Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
RESPOSTA
DEFENSORIA PÚBLICA DESMENTE DANIEL OLIVEIRA

SECRETÁRIO NÃO GOSTOU DE AÇÃO CIVIL QUE PEDE INTERDIÇÃO DE PENITENCIÁRIA E CRITICOU A DPE-PI; ÓRGÃO DIZ QUE ELE IGNOROU OFÍCIOS

08/02/2018 12:48 - Atualizado em 08/02/2018 13:35

DPE diz que Daniel fez pouco caso de pedidos (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica)

A Defensoria Pública do Estado do Piauí não gostou nem um pouco da postura adotada pela Secretaria de Justiça (Sejus) com relação a uma ação civil ajuizada por defensores públicos. Incomodado com a ação que pede a interdição parcial da Penitenciária Feminina de Teresina, o secretário Daniel Oliveira alegou que nunca foi chamado para uma reunião antes que o pedido de interdição fosse feito. A DPE-PI, no entanto, desmente a versão do secretário.

Por meio de uma nota assinada pela defensora-geral Hildete Evangelista e pelo presidente da Associação Piauiense de Defensores Públicos, João Batista Viana, a DPE garante que se reportou a Sejus diversas vezes através de ofícios, mas Daniel Oliveira nunca apresentou resposta. Todas as informações sobre a precariedade das instalações e até denúncias de maus-tratos foram repassadas. Pelos menos três ofícios foram remetidos à Sejus somente em janeiro deste ano relatando a situação e cobrando medidas cabíveis para apurar os fatos.

Um trecho da nota divulgada nesta quinta-feira (7) deixa claro que Daniel fez pouco caso dos pedidos feitos pelos defensores públicos. “A DPE lamenta que na maioria das reuniões provocadas para que fosse discutida a situação do sistema prisional, o gestor da Secretaria de Estado da Justiça estivesse ausente, assim como a maior parte do que foi acordado com seus emissários não tenha sido cumprida como esperado”.

Hildete Evangelista reagiu à postura da Sejus (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

A Defensoria lembra que muitas das solicitações feitas à Secretaria de Justiça que não foram cumpridas embasam o pedido de interdição parcial da Penitenciária Feminina. A DPE ressalta que a preocupação do órgão com relação às detentas da unidade prisional não existe apenas na atual gestão do petista Daniel Oliveira.

ENTENDA O CASO
Defensores públicos do Piauí ajuizaram ação civil denunciando precariedades na Penitenciária Feminina e pedindo a interdição parcial da unidade prisional. O secretário de Justiça Daniel Oliveira emitiu nota alegando que os defensores assinaram a ação sem que tivessem procurado resolver a situação de forma administrativa e insinuou que houve desrespeito e falta de cooperação institucional por parte da Defensoria Pública do Estado.

Daniel ainda criticou a postura dos defensores dizendo que a imprensa não é palco adequado para solução de problemas e jogou todas as tratativas sobre o caso para serem resolvidas pela Procuradoria-Geral do Estado (PGE), uma vez que a ação fora ajuizada.

Sobre essa crítica de Daniel, a DPE também lamentou e disse que atua com o objetivo de garantir o cumprimento da lei dentro de um sistema prisional que seja mais humanizado e adequado para os seus verdadeiros fins que, lembra o órgão, não deve ser apenas o de punir, mas de desenvolver políticas públicas de ressocialização.

Comentários (0)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
Notícias relacionadas
PD NO DIÁRIO DO POVO
APOIO NÃO GARANTE ELEIÇÃ0
APOIO NÃO GARANTE ELEIÇÃ0
MOVIMENTO
MAIS MULHERES
MAIS MULHERES
VISITA
CIRO NOGUEIRA NA CÂMARA MUNICIPAL
CIRO NOGUEIRA NA CÂMARA MUNICIPAL
INDIRETA
NOVO LÍDER DO MDB MANDA INDIRETA PARA CIRO
NOVO LÍDER DO MDB MANDA INDIRETA PARA CIRO