Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
ESQUENTANDO ORELHAS

ELEIÇÃO PARA PRESIDÊNCIA DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO PIAUÍ AQUECE TEMPERATURA DO AMBIENTE POLÍTICO E MOTIVA CONVERSAS RESERVADAS

10/01/2019 14:09 - Atualizado em 10/01/2019 14:24

Trio teve conversa reservada na APPM (Foto: Gustavo Almeida/PoliticaDinamica.com)

Assis Carvalho, presidente do PT no Piauí; Francisco Limma, petista e líder do governo na Alepi, e Hélio Isaías (Progressistas), candidato a presidente da Alepi. Os três passaram alguns minutos conversando ao pé do ouvido nesta quinta-feira (10) após chegarem à APPM para a posse do novo presidente da entidade, o prefeito de Água Branca, Jonas Moura (PSD).

Assis é um dos principais defensores do nome de Hélio na disputa com Themístocles Filho (MDB) pelo comando da Alepi. Ele garante que o PT vai votar unido em Hélio, inclusive a deputada Flora Izabel, que já gravou vídeo apontando para apoio a Themístocles. Poucos são tão empolgados com a candidatura de Hélio quanto o petista, que não abre mão de trabalhar e caçar briga para interromper a hegemonia de Themístocles na Alepi.

Logo após os trio se dispersar, o Política Dinâmica abordou Hélio Isaías. O deputado garante que vai até o fim na disputa e disse que tem apoio, inclusive, de deputados do MDB. Diz que não revela seus seguidores para não expô-los e, numa clara alfinetada em Themístocles, afirmou que não precisa que nenhum deputado grave vídeo dizendo que vota nele.

"Sem dúvida [tenho voto no MDB]. Estou conversando com todos os partidos. Não quero colocar nome de nenhum colega, nem de expor nome de ninguém. Tenho conversando inclusive com alas do MDB e temos discutido a possibilidade desse apoio. Tem avançado positivamente. A Assembleia está com esse sentimento muito forte de mudança", falou.

Assis gesticula como se tivesse fazendo contas (Foto: Gustavo Almeida/PoliticaDinamica)

AMIGO É PARA ESSAS COISAS
Sobre a falta de apoio público do governador Wellington Dias (PT), Hélio fala que não vai colocar o petista numa situação indesejada, mas fez questão de avisar que é amigo de infância dele, que sempre votou nele e nunca se afastou dele em nenhum momento.

"O governador é um amigo meu de infância. Votei no Wellington desde 2002 quando ele foi candidato a governador a primeira vez. Nunca me afastei dele. Em nenhum momento quero colocá-lo em situação indesejada. Sou amigo e amigo é para essas coisas", frisou.

Comentários (1088)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem: