ACABOU A GRATIFICAÇÃO

PRESIDENTE DA FMS DIZ QUE GOVERNO FEDERAL CORTOU RECURSOS DO COMBATE À PANDEMIA E, POR ISSO, NÃO PODE PAGAR INSALUBRIDADE DE QUEM TÁ NA LINHA DE FRENTE

Marcos Melo Marcos Melo
19/01/2021 16:53

O atual presidente da Fundação Municipal de Saúde, Gilberto Albuquerque, alegou que a Prefeitura de Teresina vai deixar de pagar gratificação de insalubridade a quem está na linha de frente de combate à pandemia por culpa do governo de Jair Bolsonaro (sem partido). Ele aponta que o que estava sendo pago até aqui tinha lastro em recursos federais e que a PMT não consegue bancar nada além dos salários normais.

Gilberto Albuquerque representava Doutor Pessoa em solenidade de Wellington Dias e Florentino Neto quando falou que governo Bolsonaro cortou recursos para Teresina (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

SEM RECURSOS

Do alto da experiência de quem passou quase uma década ajudando o ex-prefeito Firmino Filho (PSDB) na gestão de Teresina, Gilberto Albuquerque lamenta que não há o que Dr. Pessoa (MDB) possa fazer neste momento para manter a gratificação que era paga na gestão anterior. “Acabou em 31 de dezembro”, afirmou.

PEDIRAM PRA VOLTAR

Outra polêmica também foi explicada pelo gestor. Apesar do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Teresina (SINDSERM) alegar que trabalhadores estão sendo obrigados a voltar aos postos de trabalho mesmo sendo do grupo de risco, Gilberto Albuquerque garante que a portaria assinada para que isso acontecesse foi um pedido dos trabalhadores, que estavam impedidos de trabalhar também na iniciativa privada.

Veja a entrevista completa!


Comente!

ANTERIOR

FEDERAL ELEITO PELA SESAPI: UMA TRADIÇÃO DO PT

PRÓXIMA

A FOME DO MDB E A GULA DO PT