Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
REAÇÃO
PV VAI À CAÇA DOS INFIÉIS

DEPUTADA ESTADUAL ELEITA TERESA BRITTO AVISA QUE PARTIDO MOVERÁ AÇÕES E DESTITUIRÁ DIRIGENTES QUE NÃO VOTARAM NOS CANDIDATOS DA SIGLA

25/10/2018 15:04 - Atualizado em 25/10/2018 15:31

Deputada eleita condena infidelidade no PV (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

A deputada estadual eleita e presidente regional do PV, Teresa Britto, disse nesta quinta-feira (25) que o partido passará por uma reestruturação e uma das medidas será ir à caça dos infiéis que não seguiram a sigla na eleição. Segundo ela, o PV faz um monitoramento das lideranças que votaram em candidatos de outros partidos. Antes de ingressar com ações de infidelidade, o comando da sigla será tomado dos infiéis nos municípios.

"A primeira coisa é que eles não terão mais a direção do partido. O primeiro caminho será esse. Isso já é prego batido e ponta virada. A segunda fase é a equipe de assessores jurídicos que vai fazer todo um estudo para entrar com processo de expulsão por infidelidade partidária contra todos eles. Aqueles que não votaram nos candidatos do partido serão os alvos", disse lembrando que o estatuto do partido prevê a fidelidade dos seus membros.

Teresa conta que alguns políticos do PV fizeram campanha abertamente para candidatos de outras siglas partidárias e que tudo está explícito nas redes sociais de alguns deles.

Um dos exemplos é o vereador Chico Chagas, da cidade de Prata do Piauí. Mesmo sendo do PV, ele apoiou e fez campanha para Fábio Abreu (PR) e Zé Santana (MDB), deputado federal e estadual eleitos, respectivamente. Chico esteve nesta quinta-feira (25) visitando a Câmara Municipal de Teresina e ouviu da própria vereadora que ele será um dos alvos das ações.

Em visita à Câmara de Teresina, vereador ouviu da própria Teresa Britto que será alvo de ação por ter sido infiel (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

Após ouvir da própria vereadora, Chico Chagas falou com o Política Dinâmica e comentou o caso. "Eu tenho que respeitar a decisão do partido. Eu sou um dos que pregam a fidelidade partidária. Isso é fato. Agora, a minha decisão de não votar para deputados estadual junto com o partido foi por questões particulares, pessoais e não contra a presidente [Teresa Britto]. Foi uma decisão por conveniência política da minha cidade", explicou.

Chico Chagas votou também no governador Wellington Dias (PT) e disse que respeita a atitude do PV de acionar a Justiça. "Primeiro, eu preciso ser informado oficialmente por parte da direção estadual do partido e posteriormente vou tomar minhas decisões. A vereadora disse que vai acionar todos os infiéis e só aí vamos tomar as devidas providências. Eu tenho partidos que me querem, porque quem tem mandato sempre existem partidos que querem. Então eu não tenho dúvida que outros tantos partidos vão me querer", pontuou.

Comentários (603)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
Notícias relacionadas
NÃO SERIA BOM!
ELMANO NÃO QUER RENAN CALHEIROS
ELMANO NÃO QUER RENAN CALHEIROS
VEREADORES
CASAL NO PARLAMENTO
CASAL NO PARLAMENTO
CRÍTICA
FÁBIO SÉRVIO CHAMA WELLINGTON DE “CARA DE PAU”
FÁBIO SÉRVIO CHAMA WELLINGTON DE “CARA DE PAU”
OPINIÃO
QUANDO A CONTRADIÇÃO ENFRAQUECE A RENOVAÇÃO
QUANDO A CONTRADIÇÃO ENFRAQUECE A RENOVAÇÃO