NOTÍCIAS

NÃO PODE CHAMAR DE "EX"

MAIS UMA DE PETISTA: EM SÃO JOÃO DO PIAUÍ, GIL CARLOS NÃO QUER SER CONHECIDO COMO "EX-PREFEITO" E EXIGIU A CERIMONIAL CHAMÁ-LO DE "LÍDER"

05/01/2021 17:44

Após as eleições de 2020, vários petistas que deixaram o cargo de prefeito perderam a noção do ridículo. Em Altos, a petista Patrícia Leal não quis entregar as chaves dos gabinetes da Prefeitura para o novo prefeito Maxwell da Mariinha (MDB), que a derrotou nas urnas. Em Paes Landim, o petista Gutim também não quis deixar as portas abertas para o progressista Thalles Marques, novo prefeito, e o governador Wellington Dias -- primo do derrotado -- tomou de volta para o Estado um hospital municipal para acomodar a família.

Mas até na vitória tem chilique. Em São João do Piauí, o médico Gil Carlos proibiu o cerimonial de seu tio Ednei Amorim (MDB) de se referir a ele como "ex-prefeito".

Isso mesmo. Gil não quer ser chamado de "ex". No lugar disso, a ordem é que ele seja anunciado e cumprimentado em eventos como "líder político". Nas reuniões informais, "nosso líder". 

Gil ainda não sabe, mas tem coisa bem pior que ser chamado de "ex-prefeito" (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

Por certo, ociosidade não faz bem à cabeça. Mas em breve o ex-prefeito de São João do Piauí vai ter mais com o que se preocupar.

Quando o Ministério Público oferecer à Justiça denúncia contra ele por conta da fábula de dinheiro que sua gestão torrou em contratos de aluguel de veículos, vão chamá-lo de coisa bem pior do que "ex-prefeito".

Se duvidar, basta perguntar à "amiga" Pauliana Amorim (PL), prima da deputada federal Rejane Dias (PT). 

Ela já sabe como é.

Comente