atualmente aqui no estado governado pelo PT”, ressaltou Diego.

Major Diego diz que governo do PT no Piauí atrasa a economia com altos impostos (Foto: Jailson Soares / PD)

Ainda segundo o pré-candidato, o governo estadual do PT dobrou o percentual desse imposto no estado de 17% até chegar nos 34% sobre o preço do litro que é cobrado atualmente. “Esse aumento abusivo feito pelos quase 20 anos do governo Wellington Dias só faz afastar os investidores e atrapalha a economia do estado. Com o imposto mais caro do país os investidores se afastam”, explica Diego.

O major afirmou que no seu plano de governo já há a proposta para redução de vários impostos. “O que o governo federal vem tentando fazer é limitar esses governadores irresponsáveis que, em alguns estados, têm aumentado a alíquota de impostos como o ICMS. É inadmissível que os governos estaduais ditem o preço da gasolina, por exemplo”, afirmou.

Pré-candidato do PL diz que adotará no Governo do Piauí a decisão do Governo Federal de zerar imposto sobre o diesel (foto: reprodução redes sociais)

Para o bolsonarista é preciso reduzir os impostos para aumentar os investimentos. “Porque não zerar o ICMS do diesel como o Governo Federal? O próprio Bolsonaro já afirmou que vai compensar essas perdas. Com essas reduções, a tendência é que o dinheiro circule na economia e se atraia mais investidores. A população, que economiza na gasolina, passa a ter mais dinheiro para comprar outros produtos. Esses produtos geram recursos para o governo, compensando o que deixou de ser arrecado com a redução de impostos [dos combustíveis], explicou Major Diego.  

Comente