Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
CAMPANHA
SEM HOSTILIDADE, JOÃO HENRIQUE!

EX-MINISTRO RETIROU PRÉ-CANDIDATURA AO GOVERNO DO PIAUÍ, MAS COLEGAS DE PARTIDO PEDEM QUE ELE NÃO HOSTILIZE ALIANÇA COM O PT

19/03/2018 12:50 - Atualizado em 19/03/2018 13:00

João Henrique promete respeitar colegas (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

O ex-ministro João Henrique Sousa comunicou oficialmente ao Diretório Regional do MDB no Piauí nesta segunda-feira (19) a sua desistência em disputar o governo do estado. No entanto, os colegas de partido fizeram um pedido a ele. Os emedebistas querem que João Henrique não hostilize a campanha de reeleição do governador Wellington Dias (PT).

"Eu não vou participar da campanha, mas posso garantir o seguinte: não participando, eu também não vou hostilizar uma campanha que tenha a participação de um companheiro de partido. Eu disse aqui pessoalmente ao Themístocles, pelo apreço que tenho por ele. Ouvi aqui também a manifestação do nosso presidente Marcelo Castro que disse que o mínimo que todos querem é que eu não hostilize. Aonde o MDB estiver de forma legal, democrática e através de convenção, eu não serei aquela pessoa que vai hostilizar", disse.

João Henrique Sousa foi convidado pelo presidente Michel Temer para coordenar nacionalmente a sua campanha de reeleição dele, ideia que ganha força a cada dia. Com isso, o MDB fica livre para apoiar a reeleição do governador Wellington Dias. João disse que não vai participar da campanha petista no Piauí, mas promete respeitar.

Comentários (0)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
Notícias relacionadas
ROUBO NA MERENDA
PF VAI APURAR EMPENHOS EMITIDOS ATÉ 2018
PF VAI APURAR EMPENHOS EMITIDOS ATÉ 2018
ALIADO
HENRIQUE PIRES SAI EM DEFESA DE TEMER
HENRIQUE PIRES SAI EM DEFESA DE TEMER
PRISÃO
PARA REGINA, HÁ PROVAS CONTRA TEMER; CONTRA LULA, NÃO
PARA REGINA, HÁ PROVAS CONTRA TEMER; CONTRA LULA, NÃO
OPERAÇÃO
BOCA LIVRE: PF PEDIU PRISÕES, MAS JUSTIÇA NEGOU
BOCA LIVRE: PF PEDIU PRISÕES, MAS JUSTIÇA NEGOU