NOTÍCIAS

SEGUNDA GREVE DO DOUTOR PESSOA

COM 100% DA FROTA PARALISADA, TRABALHADORES DO TRANSPORTE PÚBLICO COBRAM PAGAMENTOS DA PREFEITURA E CRITICAM SOBRINHOS DE PESSOA QUE MANDAM NA STRANS

25/01/2021 09:24

Faltam 75 dias para acabar o prazo em que o prefeito de Teresina garantiu que os problemas do transporte público da capital seriam coisa do passado. Mas o futuro não é muito promissor nesse sentido, afinal, na data presente, Doutor Pessoa (MDB) enfrenta a segunda greve de trabalhadores do setor. Teresina amanheceu com 100% da frota de ônibus parada e centenas de milhares de pessoas prejudicadas.

Segunda greve de motoristas e cobradores em menos de 15 dias: sobrinhos de Doutor Pessoa nomeados para STRANS não estariam dando conta do serviço (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

De acordo com trabalhadores filiados ao SINTETRO (Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários do Piauí), a paralisação se deve ao fato da gestão de Doutor Pessoa ter dado “calote" em acordo feito anteriormente. Esses trabalhadores com quem o Política Dinâmica conversou criticaram o que consideram ter sido um erro do prefeito: ter colocado dois sobrinhos para comandar a STRANS (Superintendência de Transportes e Trânsito de Teresina).

O atual superintendente da STRANS, Bruno Pessoa, sobrinho do atual prefeito Doutor Pessoa, está interino no cargo. Outro sobrinho de Doutor Pessoa, o Major Cláudio Pessoa, é que foi escolhido para ocupar o cargo oficialmente. E não estariam dando conta das demandas da pasta. “O prefeito já errou aí, botando família para tomar conta das coisas, mas o que queremos mesmo é o cumprimento do acordo que temos a Prefeitura. Esse acordo é impessoal”, alega um motorista.

Durante a gestão do ex-prefeito Firmino Filho, a PMT se comprometeu a subsidiar vale alimentação e plano de saúde de motoristas e cobradores, em consequência das perdas financeiras do setor durante a pandemia de covid-19. O pagamento se daria entre os meses de outubro de 2020 até janeiro de 2021.

Sem transporte: o teresinense amanhece pela segunda vez no mês sem ter como ir trabalhar; motoristas e cobradores cruzaram os braços (foto: reprodução)

Já o presidente do sindicato, Ajuri Dias, afirma que a PMT está descumprindo um acordo feito há duas semanas com Bruno Pessoa.

Extra oficialmente, integrantes da PMT alegam que os usuários do transporte público da capital estão sendo vítimas de uma disputa interna do SINTETRO entre dois grupos que concorrem pelo comando do sindicato. Por esse motivo, a PMT não encara como greve o movimento de cobradores e motoristas do transporte público urbano da capital cruzarem os braços.

Em nota à imprensa, a STRANS repudiou o fato do SINTETRO atribuir a um dos sobrinhos do Doutor Pessoa a responsabilidade em realizar pagamento de ticket alimentação e plano de saúde dos trabalhadores do setor.

 Por sua vez, o secretário municipal de Finanças, Robert Rios, declarou a Prefeitura vai rever o acordo feito pela administração do

Comente