Coluna Marcos Melo
  • quinta ,14 de janeiro de 2021, às 09:01h

    [Matéria atualizada às 07h02min - com informações oficiais da Assessoria de Comunicação da PF]

    A Polícia Federal acaba de confirma mais uma ação do Covidão do Piauí. A Operação Onzena também investiga fraudes em licitação e, agora, além da Secretaria de Saúde, também investiga a Fundação Estatal Piauiense de Serviços Hospitalares (FEPISERH), sob o comando do deputado estadual Pablo Santos, do MDB. 

    Veja o comunicado oficial da PF:

    OPERAÇÃO ONZENA

    PF deflagra Operação "Onzena" e em ação conjunta com a CGU, apura irregularidades em contratações de equipamentos de proteção individual (EPIs) e de testes rápidos para detecção da Covid-19. Prejuízo efetivo já identificado aos cofres públicos é da ordem de R$ 19 milhões.

    Teresina/PI: A Polícia Federal, em parceria com a Controladoria Geral da União (CGU/PI), deflagrou na manhã desta quinta-feira (14/01) a Operação "Onzena" decorrente de investigação policial que apura fraude em processos licitatórios e superfaturamento em contratos públicos firmados pela Fundação Estatal Piauiense de Serviços Hospitalares (FEPISERH), Secretaria de Saúde do Estado do Piauí (SESAPI), dentre outras instituições públicas, destinados ao combate do novo coronavírus (COVID-19) e custeados com recursos públicos federais repassados pelo Fundo Nacional de Saúde (FNS).

    A investigação teve início após ampla divulgação pela mídia local e trabalhos de auditoria realizados pelo TCE/PI e CGU/PI acerca de contratações superfaturadas realizadas pela FEPISERH, no valor de aproximadamente R$ 5,5 milhões, e SESAPI na ordem de R$ 30 milhões beneficiando uma empresa específica do Estado do Piauí.

    No curso das investigações foram analisados processos licitatórios, contratos, processos de pagamentos, notas fiscais, dentre outras diligências, que alinhados apontam um prejuízo efetivo ao erário federal de quase R$ 20 milhões decorrentes de contratos firmados pela FEPISERH e SESAPI. 

    A título de exemplo, a empresa sob investigação realizou a venda a entes públicos de itens como máscara N95, máscara cirúrgica descartável, dentre outros, em percentual de até 500% superior ao definido na nota técnica 05 da CGE/PI como o praticado no mercado mesmo em período da pandemia provocada pela COVID-19. Ainda durante auditoria realizada pelo TCE/PI na sede da SESAPI foi constatada aquisição de testes rápidos para detecção da COVID-19 classificados como “não conformes" pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

    Nesta fase da investigação estão sendo mobilizados 70 policiais federais e 8 auditores/técnicos da CGU/PI para o cumprimento de 17 mandados de busca e apreensão nos estados do Piauí e Maranhão, expedidos pela Justiça Federal do Estado do Piauí. O objetivo do cumprimento das medidas judiciais é colher elementos de prova que ratifiquem a tese de superfaturamento em contratações públicas realizadas pela FEPISERH e SESAPI no intuito de favorecer empresas específicas, dentre outras práticas criminosas.

    Os investigados poderão responder, na medida de suas culpabilidades, pelos crimes de associação criminosa (art. 288 do CP), fraude a licitação (art.89 da lei 8.666/93) e desvio de recursos públicos (art. 312 do CP) cujas penas somadas podem chegar a 20 anos de reclusão.

    A palavra “onzena” significa juros exorbitante/excessivo e faz referência aos contratos exorbitantes e superfaturados firmados entre entes públicos e empresa com forte atuação nos estados do Piauí e Maranhão.

    [Fim da Atualização]

    Na manhã desta quinta-feira (14), agentes da Polícia Federal amanheceram em frente à Dimensão Distribuidora, na Avenida Industrial Gil Martins. A empresa distribuidora de medicamentos e produtos hospitalares pertence ao empresário Jadyel Alencar, que em 2017 foi condenado por compra e venda de soro fisiológico roubado de dentro da Secretaria de Estado da Saúde do Piauí.

    O covidão no Piauí ganhou outra dimensão: o empresário celebridade Jadyel Alencar está sendo investigado (foto: Colaboração popular via Whatsapp | Facebook)

    Ainda não há maiores informações sobre a operação. Mas em busca rápida no portal da transparência do Governo do Piauí, é possível encontrar pelo menos R$ 38 milhões de reais empenhados por meio de dispensa de licitação. Em apenas um dos empenhos para pagamento, o valor é de R$ 13 milhões de reais.


    • R&G Feet
  • quarta ,13 de janeiro de 2021, às 20:01h

    Quando em 2018 a Polícia Federal foi à secretaria de Educação por força da Operação Topique, o governador Wellington Dias (PT) disse que era um “espetáculo” com objetivo de prejudicar sua campanha de reeleição. Agora, em 2021, ano que não tem eleição, o petista fala a mesma coisa sobre a Operação Campanile, que investiga fraudes em licitações dentro da Secretaria de Saúde envolvendo recursos federais para o enfrentamento da pandemia de Covid-19.

    Covidão: Wellington Dias criticou operação da PF ao lado do prefeito Doutor Pessoa em visita feita na manhã desta quarta-feira (13) (foto: Jailson Soares | Politica DInamica)

    O governador garante que o Estado fez tudo dentro da legalidade. E contou uma piada: “É lamentável que, pra poder pegar um celular, pegar um computador, [coisa que] poderia ter sido requerida, não é, e com toda a facilidade ser entregue”.  

    Sim, imaginem um ofício da Polícia Federal assim:

    “Senhor secretário Florentino Neto, suspeito de fraudar contratos do governo.

    A Polícia Federal está investigando o senhor há meses, mas neste momento precisamos de sua colaboração. Chegou o momento em que gostaríamos que o senhor nos entregasse seu celular e documentos que possam ligar o senhor ao suposto esquema.

    Solicitamos, também, que o senhor também possa nos disponibilizar os computadores de trabalho e equipamentos pessoais que possam conter outras informações sobre como se formou a quadrilha que pode estar assaltando os cofres públicos neste momento.

    Por fim, seria de grande ajuda que o senhor pudesse entrar em contato com os demais integrantes da suposta organização criminosa e solicitasse que eles, de boa vontade, também entreguem celulares e notebooks.

    Confiantes de que o governador Wellington Dias e sua equipe sempre estão disponíveis para colaborar no que for necessário, agradecemos desde já o pronto atendimento deste pedido.

    O dia e a hora para a entrega do material solicitado ficam a seu critério.

    Nos perdoe por qualquer incômodo.

    Atenciosamente,

    Equipe de Investigação da Polícia Federal”

    Na cabeça do governador Wellington Dias, talvez o ofício devesse ser impresso, inclusive, em papel de carta perfumado.

    Veja as declarações de Wellington no vídeo abaixo:

    Lamentável mesmo é ter que desconfiar de um governo em cada ato porque, de alguma maneira, a corrupção se instalou dentro dele, ao que parece, de maneira generalizada.

    O dinheiro federal que chegou ao Piauí e já foi gasto no combate à pandemia chega a um volume de R$ 530 milhões. Os R$ 33 milhões investigados pela Operação Campanile não chegam a ser 10% desses recursos.

    Nos bastidores da política, quem conhece a gestão de Wellington Dias sabe que isso aí tem tudo para ser apenas a ponta do iceberg. Afinal, a porcentagem com a qual trabalha esse governo é bem maior.  

    • R&G Feet
  • terça ,12 de janeiro de 2021, às 11:01h

    Na manhã desta terça-feira (12) a Polícia Federal visitou a Secretaria de Estado da Saúde do Piauí. A SESAPI é comandada pelo ex-prefeito de Parnaíba, Florentino Neto, dentro do governo de Wellington Dias, ambos do PT. Uma centena de agentes da PF cumpriram 18 mandados de busca e apreensão em Teresina, Parnaíba, Joca Marques e, fora do Piauí, em Pelotas-RS e São Paulo-SP. Denominada de Operação Campanile, a ação também contou com a participação de auditores da Controladoria-Geral da União.Wellington e Florentino: a gestão petista da Saúde do Piauí na mira da Polícia Federal (foto: Instagram)

    FRAUDE, FALSIDADE E ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA

    As ordens judiciais cumpridas hoje foram expedidas pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (o mesmo tribunal que autorizou as investigações da Operação Topique) e denotam a prática de crimes de fraude à licitação por ajuste que inviabiliza o caráter competitivo e por elevação arbitrária dos preços, falsidade ideológica e organização criminosa e têm o intuito de aprofundar as investigações acerca de irregularidade nos processos de dispensa de licitação bem como de execução dos contratos.

    A PF estacionou foi cedo na SESAPI, investigada em contratos suspeitos de fraude (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    A PF está buscando mais informações sobre o pagamento de R$ 33.725.000,00 por meio de dispensa de licitação a apenas 3 empresas fornecedoras de equipamentos hospitalares, medicamentos, insumos e estruturas modulares para a instalação de hospitais de campanha (temporários). Os contratos foram custeados com recursos do Fundo Nacional de Saúde e Ministério da Saúde desde a decretação do estado de calamidade em razão da pandemia de Covid-19.

    PF E CGU: agentes e auditores estiveram no gabinete do secretário Florentino Neto; no detalhe, a foto de um governador sorridente (foto: ASCOM PF)

    ESQUEMA NA SESAPI: GASTOS EXCESSIVOS

    Desde o início da emergência sanitária da pandemia de coronavírus, a PF e a CGU perceberam contratos suspeitos sendo assinados dentro da Secretaria de Saúde do Piauí. Inclusive com empresas que não possuem condições técnicas de atender as necessidades da secretaria. A dispensa de licitação na SESAPI deixou de ser exceção para ser a regra dentro da pasta. E, ainda assim, os processos administrativos estariam divergindo da legislação específica para este momento de crise, inclusive, sem a devida publicidade.

    As empresas contratadas pela SESAPI não possuíam quantidade de produtos para atender a demanda nem produtos que atendessem as especificações ou o prazo especificado. Em alguns casos, nem eram reconhecidas como fornecedoras desses produtos específicos.

    Também foi identificado um preço bem maior que o de mercado, implicando em gastos excessivos pela SESAPI.

    "Campanile" é uma palavra de origem italiana. Em seu sentido literal significa torre que contém sinos. No sentido figurado é "interesse de pequeno grupo de indivíduos” em alusão aos núcleos organizacional e empresarial investigados.

    • R&G Feet
  • segunda ,11 de janeiro de 2021, às 13:01h

    Crise no transporte público da capital. Com apenas 11 dias de mandato, o novo prefeito de Teresina já enfrenta sua primeira greve.  Motoristas e cobradores do Consórcio Theresina cruzaram os braços e os ônibus não saíram das garagens da empresa Taguatur, que faz parte do consórcio, na manhã desta segunda-feira (11).

    Motoristas e cobradores paralisaram atividades; Zona Sudeste ficou inteiramente desabastecida do serviço nesta segunda-feira (foto: Reprodução)

    De acordo com o SINTETRO (Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários do Piauí), a manifestação não foi organizada pelo sindicato e é uma iniciativa dos próprios trabalhadores.

    À TV Cidade Verde, o presidente do SINTETRO, Ajuri Dias, explicou que para a entidade continua valendo o acordo com a Prefeitura de Teresina, firmado no final do ano passado durante a gestão do ex-prefeito Firmino Filho (PSDB), no qual a PMT se comprometeu a subsidiar o tíquete alimentação e o plano de saúde entre outubro de 2020 e janeiro de 2021. E garantiu que a PMT tem honrado o acordo.

    Ajuri ainda explicou que o problema vivido pelos trabalhadores do Consórcio Theresina é que a empresa está pagando por hora trabalhada -- e não pela jornada de 7 horas e 20 minutos diária -- mesmo com o fim da validade da Medida Provisória do Governo Federal que permitia a redução durante a pandemia.

    Essa é a primeira greve da gestão de Dr. Pessoa e logo no setor que ele disse que arrumaria primeiro em sua gestão (foto: Jailson Soares | reprodução | politicaDinamica.com)

    Ao assumir a Prefeitura, Dr. Pessoa garantiu que em 100 dias resolveria o problema do transporte público urbano da capital. Faltam 89 dias para acabar o prazo.

    Apesar do contato feito com a Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Teresina, nenhum comentário foi enviado pelo poder público municipal até o momento da postagem deste conteúdo.

    Por meio de sua assessoria, o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) alegou que não responde por questões individuais e que o problema atinge somente uma das cinco empresas que fazem parte do consócio, a Taguatur.

    O espaço está aberto para manifestação dos citados.

    • R&G Feet
  • sábado ,09 de janeiro de 2021, às 13:01h

    Dentro do MDB, todos sabem que é o secretário Rafael Fonteles (PT) o preferido de Wellington Dias (PT) para a sua sucessão. Mas se as circunstâncias obrigarem o governador a ceder a cabeça da chapa ao MDB -- já que o PT já vai ocupar a vaga de senador, sendo ele próprio o candidato --, o senador Marcelo Castro não parece ser um nome de consenso no partido: o deputado estadual Themístocles Filho – presidente da ALEPI – quer a vaga também.

    Até que o MDB se una em torno de um nome, deve haver uma disputa grande entre os dois principais caciques da sigla.

    Depois de ter sido retirado de dentro da gestão de Firmino Filho (PSDB) em 2017 e ter sido rifado da chapa de Wellington Dias em 2018, Themístocles chega fortalecido para 2022, reeleito presidente da Assembleia Legislativa e sendo fiador da vitória de Dr. Pessoa na capital. O recado foi dado ao governador petista em 2020. O presidente da ALEPI planejou a derrota de Firmino bancando a vitória Dr. Pessoa. E no comando da Alepi por 18 anos, tem plena condição de fazer o mesmo contra Wellington se perceber movimentos de outra traição dentro do Karnak.

    Durante a visita de Baleia Rossi a Teresina os planos do MDB para 2022 foram tema de conversas informais. Rossi é presidente nacional da sigla. Segundo fonte próxima ao governador Wellington Dias, o petista teria solicitado a Baleia que, passada a eleição da Câmara Federal, estimulasse Marcelo Castro a ter uma postura mais proativa em relação a 2022. A avaliação da fonte é de que o senador tem sido cauteloso demais nos bastidores e isso estaria abrindo espaço para Themístocles articular uma candidatura de governador – e não de vice (pare ele ou para o filho dele, o deputado federal Marco Aurélio) como se fala abertamente.

    Ciro está voltado ao cenário nacional com Bolsonaro; falta de candidato competitivo na oposição favorece articulação de Themístocles (foto: reprodução | Instagram)

    A empolgação de Themístocles também seria fruto da possibilidade do governo não ter adversário viável para a disputa. Hoje, o senador Ciro Nogueira (PP) é tido como principal nome do que se chama de “oposição”, mas sua candidatura tende a não se confirmar, vez que as atenções dele estão no plano nacional e na possível reeleição de Bolsonaro, quem sabe, com ele de vice.

    Os deputados do MDB estão divididos sobre o assunto e preferem não fazer comentários que possam desagradar qualquer um dos dois.

    • R&G Feet
  • quinta ,07 de janeiro de 2021, às 22:01h

    Após a estratégia de concentrar candidatos "mais robustos" em apenas 3 partidos nas eleições de 2022 ter vazado de dentro do Palácio de Karnak, uma fonte ligada à deputada federal Marina Santos assegurou ao Política Dinâmica que o Solidariedade já despachou a conversa com o governador Wellington Dias (PT). Uma candidatura governista vai contar com total apoio da sigla, mas a sigla não vai mudar a estratégia eleitoral.

    De boa na lagoa: segundo fonte, Evaldo vai conduzir o crescimento do SDD onde outros partidos vão encolher (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    Segundo a fonte, uma virtual mudança de partido do deputado estadual Evaldo Gomes é tem chance "zero" de acontecer. Pelo contrário: Evaldo vai comandar todo o processo do Solidariedade, inclusive com liberdade total de articulação oferecida pela deputada federal Marina Santos e seu marido, Marcus Vinícius, ex-prefeito de Novo Oriente.

    Para justificar a autonomia dada agora a Evaldo, inclusive, a fonte frisou que Marcus e Marina reconheceram o erro de ter contestado a estratégia traçada por ele na eleição municipal de Teresina. "Se tivessem escutado o Evaldo, o Gustavo Gaioso teria sido eleito também, mas perderam essa cadeira do grupo na Câmara por duvidar dos cálculos dele. Eles sabem disso", disse sem entrar em detalhes, apesar da nossa insistência.

    Grupo do ex-prefeito Marcus Vinícius já teria dado total autonomia à Evaldo para articulações (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    Mas voltando ao plano estadual para 2022, nenhum pedido do governador Wellington Dias, assegura, vai desmanchar o partido. Como quem não gosta da pessoa, mas tem que dar o braço a torcer, a fonte ainda disse que "esse Evaldo" vai juntar a maior quantidade de candidatos "com votação de média para baixo" para as eleições futuras. E revelou que alguns deputados com mandato neste partidos que Wellington quer desmanchar já estão em conversa avançada para se abrigarem no Solidariedade.

    É esperar para ver.

    • R&G Feet
  • terça ,05 de janeiro de 2021, às 20:01h

    Após as eleições de 2020, vários petistas que deixaram o cargo de prefeito perderam a noção do ridículo. Em Altos, a petista Patrícia Leal não quis entregar as chaves dos gabinetes da Prefeitura para o novo prefeito Maxwell da Mariinha (MDB), que a derrotou nas urnas. Em Paes Landim, o petista Gutim também não quis deixar as portas abertas para o progressista Thalles Marques, novo prefeito, e o governador Wellington Dias -- primo do derrotado -- tomou de volta para o Estado um hospital municipal para acomodar a família.

    Mas até na vitória tem chilique. Em São João do Piauí, o médico Gil Carlos proibiu o cerimonial de seu tio Ednei Amorim (MDB) de se referir a ele como "ex-prefeito".

    Isso mesmo. Gil não quer ser chamado de "ex". No lugar disso, a ordem é que ele seja anunciado e cumprimentado em eventos como "líder político". Nas reuniões informais, "nosso líder". 

    Gil ainda não sabe, mas tem coisa bem pior que ser chamado de "ex-prefeito" (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    Por certo, ociosidade não faz bem à cabeça. Mas em breve o ex-prefeito de São João do Piauí vai ter mais com o que se preocupar.

    Quando o Ministério Público oferecer à Justiça denúncia contra ele por conta da fábula de dinheiro que sua gestão torrou em contratos de aluguel de veículos, vão chamá-lo de coisa bem pior do que "ex-prefeito".

    Se duvidar, basta perguntar à "amiga" Pauliana Amorim (PL), prima da deputada federal Rejane Dias (PT). 

    Ela já sabe como é.

    • R&G Feet
  • terça ,05 de janeiro de 2021, às 13:01h

    O PD entrou em contato com o ex-governador Wilson Martins (PSB). Nos bastidores fala-se na possibilidade dele voltar a fazer parte de uma gestão de Wellington Dias (PT). Com uma reforma administrativa se desenhando no horizonte breve -- o governador quer preparar a máquina para 2022 --, já tem gente fazendo o meio de campo para esse retorno. Wilson não descarta.

    Nos últimos 7 anos, os caminhos de oposição a Wellington percorridos por Wilson foram de derrotas; o certo é voltar agora? (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    -- Acabo de saber que o governador está lhe sondando para reintegrar a gestão dele, numa reforma que deve acontecer no fim de janeiro e início de fevereiro deste ano. Você e Wellington juntos outra vez? -- foi a pergunta.

    -- Independentemente de sermos aliados ou não, sempre mantive uma relação respeitosa e fraternal com o governador, mas sobre isso, não há absolutamente nada de concreto! -- foi a resposta de Martins.

    O PD insistiu. O próprio governador Wellington Dias ou alguém em seu nome já teria lhe feito uma visita? Mandado alguma mensagem?

    Wilson foi contido na resposta, mas deu a "senha" de que nada é impossível. Comentou que, ocasionalmente, quando os dois se encontram em eventos sociais, "sempre há acenos, o que é absolutamente natural". E revelou que amigos em comum dos dois demonstram entusiasmo com esta possibilidade de reunião.

    -- Apenas isso! -- finalizou.

    Aos terraplanistas, recomendamos não duvidar muito do movimento de rotação da Terra.

    • R&G Feet
  • segunda ,04 de janeiro de 2021, às 21:01h

    Uma das eleições mais fáceis no Piauí em 2020 aconteceu em Parnaíba. Na segunda maior cidade do estado, o prefeito Mão Santa (DEM) foi para uma reeleição tranquila, chegando a 68,34% dos votos, bem mais do que o dobro do segundo colocado, candidato de Wellington Dias (PT), que não passou de 26,41%. Uma vantagem d mais de 32 mil votos num universo de 76 mil votos válidos. E parte desse resultado, -- rejeitem alguns, gostem muitos outros -- é resultado da atuação da principal figura da gestão dele nos últimos anos: a filha, Gracinha Moraes Souza. A partir daí, Brasília parece ter ficado mais perto.

    Gracinha já acumulava três secretarias na gestão anterior e parnaibanos entenderam a confiança de Mão Santa nela (fotos: Redes Sociais)

    Nos bastidores da política, Gracinha já figura nas listas de candidaturas competitivas para disputar uma das 10 vagas piauienses na Câmara Federal.

    Gracinha vai comandar a Secretaria de Infraestrutura, Habitação e Regularização Fundiária e, ainda, a Secretaria de Serviços Urbanos e Defesa Civil e a Empresa Parnaibana de Serviços (EMPA). Ao Política Dinâmica, Gracinha lembrou que já acumulava as três pastas anteriormente e que elas prestam serviços interligados, assim, existe uma noção maior do poder público sobre o que acontece em cada uma e uma resposta mais rápida para a população.

    Sobre o resultado das urnas, ela acredita que foi uma soma de esforços, mas confere todo o mérito ao pai. "Foi dedicação, trabalho, austeridade, compromisso de todos que compõem a equipe e principalmente da grande experiência do gestor municipal, o prefeito Mão Santa, o único eleito e legítimo representante da população de Parnaíba", fez questão de enumerar ao PD.

    "Todo mérito ao prefeito": Gracinha alega que Mão Santa é o grande e legítimo líder de Parnaíba (foto: Facebook)

    Quanto à possibilidade de disputar uma cadeira de deputada federal, Gracinha preferiu a prudência de não comentar por enquanto.

    Mas fez questão de não descartar.


    • R&G Feet
  • segunda ,04 de janeiro de 2021, às 18:01h

    A militância governista espalhou nas redes sociais durante toda a manhã desta segunda-feira (4) que o médico Vinícius Dias, filho do governador Wellington Dias (PT), iria disputar uma vaga de deputado estadual em 2022. No início da tarde, a assessoria do petista negou a informação, mas não antes dela causar algum estrago nos bastidores do governo.

    Wellington negou que o filho Vinícius vá disputar cadeira na Alepi, mas a informação foi espalhada pela militância digital ligada ao Karnak, à Alepi, ao MDB e outros partidos de sua base (foto: Instagram)

    Mensagens com uma foto de Vinícius e a alegação de que "promete ser destaque nas eleições de 2022" foram espalhadas por perfis conhecidos pela militância em favor da gestão de Wellington Dias. Também ganhou grupos de servidores do governo e de lideranças partidárias. De forma oficial ou não, é fácil comprovar que os mesmos perfis fizeram campanha digital bastante ativa para Wellington Dias em 2018; e para as campanhas de prefeito do deputado Fábio Abreu (PL), derrotado, e do Dr. Pessoa (MDB), eleito em Teresina.

    Curiosidade: imagem utilizada nas postagens sobre candidatura de Vinícius à Alepi é inclusive parte de uma foto dele dentro de um jatinho; tempos atrás ela circulou com a notícia de que o filho do governador utilizou indevidamente recursos do Estado (foto: Whatsapp | Código do Poder)

    O Política Dinâmica conversou com integrantes do Governo do Estado, da base de Wellington Dias na Assembleia Legislativa e filiados do PT. Segundo a Coordenadoria de Comunicação do Estado, Wellington Dias "nega totalmente" uma possível candidatura de Vinícius e assegura que o médico não tem plano político. Ainda por meio da CCom, o governador disse que a família apoia Vinícius na carreira profissional.

    VINÍCIUS É REU POR IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA

    Em 3 de abril de 2019, o filho de Wellington Dias virou réu num processo de improbidade administrativa. O processo ainda corre na justiça e aguarda conclusão de depoimentos. A ação foi proposta pelo Ministério Público Estadual, e trata sobre utilização de um jatinho para deslocamento entre Teresina e o litoral piauiense e hospedagem em pousada de luxo, tudo pago com recursos público sem previsão legal para isso.

    A militância digital que faz favores para Wellington Dias e sua base lembraram hoje do episódio em que o filho do governador virou réu por improbidade administrativa (charge: Izânio | PoliticaDinamica.com))

    BASE E PETISTAS REAGIRAM

    "Não tem quem dê conta de tanta fome de poder", disse uma petista histórica com quem o Política Dinâmica teve contato. Pela proximidade com a vice-governador Regina Sousa, e para evitar constrangimento no trabalho -- é comissionada no governo -- ela pediu anonimato do nome, mas fez questão de apontar: "Cheio de gente querendo trabalhar, gente que deu o sangue e o suor no meio da rua por esse projeto, e ele vai lá e tira a mulher do bolso. Na hora que ele misturou família, começaram os escândalos. Vocês viam escândalo antes da Rejane ser deputada? Antes dela ser secretária?", comentou.  

    A fonte se refere ao fato de Rejane Dias, esposa de Wellington e mãe de Vinícius, ter sido eleita uma vez deputada estadual e duas vezes deputada federal utilizando a estrutura do Governo do Estado e a influência do marido. Quanto ao escândalo, a questão é relacionada à Operação Topique, o maior desvio comprovado de recursos públicos da história do Piauí, que aconteceu quando a Secretaria de Educação era comandada por Rejane.

    Peso grande: em 2022, Wellington já vai ter que carregar o peso da campanha da esposa, a pior deputada do Piauí segundo o Ranking dos Políticos 2020 (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    Um deputado de partido aliado resumiu o sentimento da base. "Rapaz, eu falei com uns colegas aqui, se não for no nosso partido nem vier querendo tomar colégio eleitoral nosso, não tem problema. Lá dentro do PT, eles que se resolvam. Mas o governador não vai lançar o filho, anote aí. Deve ser 'fake news'. É ruim pra imagem dele e termina sendo ruim pra todo mundo, pro candidato ao governo dele, pro senador dele, pra história que a campanha vai contar", comentou. 

    Outro petista, que atualmente ocupa vaga na ALEPI, rejeitou a informação. Mas demonstrou bastante desconfiança em relação a Wellington. "Não acredito que seja verdade. Até porque se for verdade, vai ser confusão lá na frente. O governador é habilidoso, mas levar três candidaturas dentro de casa é complicado. Duas candidaturas federais e outra estadual. Vai sacrificar qual companheiro desta vez?", disse.

    WELLINGTON: SENADOR OU DEPUTADO?

    O Política Dinâmica questionou o deputado sobre as "duas candidaturas federais". A resposta foi a de que Wellington deve candidatar-se novamente ao Senado e, Rejane, à Câmara Federal. "Mas lá em Brasília alguns dos nossos companheiros acreditam que Wellington pode ser um bom puxador de votos, então se ele fosse federal, tem chance do PT fazer uma bancada de 4 ou 5 deputados. Então a gente veria um outro quadro pro Senado. Temos outros bons nomes", explicou.

    • R&G Feet
  • sábado ,02 de janeiro de 2021, às 16:01h

    No município de Paes Landim, o primeiro dia da nova gestão municipal foi de confusão. Isso porque o primo do governador Wellington Dias, o ex-prefeito Gutemberg Moura Araújo, o Gutim do PT, se recusou a entregar a prefeitura para o novo prefeito, Thales Marques, do PP.

    Não é só Rejane Dias que tem parente dando problema, como é o caso de Pauliana Ribeiro Amorim em sua terra natal, São João do Piauí; a 85km dali, Wellington Dias tem um primo problema também, o Gutim, do PT (foto: Facebook.com)

    Lá não houve transição. Em apenas uma manhã, a gestão do primo de Wellington Dias apontou algumas informações da gestão e só.  

    O Serviço de Atendimento Médico de Urgência, o Samu, foi trancado e na Unidade Mista de Saúde Félix Barroso da Silva, o novo prefeito foi impedido de ter acesso a documentos.

    A população da cidade ficou revoltada. Foi uma noite tensa.

    Thalles Marques, o novo prefeito de Paes Landim, teve que acalmar os ânimos da população revoltada com a atitude dos petistas (foto: reprodução)

    Na Unidade Mista de Saúde, funcionários e comissionados da gestão anterior se recusaram a entregar chaves, repassar informações e impediram a entrada do prefeito eleito. A alegação era de que de que a UMS agora é de responsabilidade administrativa do Governo do Estado. Ainda assim, nenhum documento tratando disso foi apresentado.

    Neste sábado, dia 2 de janeiro de 2021, o novo prefeito confirmou que a UMS que leva o nome do avô de Wellington Dias foi “desmunicipalizada”, a única nesta situação da qual se tem notícia no Piauí. E no último dia 28 de dezembro, o governador já nomeou seus parentes para cargos no local.

    A informação é de que o Estado quer a unidade para manter cargos a parentes e aspones na cidade, já pensando as eleições de 2022.

    Isso porque a UMS em Paes Landim é praticamente a própria Secretaria de Saúde, dado o tamanho de seu quadro de funcionários e os recursos necessários para mantê-la. Agora, Wellington pode destinar recursos para gestão de seus parentes sem que passar pela Prefeitura de Paes Landim.

    O SAMU foi fechado também. As chaves das ambulâncias foram trancadas dentro. Ontem e hoje, a população de Paes Landim não pode adoecer.

    Mas a confusão da Saúde não foi o único problema. O novo prefeito e sua equipe encontraram uma frota de veículos da Prefeitura completamente depenada. Alguns veículos, inclusive que rodavam durante a campanha e até os últimos dias de 2020, quando o próprio governador Wellington dias esteve na cidade.

    Veja o vídeo!


    • R&G Feet
  • quarta ,30 de dezembro de 2020, às 17:12h

    No último dia 18 de dezembro, a Justiça determinou que fossem suspensos todos os pagamentos para M. Abreu & Oliveira LTDA pela Prefeitura Municipal de Castelo do Piauí. Essa é a razão social do Comercial Neto, empresa investigada por fazer parte de um suposto esquema de desvio de recursos da merenda escolar da rede municipal. Segundo o Ministério Público, o prefeito Magno Soares, do PT, também faria parte do esquema.

    Magno Soares: prefeito reeleito em disputa apertada em 2020 é suspeito de ter participado de esquema para desviar recursos da merenda escolar no município de CAstelo do Piauí (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    O juiz Raniere Santos Sucupira, da Comarca de Castelo, ainda fixou uma multa de R$ 50 mil reais em caso de descumprimento de sua decisão. Para o magistrado, a Ação Civil Pública movida pelo Ministério Público tem natureza grave. Segundo o promotor Ricardo Lúcio Freire Trigueiro, o esquema conta com a colaboração do prefeito e de membros do primeiro escalão da atual gestão municipal.

    No relato do MP, entre os anos de 2017 e 2019, o valor que a Prefeitura pagou em merenda escolar é absolutamente desproporcional à evolução da quantidade de alunos da rede municipal.

    Em 2016, quando o prefeito não era Magno Soares, Castelo possuía 3.814 alunos matriculados na rede municipal. Naquele ano, a merenda escolar custou ao todo R$ 345.040,35 aos cofres públicos. Em 2017, quando o prefeito petista chegou ao poder, o alunado cresceu 1,6%, chegando a 3.877 matriculados. Mas o valor da merenda disparou 71,5%, quase dobrando de valor e somando R$ 591.903,85 ao final do ano. Em 2018, o número de alunos caiu para 3.843 (um decréscimo de 0,9%) e, ainda assim, mais uma vez subiu o valor da merenda. A Prefeitura pagou R$ 893.338,10, um aumento de 50,9% em relação 2017 e um salto de 158,9% em relação ao ano imediatamente anterior à gestão de Magno Soares.

    Em 2020, ano em que o mundo parou por conta da pandemia de coronavírus e as aulas presenciais foram interrompidas, os pagamentos de merenda continuaram. De janeiro a setembro deste ano já foram R$ 651.423,66 pagos para bancar o lanche dos alunos que, na prática, não estavam na sala de aula.

    Só pelos valores, já dava para desconfiar. Mas a história não acaba na matemática desproporcional dos pagamentos. Tem mais coisa pelo meio.

    Wellington Dias, Rejane Dias e Magno Soares: escola petista só em funcionado pra esquema do Piauí; Operação Topique para desvio de recursos do transporte escolar e Ação Civil Pública contra desvio de recursos da merenda escolar (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    O Comercial Neto, empresa que venceu a licitação feita na gestão de Magno para fornecer a merenda, pertence a uma professora: Magnólia de Abreu Lima. Ela é servidora da rede municipal de Castelo e, inclusive, é comissionada na Secretaria Municipal de Educação no cargo de coordenadora. Ela e o marido, Anísio Cardoso de Freitas Neto, conhecido como Neto Santana, possuem estreita relação pessoal e política com o prefeito.

    O Ministério Público entende ainda que a licitação foi direcionada especificamente para a vitória da empresa de Neto e Magnólia. Na ação civil pública iniciada pelo promotor Ricardo Lúcio Freire Trigueiro, foi pedida a indisponibilidade de bens no valor de R$ 4,5 milhões de reais do prefeito Magno Soares; de Magnólia e Neto, os donos do Comercial Neto; de Antônio Francisco Barbosa de Araújo, secretário de Governo; de Aleks “Bandeira” Sousa de Oliveira, presidente da Comissão Permanente de Licitação; e de Arthur Lincoln de Amorim, o pregoeiro.

    Nas eleições de 2020, Magno Soares foi reeleito para mais 4 anos de mandato. Castelo do Piauí teve uma das mais disputadas eleições do Piauí, sendo de apenas 0,9% a diferença entre o primeiro e o segundo colocado.

    Mas esse dinheiro todo a mais da merenda, terá feito grande diferença nas eleições?

    • R&G Feet
  • terça ,22 de dezembro de 2020, às 15:12h

    Neste ano que está terminando, o Governo do Estado do Piauí tinha R$ 2,74 bilhões para investir em Educação. Para 2021, o valor despencou. Caiu para R$ 1,81 bilhão. Sim, Wellington Dias (PT) está cortando quase UM BILHÃO de reais da Educação e, ao mesmo tempo, aumentando gastos com propaganda e funcionários fantasmas no Karnak.

    Educação não é prioridade para o governador Wellington Dias, que deixou que fossem desviados dezenas de milhões de reais do transporte escolar durante a gestão de sua esposa Rejane Dias na SEDUC (foto: Jailson Soares | PoliticaDInamica.com)

    Dois pontos para observar: a campanha de 2022 já começou e criança não vota. Quem teve educação o suficiente, se observar a gestão de Wellington de perto, vota contra.

    Por conta do primeiro ponto e para evitar o segundo, o governador riscou do orçamento quase metade do orçamento da educação, exatamente num ano que deveria ser de retomada. Que outro motivo explicaria a queda de 44% no orçamento que financia o futuro do Piauí?

    Não que o corte seja uma surpresa vindo de uma gestão que deixou serem desviados R$ 200 milhões de reais do transporte escolar, coisa investigada pela Operação Topique. O que impressiona é o governador Wellington Dias achar que esse rombo é um detalhe que ninguém iria perceber.

    Veja em vermelho as principais perdas de orçamento e em azul para onde foram esses recursos (imagem: LOA 2020 e Loa 2021 | PoliticaDInamica.com)

    A segurança no silêncio sobre o assunto, claro, vem de outro investimento que cresce: o orçamento da propaganda oficial, que subiu 11,27%, sob o comando do jornalista Allisson Bacelar. As licitações de comunicação do Governo do Estado acontecem no início do ano e já é possível apontar pelo menos uma dezena de empresas vencedoras dentre agências de publicidade, comunicação visual, redes sociais e gráficas.

    A Governadoria, que paga as contas do governador e banca os funcionários fantasmas do Palácio de Karnak, vai crescer 31,73%. Já para frear a fiscalização de sua gestão e driblar a necessidade de transparência, o Ministério Público e o Tribunal de Contas do Estado terão incremento de apenas 3,50%, valor que não corrige nem a inflação deste ano. Ou seja, na prática, vão encolher. A Controladoria Geral vai perder R$ 2,5 milhões de seu orçamento.

    Wellington Dias mostra com o Orçamento Geral de 2021 que silêncio e campanha são duas coisas caras. Mas para ele -- eleito governador do Piauí 4 vezes em primeiro turno -- deve valer a pena.

    Veja nosso comentário completo na TV Dinâmica!



    • R&G Feet
  • segunda ,21 de dezembro de 2020, às 18:12h

    Há duas semanas o presidente da OAB-PI foi convidado pelo prefeito eleito de Teresina para uma reunião. Na conversa, Dr. Pessoa (MDB) quis saber mais detalhes sobre o trabalho da Procuradoria do Município e pediu uma indicação para o cargo. Celso Barros indicou o amigo Aurélio Lobão, nome que foi confirmado pela futura gestão nesta segunda-feira (21).

    Indicação de Alano Dourado era o maior obstáculo para Celso emplacar seu amigo na PGM (imagem: Facebook | Jailson Soares | PoliticaDInamica.com)

    Mas segundo informação de fonte na equipe do futuro prefeito de Teresina, Celso fez mais do que indicar Aurélio e “queimou” a indicação que poderia sair de outro lugar. O presidente da OAB-PI teria aconselhado Pessoa a evitar sugestões do advogado Alano Dourado, que coordenou o braço jurídico da campanha do prefeito eleito.

    Inclusive, Celso Barros teria apontado a Dr. Pessoa que, do ponto de vista legal, ter Alano Dourado como advogado era questão arriscada. "Muito pra frente" teria sido um dos termos utilizados por Celso ao recomendar cuidado de Pessoa com Alano. E o prefeito eleito parece ter escutado com atenção. 

    Segundo a fonte, Celso teria revelado a Pessoa que Alano é técnico da Fazenda Estadual concursado, e essa atividade, de acordo com o Estatuto da Advocacia, seria impeditiva e incompatível com o exercício da advocacia.

    O conflito de interesses e o constrangimento decorrente da indicação política de um nome para compor o primeiro escalão da gestão de Dr. Pessoa já havia sido registrado pelo Política Dinâmica (clique aqui).

    Com menos ênfase, Celso teria comentado que uma indicação de Alano poderia ser encarada como mais um espaço do presidente da ALEPI, deputado Themístocles Filho, que garantiu a presença de Alano na campanha; Themístocles indicou três secretarias (SDU Sudeste, SDR e Meio Ambiente) (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    ALANO NEGA PROBLEMA E CONFLITO

    O advogado Alano Dourado afirmou ao PD que exerce a advocacia sem qualquer restrição e que todas as ações eleitorais de Dr. Pessoa em 2020 têm procuração em seu nome. E que os fatos narrados nesta matéria “não precedem de jeito nenhum”. Afirmou ainda que ele e o prefeito eleito Dr. Pessoa possuem um excelente relacionamento e fez elogios ao nome escolhido pelo futuro prefeito.

    “Aurélio é um nome excelente e gente do bem”, afirmou.

    De fato, Alano parece ter ótima relação com Dr. Pessoa; nesta foto postada em seu perfil do Instagram ainda em 2019, todas as pessoas ou vão ocupar o primeiro escalão ou indicaram um nome de primeiro escalão, menos Alano; terá sido Celso Barros o motivo?

    Após conversar com Alano, o PD checou novamente a história, com fonte diferente. E a mesma história da primeira fonte foi contada. “É guerra de bastidor. Você tem que ponderar. Publicamente, Alano não pode ir contra Celso, pois aí o presidente ‘joga’ a OAB em cima da cabeça dele”, alegou.

    Em seguida, Alano enviou um nota, que segue abaixo, na íntegra:

    "A informação repassada certamente não procede e é lamentável. Fui convidado ainda em 2019 para fazer a coordenação jurídica do Dr. Pessoa e de lá para cá pude perceber que Teresina escolheu um ótimo nome para Prefeito e que está acertando muito na escolha do secretariado.

    Nunca disputei nenhum cargo na gestão do Dr. Pessoa, apenas fui nomeado para equipe de transição e me dediquei aos trabalhos que deveriam ser realizados. Conheço o Presidente Celso Neto há 15 anos, quando foi um grande professor na UFPI, tendo sempre mantido sua postura de cidadão. Fiquei feliz com a indicação do Professor Aurélio Lobão para PGM, que Dr. Pessoa fez, pela experiência jurídica e capacidade de trabalho.

    A equipe que Dr. Pessoa está montando certamente irá tornar Teresina uma cidade cada vez melhor. Polêmicas fantasiosas motivadas por interesses obtusos não fazem bem para Teresina, nem para a OAB. Minha confiança é irrestrita no Prefeito Eleito, Dr. Pessoa, Presidente Celso Neto, Dr. Aurélio Lobão e em toda a equipe escolhida."

    O QUE DIZ CELSO?

    Celso, Helder Jacobina, Aurélio Lobão e Einstein Sepulveda: grupo do presidente da OAB-PI conseguiu emplacar PGM na gestão de Dr. Pessoa (foto: Instagram)

    O Política Dinâmica não conseguiu contato com o presidente da OAB-PI para comentar o caso, mas não obteve êxito até a publicação desta notícia. O espaço está aberto para manifestação dos citados.

    • R&G Feet
  • sexta ,18 de dezembro de 2020, às 13:12h

    Os deputados federais Rejane Dias e Merlong Solano, ambos do PT, são os piores parlamentares do Piauí segundo avaliação do Ranking dos Políticos. Foram avaliados os 10 deputados federais e os três senadores do estado. 


    Os petistas estão na rabeira da bancada federal do Piauí (foto: JailSon Soareas | PoliticaDinamica.com)

    VEJA O RESULTADO AQUI!!!

    A esposa de Wellington Dias recebeu a menor pontuação de acordo com os critérios estabelecidos e avaliados pelo site. Para calcular a nota de cada parlamentar, o Ranking dos Políticos dá notas de acordo com informações obtidas em fontes oficiais como os sites da Câmara, do Senado e dos Tribunais de Justiça.

    A pior dentre todos: Rejane foi a mais mal avaliada entre os piauienses, imaginem quando for o nome dela numa denúncia da Operação Topique (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    São observados três principais comportamentos dos parlamentares: combater privilégios (votando a favor de matérias que busquem esse objetivo), evitar desperdício (não faltando ao trabalho e economizando verba de gabinete) e postura anticorrupção (quem responde a processos judiciais perde pontos).

    AS NOTAS

    A nota de Rejane este ano foi 2,00 pontos, uma queda em relação ao ano passado, quando ela obteve 2,48. Merlong Solano ainda ficou melhor posicionado que a primeira-dama do Piauí, com 2,24 pontos. Detalhe: Merlong assumiu o cargo apenas no mês de julho deste ano, em decorrência da morte do deputado federal Assis Carvalho, também do PT. A melhor pontuação do Piauí é do senador Marcelo Castro (MDB), que obteve 7,36 pontos, ficando na 93ª posição nacional

    Merlong chegou à Camara em julho e já teve um desempenho melhor que o de Rejane Dias, embora não seja uma meta tão difícil de alcançar (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    Do ponto de vista nacional, Rejane teve um péssimo desempenho dentre os 592 parlamentares avaliados, ficando na 536ª posição. Merlong ficou 4 degraus acima, na 532ª posição.

    Os piores parlamentares do Congresso Nacional em 2020 foram a deputada federal Flordelis (PSD, com zero ponto, acusada de mandar matar o marido), o senador Renan Calheiros (MDB, 0,07 ponto,  respondendo a 8 processos na Justiça) e o senador Ney Suassuna (Republicanos, com 0,44 ponto, investigado pelos crimes de organização criminosa, corrupção e lavagem de dinheiro no âmbito de contratos de afretamentos de navios da Petrobras).

    Pelo menos Rejane e Merlong foram melhores que estes aí.

    • R&G Feet


voltar para 'Política Dinâmica'