A GESTÃO LETAL DE DOUTOR PESSOA

MESMO COM VACINA, TERESINA ATINGIU 1.000 ÓBITOS POR COVID-19 NA METADE DO TEMPO DO QUE SE VIU NA GESTÃO DE FIRMINO

Marcos Melo Marcos Melo
Francisco Filho Francisco Filho
24/05/2021 17:38 - Atualizado em 24/05/2021 18:53

Foram 38 semanas de pandemia para Teresina atingir a marca de 1.000 mortos por covid-19 na gestão do ex-prefeito Firmino Filho (PSDB). Infelizmente, na gestão de Doutor Pessoa (MDB) isso aconteceu com quase o dobro de velocidade: em apenas 21 semanas, 1004 óbitos. E o atual prefeito anda fingindo que o problema não é dele. Numa resposta constrangedora dada ao Política Dinâmica, o prefeito disse que o motivo disso acontecer é coisa que os jornalistas devem perguntar ao secretário de Saúde.

Pessoa mal conseguiu olhar para o repórter que perguntou sobre a velocidade com que os óbitos em decorrência da covid-19 crescem em Teresina sob sua gestão (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica)

Esperava-se mais de um prefeito que é médico. Porém, esses mil mortos não chegam a 0,5% dos 236.339 eleitores que votaram nele para comandar Teresina pelos próximos 4 anos. 

Pessoa teve um encontro na manhã desta segunda-feira (24) com o governador Wellington Dias (PT) para tratar exatamente do combate à pandemia. O prefeito tem se negado desde o início de sua gestão a agir em conjunto com o Governo do Estado nas medidas de restrição e isolamento social.

TERESINA: CAMPANHA POLÍTICA X VACINAÇÃO

Em 2020, a covid-19 era um doença de tratamento desconhecido. As redes hospitalares pública e privada não estavam preparadas para o desafio da pandemia. Na gestão de Firmino Filho, economista, a decisão administrativa da Prefeitura de Teresina foi pelo isolamento social mais rigoroso e o aumento da oferta de leitos e profissionais dedicados à linha de frente do combate à pandemia.

Os 5 últimos meses da gestão de Firmino foram de queda no número de óbitos. Foram no total 1.229 mortes de pessoas residentes na capital em decorrência do contágio pelo novo coronavírus.

Interessante observar que isso aconteceu de agosto a dezembro de 2020, praticamente o mesmo período das eleições (e das aglomerações de campanha), que em Teresina foram até o dia 29 de novembro, por força do segundo turno.

Em 2021, com vacinas disponíveis desde janeiro, a velocidade dos óbitos quase dobrou. A gestão de Doutor Pessoa optou por desativar hospitais de campanha e leitos exclusivos para tratamento de covid-19.

Dados da gestão de Firmino Filho em 2020 x dados da gestão de Doutor Pessoa em 2021 (fonte: Painel Covid-19 TERESINA - FMS)

Doutor Pessoa, médico, ainda contrariou decretos do Governo do Estado que apontavam a necessidade de fechamento parcial ou total do comércio em algumas ocasiões. E seguiu num ritmo de campanha eleitoral dando o mal exemplo de descaso com a pandemia.

Na gestão de Firmino, as três semanas com mais óbitos atingiram o número de 89 falecidos residentes em Teresina cada.

Na gestão de Doutor Pessoa, esse recorde letal foi batido por 4 semanas, com 98, 102, 119 e 96 óbitos de residentes, mesmo com 18,8% da população vacinada com a primeira dose de algum imunizante.

NÃO É COM ELE

"Vossa excelência faz esse questionamento com o secretário de saúde do município e do estado do Piauí", disse o prefeito ao ser questionado sobre as mortes acontecerem de maneira mais rápida em 2021 na comparação com 2020.

O PD insistiu para que ele comentasse os dados. "Tem não, por isso que eu disse. Não foi grosseria minha, não. Por isso que eu disse, que você [repórter] deve procurar os dados mais concretos e técnicos com os secretários", fugiu Doutor Pessoa.

Procurada, a assessoria da Secretaria de Saúde do Estado (SESAPI) informou que a Fundação Municipal de Saúde (FMS) poderia ter dados mais precisos, uma vez que o órgão estadual faz um acompanhamento geral de todos os municípios.

Pessoa se reuniu com Wellington, mas desde o início do ano tem feito confusão com decretos que confundem a população e contrariam o plano de combate à pandemia do Comitê de Operações Emergenciais (COE) do Piauí (foto: Jailson Soares | PoliticaDInamica)

O presidente da FMS, Gilberto Albuquerque não atendeu nem retornou as ligações Política Dinâmica.

Teresina é, sozinha, responsável por uma parcela de quase metade dos 5.697 óbitos registrados no estado do Piauí, embora tenha pouco mais de 25% de sua população.

No total, o Piauí já tem mais mortes por consequências da covid-19 em 2021 do que teve em 2020: foram 2.840 óbitos ano passado, enquanto este ano já são 2.857 mortos contabilizados até o último dia 19 de maio.

Mas ainda vai aparecer alguém pra discutir com os números. 

Comente!

ANTERIOR

A ARAPUCA ESTÁ ARMADA

PRÓXIMA

R$ 20 MILHÕES EM PROPAGANDA