Coluna Lídia Brito Política Dinâmica
DESVIOS DE RECURSOS
TCE VAI INTENSIFICAR FISCALIZAÇÃO DE DESVIOS NA EDUCAÇÃO

SEGUNDO O PRESIDENTE DO TRIBUNAL, EDUCAÇÃO É UMA DAS ÁREAS EM QUE OCORREM MAIS IRREGULARIDADES NO PIAUÍ

30/12/2017 09:55 - Atualizado em 30/12/2017 10:03

 O Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI) vai intensificar a fiscalização sobre os gastos do Estado e dos municípios nas áreas de saúde, educação e segurança pública em 2018. A informação foi dada pelo presidente da Corte de Contas, conselheiro Olavo Rebelo. Segundo ele, o objetivo é coibir fraudes e garantir a aplicação correta e efetiva do dinheiro público nessas áreas, que concentram a maior parte dos recursos orçamentários do Estado e dos municípios.

TCE vai ficar atento ao uso de dinheiro da educação em ano eleitoral (Foto:JailsonSoares/PoliticaDinamica.com)

Olavo Rebelo disse que saúde, educação e segurança pública respondem hoje pelo maior número de denúncias de irregularidades levadas pela população ao TCE-PI, por meio da Ouvidoria. “Em 2017, concentramos nossa fiscalização nas licitações, em todos os setores. Em 2018, vamos voltar as vistas principalmente para as áreas de saúde e educação,que concentram maior volume de recursos, e também para a segurança pública”,afirmou.

No caso da Educação, há uma série de denúncias de irregularidades no transporte escolar. A denúncia de um esquema de desvio de dinheiro envolvendo empresas que atuam no setor. Em ano de eleição, a vigilância com relação a esses casos deve ser intensificada. 

Olavo Rebelo lembrou que saúde e educação são as áreas que mais recebem recursos orçamentários, o que de um lado estimula a prática de corrupção e, de outro, exige um olhar diferenciado dos órgãos de controle e fiscalização. Os Estados e os municípios são obrigados por lei agastar 12% e 15%, respectivamente, de suas receitas em saúde; em educação, a obrigatoriedade alcança o mínimo de 25% das receitas tributárias para Estados e municípios.

“A aplicação desses percentuais mínimos é fiscalizada na análise e julgamento das prestações de contas, mas precisamos ter uma preocupação maior em garantir que esses recursos sejam utilizados corretamente e com os resultados que eles produzem nessas áreas”, observou. “Ou seja, não basta apenas o gestor aplicar os percentuais determinados em lei, mas fazê-lo da forma correta e com resultados concretos para a população”.

O presidente do TCE-PI disse que em 2017 o órgão focou sua atuação principalmente na fiscalização de licitações dos municípios e órgãos do Estado, e em auditorias e inspeções em obras e serviços em todos os setores. Esse trabalho resultou na suspensão de 95 processos licitatórios realizados pelos municípios e órgãos do Estado. Desse total,somente 39 licitações que seriam realizadas pelo Idepi (Instituto de Desenvolvimento do Piauí) totalizavam R$ 42 milhões.

Comentários (0)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
Notícias relacionadas
ALIANÇAS
PEN BUSCA SE REESTRUTURAR APÓS SAÍDA DE GRUPO DE BOLSONARO
PEN BUSCA SE REESTRUTURAR APÓS SAÍDA DE GRUPO DE BOLSONARO
DISPUTA
“ZIZA NÃO TEM CACIFE PARA FALAR EM NOME DO GOVERNADOR”, DIZ EVALDO
“ZIZA NÃO TEM CACIFE PARA FALAR EM NOME DO GOVERNADOR”, DIZ EVALDO
FÉRIAS
PROFESSORES PROTESTAM CONTRA ATRASOS
PROFESSORES PROTESTAM CONTRA ATRASOS
FISCALIZAÇÃO
PREFEITO QUE GASTAR COM CARNAVAL PODE TER CONTAS REPROVADAS
PREFEITO QUE GASTAR COM CARNAVAL PODE TER CONTAS REPROVADAS