Selo

00:00
Coluna Lídia Brito
  • 17 de agosto 2017

    quarta, 16 de agosto de 2017, às 13:36h

    Vereadores deram mais atenção à primeira-dama do que ao prefeito (Foto:JailsonSoares/PoliticaDinamica.com)

    Só foi o prefeito Firmino Filho (PSDB) confirmar convite para que a primeira-dama, Lucy Silveira (PP), dispute uma vaga de deputada federal, para que ela se torne o centro das atenções na política de Teresina. Durante a sessão solene em comemoração aos 165 anos da capital, os vereadores transformaram a esposa do prefeito na estrela da festa.

    Vereadoras tietaram a primeira-dama (Foto:JailsonSoares/PoliticaDinamica.com)

    Desde o momento em que entrou na sala da presidência da Câmara, Lucy foi cercada de todos os lados pelos vereadores da base do prefeito Firmino. A sessão de fotos foi longa. Todos queriam chegar perto da primeira-dama e postar nas redes sociais uma foto com ela.

    Vereadora Teresa Britto entrou de mãos dadas com primeira-dama no plenário (Foto:JailsonSoares/PoliticaDinamica.com)

    A tietagem foi tamanha que o prefeito Firmino chegou a ficar de escanteio. Com tantos vereadores pensando em disputar uma vaga na Assembleia Legislativa no próximo ano, parece que já tem alguns sonhando com uma dobradinha com Lucy Silveira.

    A mais empolgada era a vereadora Teresa Britto (PV). Ela esteve o tempo todo ao lado da primeira-dama. Entrou de mãos dadas com ela no plenário, sentou ao lado de Lucy e tirou todas as fotos possíveis ao lado da esposa de Firmino. Tamanho carinho não passou despercebido e virou assunto entre os jornalistas presentes e os demais vereadores. 

    • Aniversário de 165 anos de Teresina
    • 4a. Corrida UNINOVAFAPI - Zero86 - 19 de novembro de 2017
    • Full banner
  • quarta, 16 de agosto de 2017, às 13:19h

    Firmino criticou decisão da Câmara de negar título a Dória (Foto:JailsonSoares/PoliticaDinamica.com)

    A rejeição da Câmara de Vereadores de Teresina à proposta de concessão de título de cidadania ao prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), tem repercutido na base do prefeito Firmino Filho (PSDB). Durante as comemorações do aniversário da capital, Firmino falou do assunto e criticou a decisão da Casa.

    Apesar de afirmar que a Câmara é autônoma para tomar a decisão que quiser, Firmino diz que o gesto foi “deselegante e injusto”. A crítica repercutiu principalmente entre os vereadores da base que votaram contra Dória. É o caso da líder do prefeito Graça Amorim (PMB), do peemedebista Luiz Lobão e Dr. Lázaro (PPS).

    “A Câmara é autônoma. Entendemos que o prefeito Dória tem colocado a prefeitura de São Paulo de portas abertas para a Prefeitura de Teresina. Tivemos com ele e vários dos seus secretários. Firmamos parcerias em várias áreas, projetos em relação a PPPs. Ele tem sido aberto e solidário em relação a nossa administração. E exatamente por isso que entendo que foi cometida uma injustiça em relação ao dória. Não merecia esse ato deselegante e injusto”, afirmou.

    Na Câmara, prefeito criticou decisão dos vereadores (Foto:JailsonSoares/PoliticaDinamica.com)

    Firmino afirma que o gesto da Câmara foi contra a imagem de cidade acolhedora que Teresina possui. “O Dória não merecia uma indelicadeza dessas. Foi um gesto deselegante, principalmente, porque a nossa população é acolhedora. Nossa cidade é sempre simpática com quem vem de fora. Não faz parte do nosso espírito esse tipo de atitude. Foi um gesto deselegante com um parceiro que é solidário. Injustiça desnecessária”, declarou.

    Dos 26 vereadores que votaram, 18 foram favoráveis à concessão do título ao prefeito paulistano e oito votaram contra. Para ser aprovado, era preciso pelo menos 20 votos a favor da proposta, total que atingiria os 2/3 da Casa. Os vereadores Ítalo Barros (PTC) e Joaquim do Arroz (PRP) estavam ausentes da sessão.

    Na oposição foram contrários ao projeto os vereadores Caio Bucar (PSD), Cida Santiago (PHS), Deolindo Moura (PT), Dudu (PT) e Enzo Samuel (PC do B). A proposta do título foi apresentada pelo vereador Luís André (PSL) que não conseguiu o apoio necessário dos colegas. 

    • Aniversário de 165 anos de Teresina
    • 4a. Corrida UNINOVAFAPI - Zero86 - 19 de novembro de 2017
    • Full banner
  • quarta, 16 de agosto de 2017, às 08:32h

    Governador Wellington Dias cola no senador Ciro Nogueira (Foto:JailsonSoares/PoliticaDinamica.com)

    O presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira, tem feito um trabalho contínuo de adesão de prefeitos no interior do Piauí. Nas contas do progressista, o número de gestores municipais que o apoiam vai muito além dos 40 prefeitos eleitos pelo PP. Ciro diz ter aliados em várias siglas, até mesmo em partidos da oposição.

    A quantidade de prefeitos ao lado de Ciro Nogueira tem feito dele uma peça fundamental nos planos de reeleição do governador Wellington Dias (PT). O petista precisa do apoio dos gestores municipais para garantir os votos necessários no próximo ano.

    Ciro tem reaberto as portas para Wellington em regiões, como o litoral, onde o petista perdeu forças após a derrota do ex-prefeito de Parnaíba, Florentino Neto (PT), para o atual prefeito Mão Santa (SD). No final de semana, o progressista reuniu prefeitos da região Norte e pediu apoio para 2018.

    Wellington reconhece a importância da parceria com o senador e o Partido Progressista. O petista destaca o papel realizado pelo presidente do PP como membro da bancada do Piauí em Brasília. Hoje o PP comanda ministérios importantes como a Saúde.

    O governador destacou o trabalho feito pelo aliado para conseguir recursos para as prefeituras. “Ciro tem um entendimento com o Ministério da Saúde porque há uma necessidade muito grande dos municípios quanto à saúde. Tem conseguido recursos para ambulâncias e equipamentos para Unidades Básicas de Saúde. É muito importante esse trabalho que ele realiza junto com a nossa bancada federal. Nossa relação com Ciro e o PP é a melhor possível”, disse. 

    • Aniversário de 165 anos de Teresina
    • 4a. Corrida UNINOVAFAPI - Zero86 - 19 de novembro de 2017
    • Full banner
  • terça, 15 de agosto de 2017, às 12:53h

    Vereadores tiveram dificuldades de entender o funcionamento do telão eletrônico (Foto:JailsonSoares/PoliticaDinamica.com)

    As sessões da Câmara de Vereadores de Teresina passaram a ser transmitidas ao vivo a partir desta terça-feira (15). Outra novidade foi o uso do telão eletrônico nas votações. Como ocorre no Senado Federal, os votos dos vereadores e as presenças passaram a ser computados diretamente no telão.

    Alguns vereadores tiveram dificuldades de usar a tecnologia no primeiro dia. A sessão se estendeu além do previsto devido as dificuldades de alguns de entender como fazia para se votar os projetos.

    Antes de votar, o vereador passa pelo reconhecimento da digital. Parlamentares como Teresa Britto (PV) tiveram dificuldades com esse reconhecimento e a sessão ficou paralisada por alguns minutos.

    Passada a apreensão das primeiras votações, parece que os vereadores começam a entender como funciona o painel eletrônico da Casa. A expectativa é que as próximas sessões sejam mais rápidas.  

    • Aniversário de 165 anos de Teresina
    • 4a. Corrida UNINOVAFAPI - Zero86 - 19 de novembro de 2017
    • Full banner
  • terça, 15 de agosto de 2017, às 12:22h

    Vereadora Graça Amorim saiu em defesa do irmão Hélio Isaías (Foto:JailsonSoares/PoliticaDinamica.com)

    A vereadora Graça Amorim (PMB) reagiu às críticas da vereadora Teresa Britto (PV) às ações contra a seca no semiárido, realizadas pelo Governo do Estado. Irmã do secretário de Defesa Civil, Hélio Isaías (PP), Graça afirma que a parlamentar do PV tem esquecido de destacar o trabalho realizado e foca apenas nos municípios onde os problemas se devem a questões climáticas.

    Graça afirma que o governo tem agido para amenizar os transtornos causados à população com a construção de adutoras, poços, cisternas e levando água por meio carro-pipa. “A vereadora Teresa Britto levantou a questão do Governo do Estado e bate como se não existissem ações que são realizadas. Eu sei principalmente porque o deputado e secretário de Defesa Civil, Hélio Isaías (PP), é meu irmão. Vou fazer a defesa não por ser meu irmão, mas pelas ações, empenho e trabalho feito pela secretaria. Ela citou um ou dois municípios em que tem interesse político, mas deixa de citar adutora de Pedro II, Queimada Nova, Lagoa do Barro, Alegrete, dentre outros municípios. Essas adutoras melhoram a qualidade de vida da população”, afirmou.

    A vereadora Teresa Britto (PV) acusa o governo de deixar a população de alguns municípios sofrer com a falta de água para beber. Ela afirma que em muitos lugares os animais já estão morrendo.

    Graça afirma que nem o governador Wellington Dias (PT) nem o secretário Hélio Isaías podem fazer chover. Segundo ela, as ações que dependem do empenho do Governo do Estado estão sendo realizadas.

    “Em alguns lugares tem água de superfície e em outros de subsolo. São seis anos de problemas de chuva no Piauí. Nem o governador e nem o deputado vão poder resolver a falta de chuva. Se algum vereador souber como faz para chover me avise que eu irei passar a fórmula para o Hélio Isaías. Tem gente que fala como se fosse possível fazer chover com um passe de mágica”, declarou. 

    • Aniversário de 165 anos de Teresina
    • 4a. Corrida UNINOVAFAPI - Zero86 - 19 de novembro de 2017
    • Full banner
  • terça, 15 de agosto de 2017, às 08:29h

    Gil é ligado politicamente à secretária Rejane Dias, atualmente licenciada da Câmara dos Deputados (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O presidente da Associação Piauiense de Municípios (APPM), Gil Carlos (PT), deve ser candidato a deputado estadual no próximo ano. Em entrevista, ele falou que a decisão irá depender de uma conversa com as bases eleitorais, com o governador Wellington Dias e com a primeira-dama e secretária de Educação, Rejane Dias (PT).

    “Analiso essa possibilidade e vemos com alegria e entusiasmo nosso nome sendo lembrado. Isso mostra que fazemos um trabalho que traz repercussão e tem contribuído, portanto, para o fortalecimento da boa política no estado. Nosso foco é São João do Piauí e a APPM e vamos continuar trabalhando. Imprimindo nosso ritmo de trabalho e buscando resultados positivos. No tempo certo, se realmente houver o entendimento, nós podermos decidir por uma candidatura ou não a uma vaga na Assembleia Legislativa”, afirmou.

    Politicamente, Gil Carlos é ligado à secretária Rejane Dias. Para ser candidato, ele precisará buscar espaço dentro do PT. As discussões na base aliada já se tornaram públicas. Aliados de diferentes partidos disputam colégios eleitorais. Petistas pré-candidatos como o secretário de Administração Franzé Silva são acusados de usarem a máquina pública para conseguir apoio de prefeitos.

    “Essas questões não nos preocupam. Se fizermos um bom trabalho e mostrar serviço essas questões serão menores. O que importa é trabalhar”, destacou. 

    • Aniversário de 165 anos de Teresina
    • 4a. Corrida UNINOVAFAPI - Zero86 - 19 de novembro de 2017
    • Full banner
  • terça, 15 de agosto de 2017, às 08:11h

    Ex-ministro João Henrique Sousa quer convenção para decidir futuro do PMDB (Foto:JailsonSoares/PoliticaDinamica.com)

    O ex-ministro João Henrique Sousa (PMDB) venceu a luta de braço pela realização de convenção antecipada no PMDB. A executiva do partido decidiu realizar o evento em janeiro. O PMDB irá decidir entre lançar candidatura própria ou lançar o presidente da Assembleia Legislativa do Estado, Themístocles Filho (PMDB), como vice na chapa que será encabeçada pelo governador Wellington Dias (PT).

    O presidente estadual da sigla, deputado federal Marcelo Castro, não aceitou a inclusão de seu nome para candidatura ao Senado. A realização da convenção dividiu o partido. Setores ligados ao deputado Themístocles rejeitam a possibilidade de candidatura própria.

    Aliado do presidente Michel Temer (PMDB), João Henrique Sousa quer ser o candidato do partido. Ele acredita que terá uma candidatura competitiva com o apoio de Brasília, mesmo sabendo que Temer não seria um bom cabo eleitoral já que a rejeição ao nome do peemedebista passa de 90%.

    João Henrique afirma que o PMDB não é bem atendido pelo governo petista. Ele fala da rejeição e do tratamento dado por alguns setores do PT. Atualmente o partido comanda algumas secretarias na administração de Wellington Dias.

    “Os prefeitos do PMDB foram esquecidos por essa gestão. As bases do PMDB são mal atendidas e não têm retorno do governo estadual. O PT esgotou tudo que poderia oferecer para o Piauí. Se não fez em mais de 13 anos não poderá fazer em mais quatro. O PMDB precisa apresentar essa solução para o estado”, afirmou. 

    • Aniversário de 165 anos de Teresina
    • 4a. Corrida UNINOVAFAPI - Zero86 - 19 de novembro de 2017
    • Full banner
  • segunda, 14 de agosto de 2017, às 12:23h

    A vice-governador Margarete Coelho (PP) fez duras críticas ao Distritão. A Câmara Federal discute a aprovação de uma reforma política em que é grande a possibilidade desse modelo ser adotado na eleição de 2018.

    Margarete é contra a implantação do Distritão no país (Foto:JailsonSoares/PoliticaDinamica.com)

    Para Margarete Coelho, a aprovação do Distritão representa um recuo na democracia do país e diz que esse é “o pior sistema do mundo”. Com o Distritão, serão eleitos os candidatos que tiverem o maior número de votos. Os críticos afirmam que isso acaba com a possibilidade das minorias chegarem a ter representantes nos parlamentos estaduais e municipais.

    Margarete destaca as reações contrárias ao sistema como de cientistas políticos, advogados e de alguns políticos. “A reação de setores como cientistas políticos, advogados, políticos foi muito forte e deu uma esfriada nas discussões. Se tivesse sido votada na semana passada já estaríamos no Distritão. Este é o pior sistema do mundo. Não tenho receio em dizer isso. Tanto é que não é adotado em nenhuma democracia estabelecida. Dois ou três pequenos países, democracias bem recentes, usam esse modelo. Só as democracias bem tardias é que utilizam”, afirmou.

    Para a vice-governadora, o Distritão beneficia candidatos populares, mas sem debate ideológico. “A principal vantagem é que é fácil de entender. Quem teve mais voto ganhou a eleição. Vão ser eleitos aqueles candidatos que fizeram o maior capital político ou social. São pessoas que fizeram fama em outras carreiras, por exemplo, que não na política. Pessoas sem embate ideológico como principal forma de angariar votos. Isso enfraquece a democracia. Artistas, jogadores de futebol e líderes religiosos, pessoas que tem outra forma de captar fama e se tornarem conhecidos que não o debate ideológico”, destacou.

    Outra mudança que será implementada com o Distritão será o fim do suplente. “O sistema majoritário não possui suplentes e isso é uma mudança bastante recente do código eleitoral. Ele não admite posse de segundo, terceiro ou quarto colocados. No caso de vacância do cargo vamos ter que realizar novas eleições. Vai ser um sistema capenga. Terá que ser dado um jeito”, disse.

    O enfraquecimento da fidelidade partidária é outro ponto que recebe críticas dos setores contrários ao Distritão. “A fidelidade partidária é outra que vai ser prejudicada. O próprio Supremo fez questão de impor a fidelidade. Entretanto, para cargo majoritário não se exige isso. É o sistema que só traz desvantagens e não possibilitava que pequenos partidos e minorias consigam espaço. Não tem como aplicar cotas no sistema majoritário. As mulheres devem ficar de fora”, avalia. 

    • Aniversário de 165 anos de Teresina
    • 4a. Corrida UNINOVAFAPI - Zero86 - 19 de novembro de 2017
    • Full banner
  • segunda, 14 de agosto de 2017, às 11:27h

    Deputado Heráclito Fortes critica aumento de impostos (Foto:JailsonSoares/PoliticaDinamica.com)

    O deputado federal Heráclito Fortes (PSB/PI) criticou a possibilidade de aumento de impostos e disse que é contra qualquer medida anunciada pela equipe econômica do governo neste sentido. Heráclito Fortes, que é aliado político e amigo pessoal do Presidente Temer, foi categórico ao dizer que a população brasileira não aguenta mais medidas como essa como alternativa para que o governo cumpra a meta fiscal.

    “Sou amigo do presidente, mas em questões como essa, sou contra e repudio veementemente o aumento de impostos em qualquer circunstância. É preciso ouvir a voz rouca das ruas”, disse o deputado, citando Ulysses Guimarães.

    A possibilidade de aumento de impostos surgiu nesta semana quando a equipe econômica do governo admitiu trabalhar com um pacote de aumento de impostos. Entre as propostas, estaria a criação de uma alíquota de 30% ou 35% de Imposto de Renda para pessoas físicas. A repercussão negativa no meio político e empresarial fez o governo recuar na decisão. Mesmo assim, a equipe econômica confirmou que analisa um pacote de aumento de impostos para reforçar o caixa em 2018 e não descartou outras medidas nesse sentido.

    • Aniversário de 165 anos de Teresina
    • 4a. Corrida UNINOVAFAPI - Zero86 - 19 de novembro de 2017
    • Full banner
  • segunda, 14 de agosto de 2017, às 11:15h

    O governador Wellington Dias (PT) literalmente parou o trânsito na avenida Frei Serafim, para inaugurar a terceira pista da Ponte Juscelino Kubitschek, mais conhecida como Ponte do Meio, que liga a avenida Frei Serafim a João XXIII. O evento foi prestigiado por vários políticos e tumultuou o trânsito no sentido Centro/Leste.

    Governador entregou a obra cercado por uma comitiva de políticos (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Acompanhado do prefeito Firmino Filho (PSDB) e do senador Ciro Nogueira (PP), enfim o governador entregou a obra que teve início ainda na administração de Wilson Martins (PSB). Passados quase quatro anos de obra, a ponte foi entregue sem uma solução para o problema do corredor exclusivo para os ônibus.

    A obra está bem adianta no lado da avenida João XXIII, mas tem encontrado vários problemas na avenida Frei Serafim. O principal tem sido achar uma forma de não destruir o canteiro central que abriga árvores e serve de descanso para os pedestres.

    O prefeito Firmino Filho afirma que a questão tem sido uma dor de cabeça. “Estamos batendo cabeça para encontrar uma solução. A ponte faz parte de um corredor exclusivo de ônibus. Nós já estamos trabalhando na avenida João XXIII. Os abrigos estão em andamento e o corredor está perto de ser concluído do lado de lá. Já na Frei Serafim existe essa discussão. Temos que preservar a beleza do local e criar condições de qualidade para o usuário de transporte coletivo. Quando andamos na avenida vemos esse canteiro bonito, mas nas laterais a população fica apertada nas paradas de ônibus sem conforto. É preciso fazer na Frei Serafim o que já fazemos nas outras avenidas como forma de preservar a qualidade do ambiente”, disse.

    Inauguração da obra reuniu um grande número de políticos (Foto:JailsonSoares/PoliticaDinamica.com)

    O governador Wellington Dias (PT) destacou a importância da parceria administrativa com a prefeitura. “Teresina é uma cidade planejada, mas tem necessidades de uma conexão maior com a ocupação de várias regiões da cidade. Hoje é uma cidade bastante espalhada e temos trabalhado em parceria com o município para darmos solução para os desafios. Nossa preocupação é garantir respostas para problemas como saneamento, saúde e mobilidade urbana. Queremos com essa integração um maior conforto para quem vive em Teresina e que a cidade possa ser moderna e com qualidade de vida. Destaco o trabalho com os nosso parlamentares. Há uma maturidade para alcançarmos essas melhoras”, disse.

    As obras da reestruturação da ponte custaram R$ 31.686.491,73. A secretaria de Transportes informa que foram incluídos no orçamento a construção da ponte do Meio, dos acessos, reforma da ponte JK e implantação do passeio central. Já a construção das duas praças sob a ponte JK está orçada em R$ 1.696.978,11, com recursos do Governo do Estado, por meio da Setrans.

    • Aniversário de 165 anos de Teresina
    • 4a. Corrida UNINOVAFAPI - Zero86 - 19 de novembro de 2017
    • Full banner
  • segunda, 14 de agosto de 2017, às 10:27h

    O prefeito Firmino Filho (PSDB) esteve ao lado do governador Wellington Dias (PT) durante a solenidade de inauguração da terceira pista da ponte Juscelino Kubitschek, que liga a avenida Frei Serafim a João XXIII. O tucano falou da parceria com o petista e não descartou a possibilidade da união administrativa render frutos na eleição de 2018.

    A primeira-dama de Teresina, Lucy Silveira (PP), irá concorrer a uma vaga na Câmara Federal. Como ela está filiada ao PP, partido aliado a Wellington, ela terá o petista como candidato a governador. Assim, o apoio de Firmino a Wellington será indireto e terá Lucy como peça principal.

    “Temos recebido o apoio do governador Wellington Dias (PT) na realização dessas obras que são importantes. Falamos de obras como a extensão da avenida Barão de Castelo Branco, a segunda ponte Wall Ferraz, que já foi entregue e temos outras obras que precisam ser entregues. A ponte JK e o viaduto da Miguel Rosa. Temos o Rodoanel e a duplicação das Br’s. Essa parceria teve início lá atrás e damos continuidade. Sobre apoio político digo que é pouco provável, mas em política não tem nada impossível”, afirmou.

    O presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira, tem sido um elo de ligação entre Firmino e Wellington. O PP faz parte tanto da administração do tucano como da do petista. Ele foi o responsável pela filiação de Lucy ao PP aproximando cada vez mais o prefeito e o governador. "O senador Ciro é uma aliado importante. Tem ajudado muito a prefeitura de Teresina. Ele já está conosco há muito tempo e tem sempre fortalecido essa parceria", afirmou Firmino. 

    CRISE ECONÔMICA 

    Sobre a crise econômica que o país enfrenta, Firmino Filho destaca a necessidade de parcerias com instituições financeiras para se conseguir recursos. “Importante que se busque projetos e fontes de financiamento com os bancos nacionais e internacionais e com o próprio Governo Federal. Só com essa articulação poderemos ter fontes adicionais de recursos, fora dos recursos próprios para financiar obras importantes para nossa mobilidade. 

    MOBILIDADE 

    Firmino Filho destacou a importância da obra para melhor o fluxo de veículos na avenida Frei Serafim. “A importância dessa obra é muito grande por ser o principal corredor de ônibus de Teresina entre a zona Leste e Centro. A Frei Serafim recebe um 1/3 das linhas de ônibus de Teresina. O transporte individual tem na Frei Serafim o principal ponto de chegada no Centro de Teresina. Essa ponte é fundamental para quem vai para o Centro”, destacou.

    • Aniversário de 165 anos de Teresina
    • 4a. Corrida UNINOVAFAPI - Zero86 - 19 de novembro de 2017
    • Full banner
  • sexta, 11 de agosto de 2017, às 10:10h

    Marcelo Castro escapou de punição do PMDB (Foto:JailsonSoares/PoliticaDinamica.com)

    O deputado federal Marcelo Castro escapou de punição do PMDB. Nesta sexta-feira (11), a direção nacional do partido anunciou que irá suspender, por 60 dias, as funções políticas dos parlamentares que votaram contra o presidente Michel Temer (PMDB).

    Seis peemedebistas estão na lista de punição. O piauiense Marcelo Castro se safou do castigo ao decidir não votar no processo que pediu investigação sobre denúncia de corrupção contra Temer. A posição do deputado foi criticada. Ele foi acusado de ter se acovardado.

    Marcelo estava entre a cruz e a espada. Se votasse contra Temer seria punido pelo PMDB. Se votasse a favor do presidente teria que enfrentar a ira dos aliados petistas no Piauí. O nome do deputado é visto com bons olhos pelo PT como possível candidato ao Senado na chapa que será encabeçada pelo governador Wellington Dias (PT).

    O Conselho de Ética do PMDB irá analisar as punições que serão aplicadas aos infiéis. Ao final do processo, o deputado poderá sofrer desde uma advertência até a expulsão do partido. É o caso de nomes como Celso Pansera (PMDB-RJ), Laura Carneiro (PMDB-RJ), Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), Sergio Zveiter (PMDB-RJ), Veneziano Vital do Rêgo (PMDB-PB) e Vitor Valim (PMDB-CE).

    Esperto foi Marcelo Castro que ajudou Temer com a abstenção sem poder ser acusado de traição pelos petistas. No final, ele ficou bem dos dois lados. 

    • Aniversário de 165 anos de Teresina
    • 4a. Corrida UNINOVAFAPI - Zero86 - 19 de novembro de 2017
    • Full banner
  • sexta, 11 de agosto de 2017, às 09:35h

    A população de Pedro II ficou irritada com a gafe cometida pelos administradores das redes sociais do deputado federal Átila Lira (PSB). Seguindo a tradição entre os parlamentares do Piauí de parabenizar todas os municípios aniversariantes do estado, a assessoria do deputado fez uma confusão e prestou uma homenagem aos 163 anos da cidade de Pedro II chamando a “Cidade da Opala” de Campo Maior.

    O erro passou despercebido por mais de duas horas pela assessoria do parlamentar e os internautas não perdoaram. A imagem começou a circular pelas redes sociais e foi motivo para muitas piadas e reclamações por parte dos habitantes da “Suíça Piauiense”, que se sentiram ofendidos.

    A cidade de Pedro II comemora 163 anos no dia 11 de agosto. Já a cidade de Campo Maior fez 253 anos no dia 8 de agosto. Depois de algumas horas o erro foi corrigido e o município de Pedro II foi devidamente homenageado. 

    • Aniversário de 165 anos de Teresina
    • 4a. Corrida UNINOVAFAPI - Zero86 - 19 de novembro de 2017
    • Full banner
  • sexta, 11 de agosto de 2017, às 08:37h

    Wilson Martins continua na presidência do PSB do Piauí (Foto:JailsonSoares/]PoliticaDinamica.com)

    O ex-governador Wilson Martins (PSB) será reconduzido à presidência do PSB do Piauí. O partido irá realizar evento no dia 21, em Teresina, e por meio de uma chapa de consenso Wilson comandará o partido durante o processo eleitoral de 2018.

    O PSB deve lançar o ex-governador como candidato a uma das duas vagas de Senado na chapa de oposição. Ele tem percorrido o interior do estado realizando seminários com críticas ferrenhas ao governador Wellington Dias (PT). 

    No Piauí, Wilson segue a orientação do diretório nacional do partido de romper com o governo do presidente Michel Temer (PMDB). Ele tem feito críticas ao governo do peemedebista e chegou a apoiar o prosseguimento  das denúncias contra Temer. 

    • Aniversário de 165 anos de Teresina
    • 4a. Corrida UNINOVAFAPI - Zero86 - 19 de novembro de 2017
    • Full banner
  • quinta, 10 de agosto de 2017, às 13:18h

    Venâncio critica mudança no sistema eleitoral do país (Foto:JailsonSoares/PoliticaDinamica.com)

    O vereador Venâncio (PP) se manifestou contrário à proposta de reforma política, que prega a implantação do sistema eleitoral Distritão para 2018. Na avaliação do parlamentar, esse novo modelo acaba com a possibilidade das minorias conseguirem competir com candidato de estrutura mais consolidada.

    Segundo ele, o Distritão ajuda apenas os candidatos que já possuem mandato parlamentar. “O Distritão dificulta muito a possibilidade de pessoas sem mandato chegarem a ser eleitas. Na minha opinião, a melhor forma seria o fim das coligações e o voto proporcional ser mantido, ou seja, o partido que tivesse a competência de juntar o maior número de candidatos montassem uma estratégia eleitoral ou o coeficiente eleitoral deveria ter a própria proporcionalidade pelo fim das coligações”, declarou.

    Venâncio afirma que os candidatos e partidos terão dificuldades de se adaptarem a mudança. “Da forma como está acontecendo vai beneficiar apenas as pessoas com mandato de deputado. Sou contrário ao Distritão. A tendência que observamos é que vai passar, mas precisamos nos adequar a essa nova forma de política eleitoral já para o próximo ano. O Distritão prejudica as minorias e quem vem oriundo dos movimentos sociais”, avalia.

    • Aniversário de 165 anos de Teresina
    • 4a. Corrida UNINOVAFAPI - Zero86 - 19 de novembro de 2017
    • Full banner


voltar para 'Política Dinâmica'