Coluna Marcos Melo Política Dinâmica
A CANDIDATURA É DE CIRO

AO LADO DE MÃO SANTA E JVC, CIRO DEFENDE BOLSONARO, DÁ GARANTIAS À OPOSIÇÃO E APONTA QUE SÓ A VITÓRIA CONTRA WELLINGTON DIAS PODE MUDAR O PIAUÍ

27/04/2021 08:34 - Atualizado em 27/04/2021 11:34

Se havia dúvidas sobre a candidatura de Ciro Nogueira (PP) ao Governo do Estado, elas já não existem mais. Na manhã desta segunda-feira (26), o presidente nacional dos Progressistas deixou claro que não há alternativa que não seja a vitória contra Wellington Dias em 2022 para mudar a política do Piauí.

A oposição que assusta: Wellington Dias nunca enfrentou adversários tão unidos e com uma estrutura tão grande quanto a que está organizando Ciro Nogueira (foto: Marcos Melo | PoliticaDInamica)

Muitos políticos entendem que pelo fato dele ser presidente nacional do PP e ter uma vida política muito vinculada a Brasília, uma virtual candidatura não passaria de vaidade e que seria deixada de lado ano que vem por conta da necessidade de sua presença no cenário nacional. Confrontando essa ideia o pensamento de Ciro é o de que se ele não vencer em seu estado, sua envergadura política diminui.

Um detalhe importante que passou despercebido antes mesmo do evento: no último dia 22 de abril, no mesmo ato que reconduziu Ciro Nogueira à presidência nacional do Progressistas também foi aprovado um dispositivo no estatuto do partido: o de que um filiado pode acumular a presidência nacional da sigla e ser governador ao mesmo tempo.

Estão amarrando as pontas soltas.  

CIRO X WELLINGTON

Do mesmo jeito que qualquer candidato a governador indicado pelo atual governador será uma extensão do próprio Wellington Dias, quem quer que seja o candidato a governador pela oposição terá o apoio total de Ciro Nogueira e sua estrutura. O senador reconheceu que esperava ver o ex-prefeito Firmino Filho (PSDB) disputando a eleição de governador. Sem dar detalhes, falou de um jeito como se o entendimento já estivesse adiantado.

Ciro se diz tranquilo sobre apoio dentro e fora do partido e acredita que nem Lula nem a máquina do Estado salvam uma campanha do candidato de Wellington Dias (foto: Marcos Melo | PoliticaDInamica)

A morte inesperada "do melhor gestor do Brasil" -- palavras dele -- tirou a dúvida do tabuleiro. Ciro afirmou que será o candidato. "Sem obsessão" pelo título de governador, ponderou, entende que pode avaliar uma alternativa que se apresente melhor que ele mais adiante. Ninguém com menos chances, nem menos articulado, nem com menor estrutura. E essa pessoa não existe hoje, de acordo com as pesquisas das quais se tem notícia.

Questionado sobre a participação do ex-presidente Lula na campanha, Ciro disse entender que o tempo do petista passou e que uma virtual candidatura de Lula não representa mais o Brasil, mas apenas o interesse de poder do PT. Ao mesmo tempo, defendeu que apesar de discordar em vários aspectos da gestão de Jair Bolsonaro (sem partido) nunca viu um presidente tão bem intencionado quanto ele no Planalto. 

O TAMANHO DA CAMPANHA

Nas últimas eleições, Wellington Dias enfrentou adversários divididos e sem capilaridade no Piauí; mas em 2022, a história é outra, de acordo com Ciro Nogueira (foto: Marcos Melo | Politica Dinâmica)

Também não há mais espaço para qualquer dúvida sobre o tamanho da campanha que a oposição vai fazer. O que foi dito diante das câmeras aos convidados e expectadores já foi muito forte. Após a transmissão, com microfones desligados, o que foi dito ali certamente já chegou aos ouvidos de Wellington Dias.

E deve ter colocado um frio na barriga do governador.


Comente!

ANTERIOR

ESTRATÉGIA OU COVARDIA DO PSDB?

PRÓXIMA

PESSOA NAS MÃOS DO PT