Coluna Marcos Melo Política Dinâmica
FÁBIO SÉRVIO NO PARTIDO DE JAIR BOLSONARO

MOVIDO PELO SENTIMENTO SOCIAL DE INDIGNAÇÃO E MUDANÇA, O EMPRESÁRIO ADMITE POSSÍVEL CANDIDATURA E GARANTE PALANQUE PARA JAIR BOLSONARO NO PIAUÍ

28/10/2017 09:55 - Atualizado em 28/10/2017 10:40


Experiente nos bastidores de campanhas eleitorais, Fábio se dispõe a ser ele mesmo candidato nas eleições de 2018 (foto: Marcos Melo | PoliticaDinamica.com)


Fábio Sérvio. Os piauienses vão passar a ouvir mais este nome. E o rosto que estampa a foto acima e o perfil determinado dele também serão reconhecidos mais facilmente no cenário político do Piauí daqui por diante. Dono do Jornal Diário do Povo, processado pelo governador Wellington Dias (PT) e movido, segundo ele, por um sentimento de compromisso social, Sérvio é agora presidente estadual do Partido Ecológico Nacional (PEN) que, em breve, passa a se chamar PATRIOTAS e é, também, a novo partido do polêmico deputado federal Jair Bolsonaro.

Fábio Sérvio estará à frente da estratégia de campanha do PATRIOTAS e garante que Jair Bolsonaro terá palanque digno no Piauí em 2018 (imagem: TSE-FiliaWeb)

Publicitário por formação — também estudou História e Direito —, Fábio já esteve à frente do marketing político de diversas campanhas eleitorais no Piauí e Maranhão. E ao que tudo indica, agora, vai sair dos bastidores para o protagonismo. A presidência do PEN no Piauí se tornou oficial na última sexta-feira (27). “É um momento que a sociedade precisa ocupar espaços com um único objetivo: corrigir as distorções políticas. É um tempo de novos nomes, de posições firmes, de novas práticas, de novas ideias. Está na hora de abrir as janelas e deixar o sol entrar para tirar o mofo da política brasileira”, avalia.


A própria filiação ao PEN não foi por acaso. Foi um alinhamento de sua postura crítica com a figura do deputado Jair Bolsonaro e uma necessidade de contestação do modelo político vigente no Piauí. “Bolsonaro representa uma ruptura com velhas práticas. Seu nome não tem envolvimento com nada que desabone sua história política. É sério. É coerente. Tem posição. Nasceu politicamente num momento em que o Brasil pede alternativas a um modelo político fracassado em razão da corrupção. Bolsonaro não está sozinho. Tem milhões de brasileiros e piauienses patriotas ao seu lado”, defende Fábio.

Fábio Sérvio acredita que qualquer cidadão de bem, homem ou mulher, de qualquer área de atuação deve se apresentar para buscar mudar os quadros políticos do Estado e do Brasil; a lógica é simples: "Cada pessoa boa que ocupa um espaço, significa um ladrão a menos" (foto: Marcos Melo | PoliticaDinamia.com)

O fato de ser proprietário do Jornal Diário do Povo — jornal mais acreditado do estado — não causa nele dúvidas sobre a existência de qualquer tipo de conflito de interesses, sejam os dele, do veículo ou, principalmente, os da sociedade por meio de cada leitor. “O jornal tem seu corpo de jornalistas formado por simpatizantes de todos os partidos e correntes políticas. A redação tem sua vida própria. Defendo a liberdade de imprensa e a independência de poderes. Não é um discurso. É a nossa alma aplicada dia a dia. Uma coisa é a empresa. A linha editorial do jornal. Outra coisa é o Sérvio. Cidadão. Brasileiro. Pai de família”, explica. Para ele, a mensagem maior é a de que pessoas de bem devem entrar na política, seguindo a lógica de que cada cidadão coerente que ocupar um espaço é menos um corrupto sentando numa cadeira num gabinete para roubar.


“Minha postura é crítica há vários governos. Há muito tempo. Sempre critiquei, com intensidade, o que achava ser errado. Sou cidadão brasileiro. Sou um profissional que ingressa na política para tentar construir outro caminho. Para atrair mais empresários, outros cidadãos sem ligações políticas. Gente de fora deste círculo vicioso. Assumo uma posição. Sou um profissional que entra na política  porque estamos cheios de políticos profissionais”, pondera. De fato, hoje, o próprio governador Wellington Dias move duas ações na Justiça contra o Diário do Povo e o Próprio Fábio Sérvio. O primeiro por conta de uma matéria que tratou das doações de campanha da JBS no Piauí em 2014; outra pela denúncia de suspeita de fraudes em contratos de transporte escolar.

Já houve uma primeira audiência sobre o processo da matéria sobre doações de Joesley Batista e da JBS ao PT e campanha de Wellington Dias; Fábio Sérvio apertou a mão do governador, mas recusou pedido de acordo em defesa do jornalismo (foto: Marcos Melo | PoliticaDinamica.com)

Fábio diz que entra na política partidária para debater os problemas sociais e agregar mais pessoas com capacidade para discutir e apresentar soluções para a gestão pública. E não foge da possibilidade de ser candidato, até mesmo a governador. “Quem está satisfeito nas áreas de segurança, Saúde, educação e desenvolvimento? Candidatura é uma construção de viabilidade e confiabilidade. É uma caminho a ser construído. Vamos receber nomes de valor. Ninguém é candidato de si. O Partido do Bolsonaro vai ter um candidato a governador. Apoiado por ele”, assegura.

Experiente em campanhas, Fábio é desconfiado com discursos de "mudança" quando saem da boca de políticos com décadas de mandatos sucessivos; "Não há resultado diferente se as pessoas são as mesmas", aponta (foto: Marcos Melo | PoliticaDinamica.com)

Sérvio garante que avalia com calma e determinação os caminhos que o cenário local apresenta para as eleições de 2018. “Estou tendo a coragem de sair do meu conforto para abrir as portas e convidar aqueles que querem contribuir para alternativas para essa política mofada. Não é fácil. Mas é importante se doar nesse momento”, comenta.


Inegavelmente, há um sentimento social que busca mudança. Se será Fábio ou alguém de seu partido, é aguardar.

Notícias relacionadas
FARRA SEM LICITAÇÃO
FARRA SEM LICITAÇÃO
PROJETO DO SENADO VAI MATAR GENTE
PROJETO DO SENADO VAI MATAR GENTE
BOLSONARO FOGE DAS EXPLICAÇÕES
BOLSONARO FOGE DAS EXPLICAÇÕES
4 MIL CASOS DE COVID-19 NO PIAUÍ
4 MIL CASOS DE COVID-19 NO PIAUÍ