40 NA ESPERA POR UTI

MÉDIA DE TEMPO NA FILA É DE 48H; SEGUNDO JORNALISTAS, ATENDIMENTO É BAGUNÇADO E JÁ TEVE GENTE QUE MORREU SEM ATENDIMENTO

Marcos Melo Marcos Melo
09/03/2021 17:51 - Atualizado em 09/03/2021 18:04

Que a contaminação por Covid-19 tem se alastrado mais rápido que a vacinação, já se percebe. Mas o colapso do sistema de Saúde do Piauí tem assustado até mesmo os mais experientes nas equipes de enfrentamento da pandemia. Neste exato momento, informa Luciene Formiga, gerente do Complexo Regulador do Estado, em média, 40 pacientes estão na fila aguardando por vaga em enfermaria ou UTI. A espera pode chegar até a 48 horas e ser decisiva em casos de pacientes graves.

Pela primeira vez, o Governo do Estado percebe o que é não contar com a retaguarda adequada da Saúde em Teresina; "um abraço do Doutor Pessoa" (foto: Jailson Soares | politicaDinamica.com)

E os casos que não são de Covid-19, pela mesma falta de planejamento e eficiência, estão se agravando também!

Segundo Luciene, em informações repassadas ao site Cidadeverde.com, esse pico já foi maior, nos meses de maio a julho de 2020, quando a fila chegou a ser de 60, em média.

Acontece que naquele momento, a pandemia era uma “novidade” e não havia plano de vacinação. Hoje a variante do vírus obriga um internamento maior e faz pacientes médios e graves ocuparem esses leitos por mais tempo.

DE QUEM É A CULPA?

Colocar parte da culpa nas pessoas faz parte do discurso político. “A população não está respeitando o isolamento”, dizem políticos na busca por se afastar de culpa. Mas o planejamento falhou até aqui. O trabalho social de educação também perdeu para as mensagens de que a pandemia seria vencida num discurso de propaganda e campanha eleitoral.

Gilberto e Florentino: PMT e Governo não conseguem planejar atendimentos de Saúde no meio da pandemia (fotos: Jailson Soares | politicaDinamica)

E detalhe: o Governo do Estado sabe, agora, o que é não ter a retaguarda adequada da maior máquina de prestação de serviços de Saúde do Piauí trabalhando como deveria. O despreparo da gestão do prefeito Doutor Pessoa (MDB) está expondo a falta de planejamento e eficiência histórica da gestão de Florentino Neto e do governador Wellington Dias (PT).

MORTE E BAGUNÇA

No último dia 5 de março de 2021, o apresentador Ieldyson Vasconcelos alertou em seu programa – o de maior audiência da TV piauiense durante as manhãs – que um “paciente não covid” morreu na fila de espera por uma UTI. Foi vítima de uma infecção por bactéria.

Esse retrato da falta de planejamento no combate a pandemia, também foi reforçado pelo depoimento do jornalista João Carvalho, que falou sobre seu pai, morto dias antes, vítima de câncer nos pulmões. Segundo João, frequentemente, seu pai era colocado na ala de Covid-19, onde sua doença pré-existente poderia ser agravada. Ainda nas palavras de João, o problema parece ser recorrente com outros pacientes.

Falta de planejamento é o mínimo para não dizer crime.

Veja:


Marcos Melo

Marcos Melo

Jornalista

Comente!

ANTERIOR

CRISE DE INSEGURANÇA

PRÓXIMA

ELE GOSTA É DE CACIQUES... ...POLÍTICOS!