Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
OPERAÇÃO TOPIQUE E A CHARGE DE 2018

CHARGE PUBLICADA EM 2018 PELO POLÍTICA DINÂMICA JÁ ANTECIPAVA QUE A OPERAÇÃO TOPIQUE BATERIA ÀS PORTAS DE WELLINGTON DIAS E REJANE

27/07/2020 08:21 - Atualizado em 27/07/2020 08:37

Em agosto de 2018, PD já previa ida da PF à casa de Wellington e Rejane (Charge: Jônatas)

O Política Dinâmica faz intensa cobertura da Operação Topique desde 2018, quando foi deflagrada a primeira fase. Embora o governador Wellington Dias (PT) sempre diga que o Estado não é investigado e que a PF investiga apenas empresas, a gente sabe que não é bem assim.

A Operação Topique investiga um dos maiores esquemas de corrupção da história do Piauí instalado na gestão do petista, mais precisamente na Secretaria de Estado da Educação, pasta comandada pela deputada federal e primeira-dama Rejane Dias (PT) de 2015 a abril de 2018.

Ela deixou a pasta, mas colocou lá pessoas da sua mais estrita confiança. Agora, na terceira fase da operação deflagrada nesta segunda-feira (27), a PF diz que o Governo do Piauí continuou mantendo contratos com empresas investigadas mesmo em 2019 e 2020, já depois das duas primeiras fases da operação.

Hoje, a casa do governador Wellington Dias e da primeira-dama Rejane Dias no condomínio Mirante do Lago, em Teresina, foram alvos de buscas da Polícia Federal. O gabinete de Rejane na Câmara Federal, em Brasília, também foi visitado pelos agentes da PF.

A charge publicada no dia 15 de agosto de 2018 pelo Política Dinâmica sobre a Operação Topique e o casal governamental do Piauí nunca esteve tão atual.

ANTERIOR

REJANE DIAS TESTA POSITIVO PARA COVID-19

PRÓXIMA

OPOSIÇÃO NA CRÍTICA E NA PRÁTICA