Selo

00:00
EFEITO CASCATA
PRECATÓRIOS: UMA PEDRA NO SAPATO DO GOVERNO

O PIAUÍ SOFRE COM DÍVIDAS HERDADAS DAS DÉCADAS DE 80 E 90 DO SÉCULO PASSADO, QUE SE SOMAM ÀS NOVAS DÍVIDAS E VÃO SENDO PASSADAS PARA OS GOVERNO SEGUINTES

16/06/2017 09:46 - Atualizado em 16/06/2017 14:31

Por Ananda Oliveira e Marcos Melo

A obrigatoriedade do pagamento dos precatórios e o prazo curto para que seja feito tem se revelado uma verdadeira pedra no sapato do governo do Estado. Tais valores correspondem a dívidas trabalhistas com servidores que entraram com ações contra o poder público. No Piauí, segundo o secretário da Fazenda Rafael Fonteles, 80% dos precatórios são derivados de ações coletivas dos sindicatos, como o Sinte-PI e o Sindicato dos Fazendários.

Governador tenta empréstimos para quitar precatórios (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

A fila de precatórios, segundo estimativa do Governo do Estado, corresponde a algo em torno de R$ 400 milhões. Desses, R$ 360 milhões devem obrigatoriamente ser pagos ainda em 2017, conforme o secretário.

Diante do quadro de crise econômica no Brasil, é sintomático que a economia piauiense também esteja assombrada pelo fantasma do atraso de pagamentos. No caso dos precatórios, como também em relação aos salários, o governo busca empréstimos como salvação para o problema.

A grande questão que gera críticas entre os opositores é: o governo contrai novas dívidas para pagar as antigas, criando uma bola de neve, já que o empréstimo constitui um novo débito. Assim, dívidas vão se renovando governo após governo.

A maior parte do montante de precatórios vem de dívidas das décadas de 1980 e 1990. Fonteles fala também em alongamento da dívida de precatórios. Essa é uma reivindicação unânime na equipe do governo, inclusive do próprio governador Wellington Dias (PT). A justificativa é que outros estados bastante endividados, como é o caso de São Paulo e Rio de Janeiro, tem o benefício. Enquanto isso o Piauí, sem dívidas com a União, deveria receber o mesmo tratamento.

Outro problema oriundo dessa dívida milionária é que o dinheiro devido poderia ser investido em obras e melhorias reais para o estado. Em 2013, o Piauí estava entre os maiores devedores de precatórios do Brasil, segundo dados de relatório do Tesouro Nacional. A dívida à época chegava a cerca de R$ 1 bilhão e 200 mil.

Comente!
Notícias relacionadas
INSEGURANÇA
DISCUSSÃO SOBRE SEGURANÇA DOMINA COMEMORAÇÕES DO ANIVERSÁRIO DE TERESINA
DISCUSSÃO SOBRE SEGURANÇA DOMINA COMEMORAÇÕES DO ANIVERSÁRIO DE TERESINA
POLÍTICAS PÚBLICAS
VEREADOR CRITICA CAMPANHA DE ANIVERSÁRIO DE TERESINA
VEREADOR CRITICA CAMPANHA DE ANIVERSÁRIO DE TERESINA
REFORMA POLÍTICA
“NÃO EXISTEM TANTAS IDEOLOGIAS PRA TER TANTOS PARTIDOS”, AFIRMA MAIA FILHO
“NÃO EXISTEM TANTAS IDEOLOGIAS PRA TER TANTOS PARTIDOS”, AFIRMA MAIA FILHO
REFORMA POLÍTICA
CIRO CRITICA FINANCIAMENTO PÚBLICO DE CAMPANHA E DEFENDE PLEBISCITO PARA DECIDIR SOBRE FUNDO PARTIDÁRIO
CIRO CRITICA FINANCIAMENTO PÚBLICO DE CAMPANHA E DEFENDE PLEBISCITO PARA DECIDIR SOBRE FUNDO PARTIDÁRIO