'País não é propriedade de corruptos', diz procurador

Deltan Dallagnol defende mudanças na lei para aumentar punições.

09/12/2015 10:59 - Atualizado em 09/12/2015 13:07

Para o procurador da República e coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato no Paraná, Deltan Dallagnol, a maior efetividade no combate à corrupção no Brasil passa pela aprovação de medidas mais duras de punição aos envolvidos nestes crimes. Em entrevista ao G1, o procurador afirmou que “o Brasil não é propriedade privada dos corruptos”.

Nesta quarta-feira (9) é celebrado o Dia Internacional de Combate à Corrupção. A data será lembrada pelo Ministério Público Federal (MPF) em Brasília com um balanço dos resultados alcançados em 2015 no enfretamento à corrupção, além da divulgação do “Ranking Nacional dos Portais da Transparência”.

O MPF elaborou uma campanha nacional contra a corrupção no país. O órgão quer recolher 1,5 milhão de assinaturas para o projeto que cria medidas mais duras para combater a prática. Uma das medidas quer transformar corrupção em crime hediondo além de aumentar a pena prevista em lei. Só após a coleta de assinaturas, o MPF vai encaminhar o projeto para o Congresso Nacional. Até as 8h desta quarta-feira (9), tinham sido colhidas 842. 614 assinaturas.

Fonte: G1.

Comentários (0)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
Notícias relacionadas
Escolhidas as majestades do carnaval de 2020
Firmino faz prestação de contas e garante recursos para próximo prefeito
Corso de Teresina vai premiar 20 melhores fantasias no evento
Autoridades farão vistoria para coibir mendicância de venezuelanos nos sinais de trânsito