Coluna Marcos Melo Política Dinâmica
NÃO PODE CHAMAR DE "EX"

MAIS UMA DE PETISTA: EM SÃO JOÃO DO PIAUÍ, GIL CARLOS NÃO QUER SER CONHECIDO COMO "EX-PREFEITO" E EXIGIU A CERIMONIAL CHAMÁ-LO DE "LÍDER"

05/01/2021 17:44 - Atualizado em 05/01/2021 17:58

Após as eleições de 2020, vários petistas que deixaram o cargo de prefeito perderam a noção do ridículo. Em Altos, a petista Patrícia Leal não quis entregar as chaves dos gabinetes da Prefeitura para o novo prefeito Maxwell da Mariinha (MDB), que a derrotou nas urnas. Em Paes Landim, o petista Gutim também não quis deixar as portas abertas para o progressista Thalles Marques, novo prefeito, e o governador Wellington Dias -- primo do derrotado -- tomou de volta para o Estado um hospital municipal para acomodar a família.

Mas até na vitória tem chilique. Em São João do Piauí, o médico Gil Carlos proibiu o cerimonial de seu tio Ednei Amorim (MDB) de se referir a ele como "ex-prefeito".

Isso mesmo. Gil não quer ser chamado de "ex". No lugar disso, a ordem é que ele seja anunciado e cumprimentado em eventos como "líder político". Nas reuniões informais, "nosso líder". 

Gil ainda não sabe, mas tem coisa bem pior que ser chamado de "ex-prefeito" (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

Por certo, ociosidade não faz bem à cabeça. Mas em breve o ex-prefeito de São João do Piauí vai ter mais com o que se preocupar.

Quando o Ministério Público oferecer à Justiça denúncia contra ele por conta da fábula de dinheiro que sua gestão torrou em contratos de aluguel de veículos, vão chamá-lo de coisa bem pior do que "ex-prefeito".

Se duvidar, basta perguntar à "amiga" Pauliana Amorim (PL), prima da deputada federal Rejane Dias (PT). 

Ela já sabe como é.

Marcos Melo

Marcos Melo

Jornalista

Comente!

ANTERIOR

POR QUE ROBERT NÃO FOI AO VELÓRIO?

PRÓXIMA

CIRO QUER GOVERNADORES E PREFEITOS INVESTIGADOS