Conselho Municipal de Transporte analisa estudo tarifário de passagens de ônibus

Conforme os dados apresentados, a proposta aprovada é de um percentual de 9,59% sobre o valor da tarifa vigente

29/01/2020 09:38

O Conselho Municipal de Transporte Coletivo de Teresina (CMTP) esteve reunido na última terça-feira (28) na sede da Strans para avaliar o estudo tarifário do transporte público. Conforme os dados apresentados, a proposta aprovada é de um percentual de 9,59% sobre o valor da tarifa vigente, que passaria de R$ 3,85 a passagem inteira para R$ 4,22 e a de estudante de R$ 1,28 para 1,40.  A passagem de estudantes equivale a 1/3 do valor da passagem inteira.

O Conselho referendou o estudo e os dados serão apreciados pelo prefeito Firmino Filho que irá decretar o valor real das tarifas inteira e de estudante para o ano de 2020. O estudo apresentado ao Conselho consta dados do custeio do transporte público, índices da inflação e metodologia dos cálculos da tarifa.  O CMTP é composto por representantes da sociedade (usuários, moradores, estudantes), empresas operadoras, taxistas, mototaxistas, transporte alternativo e o poder público municipal.

Para Trajano Paulo, presidente do Sindicato dos Permissionários de Transporte Alternativo de Teresina (Sintrapi), existe a necessidade de reajuste para manter o equilíbrio do sistema. “Existem custos com manutenção de veículos, despesas com pessoal e combustível. É um processo natural que tenha um acréscimo no valor das passagens”, argumenta.

Lidiane Oliveira, que representa a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) no Conselho Municipal de Transportes, destaca que, ao analisar os dados do estudo, compreende que o aumento é algo natural. “A planilha está com dados bem claros dos valores apresentados para o cálculo. Existe o contexto econômico e em virtude desse cenário de inflação e de custos com o serviço justifica a necessidade de reajuste da tarifa. Esperamos que chegue a um consenso razoável”, diz.

Weldon Bandeira, superintendente da Strans, destaca que essa medida é necessária para manter o equilíbrio do sistema.  “Reajuste de tarifa é previsto conforme cláusula contratual. Esse índice seria o máximo para que não houvesse subsídio por parte da Prefeitura”, diz.

Ele ressalta ainda que a Prefeitura de Teresina fez investimentos no sistema de transporte coletivo e atualmente não se observa congestionamento com ônibus por conta dos corredores e faixas exclusivas, cita também o conforto nas estações climatizadas, segurança nos terminais de integração e que já existem 98 ônibus que fazem o deslocamento entre os terminais e o centro, todos com ar condicionado. “Até 2022 todos os ônibus que fazem esse trajeto serão climatizados, conforme consta em contrato”, finaliza o gestor.

Fonte: PMT

Comentários (0)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
Notícias relacionadas
VEREADOR DESTINA R$ 304 MIL PARA SAÚDE
VEREADOR DESTINA R$ 304 MIL PARA SAÚDE
MP DISPENSA ESCOLAS DO CUMPRIMENTO DOS 200 DIAS LETIVOS
MP DISPENSA ESCOLAS DO CUMPRIMENTO DOS 200 DIAS LETIVOS
PP VAI STF PARA SUSPENDER PRAZO DE FILIAÇÕES
PP VAI STF PARA SUSPENDER PRAZO DE FILIAÇÕES
CIRO PUBLICA ARTIGO E DIZ QUE ADIAR ELEIÇÃO É ATO HUMANITÁRIO
CIRO PUBLICA ARTIGO E DIZ QUE ADIAR ELEIÇÃO É ATO HUMANITÁRIO