Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
TCE AUTORIZA FORNECEDOR A COBRAR PAGAMENTO MILIONÁRIO DE REJANE DIAS

COMPRA MILIONÁRIA DE LIVROS FOI FEITA POR ALANO DOURADO EM 2014, MAS A ATUAL SECRETÁRIA REJANE DIAS É QUEM PODERÁ PAGAR A CONTA

24/08/2017 12:40 - Atualizado em 24/08/2017 15:08

Rejane pode arcar com dívida milionária (Foto: Gustavo Almeida/PoliticaDinamica.com)

O Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE) decidiu nesta quinta-feira (24), após voto-vista do conselheiro substituto Alisson Felipe de Araújo, que o empresário que forneceu livros em uma compra milionária da Secretaria Estadual de Educação em 2014 pode cobrar o pagamento à atual secretária Rejane Dias (PT). Naquele ano, a Seduc comprou de forma direta, sem licitação, o valor de R$ 6 milhões em livros sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O secretário era Alano Dourado, na gestão do ex-governador Zé Filho.

A polêmica compra foi bastante questionada e investigada devido às fortes suspeitas de superfaturamento, falta de desconto unitário mesmo com a grande quantidade de exemplares adquiridos [100 mil] e irregularidades no processo de dispensa de licitação, o que não permitiu concorrência. Apesar disso, o empresário forneceu os livros e ainda deu uma caução no valor de R$ 300 mil como garantia para o Estado, mas o TCE determinou que o pagamento do material deveria ser suspenso, o que deixou o fornecedor no prejuízo após ter feito a entrega de todos os exemplares para a Seduc.

Compra polêmica foi feita por Alano Dourado (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

A defesa do empresário alegou que o TCE não poderia patrocinar um calote do governo estadual e justificou que, se houve irregularidade no processo administrativo que disciplinou a compra dos livros, os gestores é que deveriam ser penalizados e não quem vendeu o material. “Tenho certeza que esta Corte não vai patrocinar um calote da administração pública. Que seja punido o poder público e não a unidade produtiva. É um comerciante que forneceu os livros, apresentou caução de R$ 300 mil e na hora de receber foi obstado”, sustentou o advogado do fornecedor durante a sessão.

Ele chegou a falar em "empobrecimento ilícito" do comerciante e "enriquecimento ilícito do governo do Estado", pois os livros foram entregues e o governo ainda reteve o dinheiro dado ao Estado como garantia. A indignação maior foi porque o TCE já havia decidido pela aprovação das contas de 2014 da Seduc, concluído que não ficou comprovado o superfaturamento e nem a ausência de desconto por unidade, mas mantido a proibição do pagamento ao fornecedor. 

Conselheiro Alisson Araújo diz que fornecedor já pode fazer a cobrança da dívida à atual secretária de Educação Rejane Dias (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

O conselheiro Alisson Araújo avaliou como pertinentes os argumentos da defesa e em voto-vista proferido concluiu pela retirada da proibição. Com isso, o fornecedor dos livros poderá cobrar da atual secretária de Educação Rejane Dias o pagamento milionário da polêmica compra feita por Alano Dourado em 2014.

“A defesa acertadamente fez a colocação dela dizendo que não é responsável por instaurar procedimento administrativo. Ele foi selecionado no procedimento, entregou a mercadoria e ainda pagou R$ 300 mil de caução. Eu pedi vista exatamente para verificar isso aí. O pagamento agora pode ser feito. Antes havia uma vedação ao pagamento. Com meu voto ele vai poder requerer à administração e se ela entender devido, vai pagar”, falou Alisson Araújo.

Comente!

ANTERIOR

JOAQUIM DO ARROZ CULPA GOVERNO BOLSONARO PELA ALTA DO ARROZ

PRÓXIMA

"DEUS ESTÁ CONOSCO", DIZ VICE AO TOMAR POSSE COMO PREFEITO EM ITAUEIRA