Selo

00:00
Coluna Gustavo Almeida
  • 26 de junho 2017

    sexta, 23 de junho de 2017, às 13:07h

    Deputado petista durante evento na Polícia Militar (Foto: Divulgação/Assessoria)

    O deputado estadual Henrique Rebêlo (PT) participou na manhã desta sexta-feira (23) da solenidade alusiva ao aniversário de 182 anos da Polícia Militar do Piauí, realizado no Quartel do Comando-Geral da corporação em Teresina. O ato contou com a presença do governador Wellington Dias e diversas autoridades do meio político.

    Rebêlo tem feito reiteradas críticas aos índices de violência no Piauí e cobrado uma posição mais firme do governo estadual para conter o avanço dos crimes. Mesmo sendo aliado ao governador, o parlamentar vem mostrando seu incômodo com a escalada da violência que assusta a população. Ele defende um plano  eficaz para enfrentar a criminalidade.

    Henrique tem cobrado ações contra a violência (Foto: Divulgação/Assessoria)

    GOVERNADOR RECONHECE
    Ao sair da solenidade, o próprio governador Wellington falou sobre o problema. Ele reconheceu que o índice de homicídios no Piauí é elevado e por isso são necessárias medidas para reduzi-lo. Atualmente, o Estado registra 18 assassinatos para cada 100 mil habitantes.

    “Ainda é elevado? É. Mas eu quero voltar pelo menos para o patamar onde estivemos lá atrás. Queremos chegar a 8 ou 9 homicídios para cada grupo de 100 mil que é um patamar muito bom para a realidade brasileira”, falou o governador.

    • Full banner
  • sexta, 23 de junho de 2017, às 12:26h

    Ex-vice-prefeito não foi plantar sua muda (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O prefeito Firmino Filho (PSDB) e quase todos os vereadores de Teresina participaram na manhã desta sexta-feira (23) do plantio de árvores no Parque Floresta Fóssil. O local onde as dezenas de mudas foram plantadas ganhou a denominação de “Bosque dos Vereadores”.

    Havia uma muda para cada parlamentar, uma para o prefeito, outras para alguns secretários municipais e políticos, todas elas com a plaquinha indicando seu dono. Ao final do plantio festivo, uma muda ficou desprezada. Sequer foi plantada. O dono dela era Ronney Lustosa.

    Atualmente no DEM, Ronney se afastou de Firmino, de quem era vice-prefeito, antes das eleições de 2016. Fora da chapa, ele se candidatou a vereador e acabou derrotado nas urnas. A “muda Ronney Lustosa” desprezada no plantio parece ser um retrato da relação entre eles.

    EX-VICE-PREFEITO SE MANIFESTA
    O ex-vereador e ex-vice-prefeito Ronney Lustosa se manifestou após a publicação. Ele, que assumiu recentemente a presidência do Democratas-PI, esclareceu que infelizmente não pôde comparecer ao evento realizado na Floresta Fóssil porque está residindo em Brasília. 

    Ronney explicou que o convite chegou à residência dele apenas na manhã desta sexta-feira (23), ficando impossibilitado de enviar um representante. O ex-vice-prefeito ainda ressaltou que a relação dele com o prefeito Firmino continua como sempre foi, amigável e de mútuo respeito.

    [A publicação foi atualizada com a resposta de Ronney às 15h12]

    • Full banner
  • sexta, 23 de junho de 2017, às 11:52h

    Wellington espera que situação seja revertida (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O governador Wellington Dias (PT) comentou nesta sexta-feira (23) a decisão do Tribunal de Justiça do Piauí que suspendeu o contrato entre o governo do Estado e a empresa Brasil Frutt para a administração da Central de Abastecimento do Piauí (Ceapi). A decisão foi deferida pelo desembargador Haroldo Hehem suspende o processo de licitação da chamada “Nova Ceasa” após ação movida pela empresa paulista Ten Engenharia.

    “Eu tenho confiança de que acertamos e trabalhamos com toda a legalidade. Do que eu já pude tratar com a nossa Procuradoria, foi compreendido como uma falha de licitação com base na Lei de Licitações, só que esse é um processo que não é com base na Lei de Licitações e sim na Lei das Concessões, das parcerias público-privadas”, falou o governador.

    Wellington disse que o governo do Estado vai apresentar todos os seus argumentos e confia que o Poder Judiciário perceba que tudo ocorreu de forma legal.

    “Foi suspenso provisoriamente apenas para receber informações. Vamos encaminhar essas informações ao Judiciário e estou confiante que vamos ter a autorização para realizar o contrato. É um investimento importante que já tinha começado”, finalizou.

    A Tem Engenharia contestou itens do edital. As contestações haviam sido negadas pela Comissão de Licitação e por isso a empresa recorreu ao Tribunal de Justiça.

    • Full banner
  • sexta, 23 de junho de 2017, às 11:12h

    Volta de Átila ao PSDB é quase certa (Fotos: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB), falou nesta sexta-feira (23) sobre o quase certo retorno de Átila Lira (PSB) ao ninho tucano. O deputado federal deve esperar apenas a abertura da janela partidária ou uma possível expulsão para deixar seu atual partido, que vive um racha a nível nacional desde a morte de Eduardo Campos. 

    Átila sofre um processo interno no PSB por ter votado a favor da reforma trabalhista. Ele desobedeceu a orientação da direção nacional que rompeu com o governo do presidente Michel Temer (PMDB) e orientou os parlamentares a votarem contra a proposta.

    “Para nós será uma grande alegria ver o retorno do Átila ao partido. Nós temos no deputado Átila um grande aliado e defensor das causas da prefeitura, especialmente da área da educação. Na semana passada, por exemplo, nós estivemos com o presidente do FNDE lutando por duas emendas de bancada, tanto para a construção de 25 creches municipais como para 10 escolas de tempo integral. Ele tem uma identidade muito grande em relação a esse trabalho na educação”, disse.

    Átila já pertenceu ao PSDB, mas deixou a sigla no início de 2007 para se filiar ao PSB. 

    • Full banner
  • quinta, 22 de junho de 2017, às 12:24h

    Parlamentar do PSL quer virar destaque (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O vereador Luís André (PSL) anda pensando grande na Câmara Municipal de Teresina. O objetivo do parlamentar é ser reconhecido em toda a capital piauiense como “o vereador da educação”. Segundo ele, as ações para conseguir essa proeza já estão em andamento e ainda devem se intensificar cada vez mais.

    Luís André diz que irá se reunir em Brasília com o ministro da Educação Mendonça Filho (DEM). O encontro também deverá ter a presença do deputado federal Átila Lira (PSB), com quem o vereador mantém estreita relação política. Ele quer, inclusive, que Átila destine R$ 1 milhão de emenda para ajudar a administração do prefeito Firmino Filho.

    O vereador explica que está estudando tudo sobre educação e conhecendo cada uma das mais de 300 escolas municipais da capital. “Vou visitar todas as escolas de Teresina. Já visitei umas 50 e até julho de 2018 quero ter visitado todas”, explicou o parlamentar dizendo que vai destinar 1/3 das suas emendas para a Educação.

    Ele ainda criticou a oposição na Câmara Municipal que “bate” no prefeito Firmino, mas não ajuda na educação do município com a destinação de emendas. Conforme o vereador, é preciso criticar e colaborar com as áreas que precisam de investimento.

    • Full banner
  • quinta, 22 de junho de 2017, às 11:31h

    Parlamentar está no primeiro mandato (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O vereador Ítalo Barros (PTC) promete voltar do recesso parlamentar com uma atuação diferente da que vem desempenhando até agora na Câmara Municipal. O “novato” afirma que os primeiros seis meses de mandato foram mais para adquirir experiência e entender o ritmo do Parlamento. No entanto, depois da folga a coisa deverá ser diferente.

    Ítalo ressalta que nesses primeiros meses não se omitiu às discussões e sempre expôs suas opiniões, mas assegura que haverá uma atuação mais forte de agora em diante. O vereador promete apresentar entre 20 e 30 projetos que “necessitam de grande esforço do poder público municipal” e avisa que nem todos irão agradar o Palácio da Cidade.

    Mesmo sendo da base aliada ao prefeito Firmino Filho (PSDB), Ítalo lembra que foi eleito na oposição. O partido dele compôs a coligação que apoiou Amadeu Campos em 2016. O “arsenal” de projetos prometido pelo vereador já está sendo preparado e minuciosamente elaborado. Segundo Ítalo, as proposições visam o bem da população e da cidade.

    • Full banner
  • quarta, 21 de junho de 2017, às 13:23h

    A cidade de Dom Inocêncio, no sertão do PI (Foto: Gustavo Almeida/PoliticaDinamica.com)

    A deflagração da Operação Pastor, cujo alvo principal são desvios milionários de recursos públicos em Dom Inocêncio, a 615 km de Teresina, pegou toda uma população de surpresa. O município de aproximadamente 10 mil habitantes se espantou com a notícia de que um ex-gestor e parte de seus ex-secretários municipais foram presos pela Polícia Federal.

    A presença de viaturas da PF na prefeitura e em residências deixou boquiaberto um povo acostumado com a calmaria. A luta das instituições de controle e da Justiça contra a corrupção tem sido cada vez maior no país, operações são constantes, mas, mesmo assim, é impossível não deixar chocada uma gente simples e pacata quando isso acontece diante de seus olhos.

    Encravado no meio do semiárido, Dom Inocêncio possui deficiências e necessidades que atingem a maioria dos municípios brasileiros. Até a água, uma das mais básicas necessidades do ser humano, é escassa na região. Mesmo com tantas dificuldades e carências, vem à tona um rombo milionário que impediu a construção de cisternas, creche, sistema de abastecimento, escolas e serviços de saúde.

    O choque em ver conhecidos sendo levados pela polícia é natural, mas também é natural [e necessário], que a Justiça e o combate à corrupção sejam feitos para o bem de todo um povo. Uma gente simples e trabalhadora não pode ser penalizada com o desvio de cifras milionárias que escorrem pelo ralo da corrupção, destrói esperanças e mata sonhos.

    Que a Justiça seja feita, que os acusados tenham seus direitos de defesa expressamente respeitados e que sejam devidamente julgados. Esta quarta-feira (21) não é um dia para ser comemorado por nenhum filho de Dom Inocêncio, mas deve ser lembrada como uma data histórica. O dia em que a Justiça, em prol de uma coletividade, mostrou que nem mesmo no mais isolado rincão se admite reinar a corrupção.

    • Full banner
  • terça, 20 de junho de 2017, às 21:18h

    Lira dedicou mais de 60 anos de luta ao povo do semiárido piauiense (Foto: Glória Nunes)

    Neste mês de junho de 2017 completa 10 anos que o padre Manuel Lira Parente, o Padre Lira, deixou a prefeitura de Dom Inocêncio, no semiárido piauiense. Prestes a completar 88 anos, ele renunciava sem concluir o mandato devido ao agravamento do seu estado de saúde. Lira viria a ficar internado em estado grave durante vários dias no Hospital São Marcos, em Teresina.

    Apesar de ter se recuperado e voltado à ativa após a internação, ele não mais retornou ao cargo de prefeito, assumido pelo seu então vice-prefeito Inocêncio Leal Parente, filho reconhecido pelo sacerdote. Aquele seria o último mandato político ocupado por Padre Lira, que foi prefeito de São Raimundo Nonato de 1955 a 1958 e de Dom Inocêncio por três mandatos. O sacerdote também foi suplente de senador de Freitas Neto.

    Padre Lira foi uma das lideranças políticas de maior destaque no interior do Piauí, apesar de grande parte da sua obra e de suas ações terem sido protagonizadas pela Fundação Ruralista, entidade social criada pelo religioso no final dos anos 1950. A Fundação ganhou destaque nacional e internacional nas ações de amparo ao povo do semiárido, notadamente na região onde hoje fica Dom Inocêncio, município por ele fundado em 1988.

    "A educação reúne o povo", disse Pe. Lira à revista Nova Escola em 1989 (Foto: Reprodução)

    Administrador arrojado, ríspido e centralizador, Lira conseguiu chamar a atenção da imprensa nacional para as ações pioneiras desenvolvidas no sertão piauiense. A atuação da Fundação se deu nas mais variadas frentes, com grande destaque para a educação, a abertura de estradas, construção pioneira de cisternas com captação de água da chuva, assistência à saúde, geração de emprego e renda e a construção de aguadas.

    Em 1972, a escritora inglesa Peggie Benton visitou a Fundação e escreveu um livro contando a saga do padre na caatinga do Piauí. “Um Homem contra a Seca” foi lançado na Inglaterra e espalhou para fora do país a fama do sacerdote. O lançamento em Londres ganhou matéria de página inteira no Jornal do Brasil, o maior do país à época. A reportagem do correspondente do jornal mostrava a admiração dos ingleses com a luta do padre.

    Mais tarde, Peggie Benton seria homenageada com seu nome na primeira maternidade rural do Piauí, construída pelo Padre Lira na Fundação Ruralista. A unidade viria a reduzir quase a zero os exorbitantes índices de mortalidade infantil na região. Naquela época, de cada mil bebês nascidos vivos na região, 128 morriam antes de completar um ano de vida. A maternidade também servia como “posto de saúde” para os moradores da área.

    Religioso com alunos em escola municipal na cidade de Dom Inocêncio (Foto: Glória Nunes)

    Padre Lira morreu em setembro de 2015, aos 96 anos, após mais seis décadas dedicadas ao semiárido piauiense. Ele está sepultado na Igreja Matriz de São Raimundo Nonato. Atualmente, a Fundação Ruralista vem tentando retomar parte das suas atividades sob a administração de Inocêncio Leal Parente e de dona Maria da Conceição Leal, que foi braço direito de Padre Lira desde os anos 1960.

    • Full banner
  • terça, 20 de junho de 2017, às 13:25h

    Vereadora não gostou de ver projeto vetado (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    A vereadora Cida Santiago (PHS) disse que a Câmara Municipal ainda não recebeu oficialmente a informação do veto do prefeito Firmino Filho (PSDB) ao projeto de autoria dela que institui pratos e talheres adaptados para cegos em bares e restaurantes da capital. Mesmo assim, criticou a atitude de vetar a proposta que havia sido aprovada na Casa.

    “A gente acredita que esse poder [legislativo] tem autonomia, assim como teve para aprovar em primeira e em segunda votação. As comissões também votaram favoravelmente à tramitação deste projeto. Então não dá para se entender a razão deste veto nesse sentido”, criticou.

    Segundo Cida Santiago, a proposta não obriga nenhum deficiente visual a usar os pratos e talheres adaptados. Conforme a vereadora, só deve usar os objetos especiais aqueles que quisessem. 

    “Ele pode comer em qualquer tipo de talher ou prato. O obrigatoriedade é apenas para os estabelecimentos disponibilizarem [os objetos adaptados]. Eu acredito que está havendo um grande mal-entendido por parte de algumas pessoas isoladamente”, rebateu.

    PROJETO POLÊMICO
    O Projeto de Lei da vereadora foi criticado até mesmo por alguns representantes de entidades ligadas à defesa dos deficientes visuais. Eles afirmam que o projeto defende uma medida, mas, na verdade, acaba gerando discriminação, podendo causar constrangimentos às pessoas cegas.

    A promotora Janaína Aguiar, coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Defesa da Pessoa com Deficiência e do Idoso do Ministério Público Estadual, também criticou a ideia. Ela enviou ofício pedindo ao prefeito para vetar a proposta sob alegação de que a ideia causa mais constrangimentos do que benefícios.

    • Full banner
  • terça, 20 de junho de 2017, às 12:41h

    Ele não seguiu orientação da líder do prefeito (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O vereador Luiz Lobão (PMDB) foi um dos quatro parlamentares que votaram nesta terça-feira (20) a favor de um requerimento de autoria do vereador Dudu (PT) que pedia a reanálise de vários contratos da Secretaria Municipal de Saúde. O pedido, no entanto, foi reprovado pela base aliada do prefeito Firmino Filho, sob orientação da líder Graça Amorim (PMB).

    Questionado sobre porque não seguiu a orientação da liderança do prefeito, Lobão disse que votou a favor por entender que não se deve obstruir a vontade de um parlamentar de querer informações sobre contratos. Segundo ele, o voto favorável ao requerimento da oposição não causa nenhum atrito com a prefeitura e que não é preciso blindar o secretário Silvio Mendes.

    “A minha opinião é que deveria mostrar esses contratos, pois acho que não tem nada a ser escondido. Na minha ótica a gestão do prefeito Firmino Filho é transparente e não vejo porque blindar aqui. Foi dito em audiência pública pelo próprio secretário que alguns contratos precisam ser revistos, então não tem problema nenhum revê-los”, falou.

    Maioria se levantou para rejeitar requerimento (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica)

    O vereador também foi questionado, então, se percebe que a blindagem do secretário Sílvio Mendes por parte da base aliada é excessiva, mas preferiu jogar a responsabilidade para a vereadora Graça Amorim, que orientou a bancada a votar pela derrubada do requerimento apresentado por Dudu. “Essa pergunta você deveria fazer para a líder do prefeito”, disse.

    Na visão do parlamentar, se um vereador quer avaliar os contratos, não existe motivos para a Câmara Municipal rejeitar essa intenção. “Eu votei favorável e votaria novamente favorável. Eu acho que deve ser esclarecido realmente. Estão criando cavalo de batalha numa coisa que não existe. Uma das missões dos vereadores é ter conhecimento de todos os contratos que ocorrem dentro da Secretaria Municipal de Saúde”, falou.

    • Full banner
  • segunda, 19 de junho de 2017, às 21:51h

    Presidente do STF negou pedido do TCE-PI (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)

    A tentativa do Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE) de anular o contrato de subconcessão dos serviços da Agespisa, assinado entre o governo estadual e a Aegea Saneamento, não prosperou no Supremo Tribunal Federal (STF). A ministra Cármen Lúcia, presidente da Corte, decidiu na última sexta-feira (16) pela preservação do contrato.

    Com a decisão liminar desfavorável ao TCE, fica mantida a decisão do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ) proferida pelo desembargador José Ribamar Oliveira, que garantiu a validade do contrato de subconcessão, iniciado no dia 22 de março 2017.

    Em seu despacho, a ministra Cármen Lúcia aponta não ter encontrado elementos suficientes para atender ao pedido de anulação do contrato. Por conta disso, a magistrada indeferiu o pedido, mas solicitou que as partes envolvidas enviem mais informações aos autos.

    Cármen entendeu que validar a decisão do Tribunal de Contas do Estado de reabrir a licitação, ou de repetir etapas já realizadas, diante da burocracia e ausência de prejuízo, geraria mais morosidade ao procedimento e acarretaria em prejuízo para a administração. A liminar, no entanto, está sujeita a reexame e pode ser revista caso sejam enviadas informações demonstrativas de risco não comprovado na atual fase processual.

    Presidente do TCE havia recorrido ao STF (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O PEDIDO DO TCE
    O Tribunal de Contas do Estado do Piauí havia ingressado com a ação no STF contra a decisão do desembargador José Ribamar. Na ocasião, ele barrou a existência simultânea de processos no Tribunal de Contas do Estado e no Poder Judiciário do Piauí que discutem os mesmos fatos sobre a licitação da subconcessão, o que causou visível mal-estar com o TCE. No pedido de liminar, o órgão classifica a decisão de José Ribamar como “nefasta”.

    O presidente do TCE Olavo Rebelo e a maioria dos conselheiros entende que a decisão do TJ-PI atropela a competência institucional do órgão. A liminar pleiteada no STF visava restabelecer o trâmite processual na Corte de Contas, bem como a possibilidade da entidade decidir a respeito da conturbada licitação. Com o indeferimento da liminar, fica mantido o contrato de subconcessão e a regularidade da operação dos serviços concedidos, bem como a suspensão da tramitação processual da matéria no âmbito do TCE/PI.

    • Full banner
  • segunda, 19 de junho de 2017, às 12:20h

    João de Deus quer contestar opositores (Fotos: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Na semana passada o deputado estadual Gustavo Neiva (PSB) reclamou que os requerimentos da oposição aprovados em plenário não são respondidos pelo governo dentro do prazo previsto pela Assembleia. A avaliação foi de que a administração estadual desrespeita o parlamento.

    Na ocasião, a reclamação ganhou apoio de outros deputados, como Rubem Martins (PSB) e Robert Rios (PDT), que também reclamaram da situação. Diante da situação, o líder do governo João de Deus tratou logo de tomar uma atitude.

    Ele já pediu à 1ª Secretaria da Mesa Diretora todos os requerimentos e ofícios enviados aos gestores públicos do Estado desde 2015 com a respectiva informação sobre a resposta que foi dada. A intenção de João de Deus é contestar as críticas dos deputados da oposição. 

    • Full banner
  • segunda, 19 de junho de 2017, às 09:51h

    Deputado petista cobra ação do governo (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Não é de hoje que o deputado estadual Henrique Rebêlo (PT) tem feito críticas à falta de ações do governo estadual para barrar a onda de violência no Piauí. Mesmo sendo da base aliada ao governador Wellington Dias, o parlamentar mostra constante incômodo com a insegurança que afeta os piauienses.

    As críticas de Henrique ecoam na Assembleia e em entrevistas concedidas. “Eu entendo que é necessário um plano de segurança pública para barrar com os excessos que acontecem e que atingem a cada um de nós. Até as instituições religiosas, como outro dia foi arrombada a igreja de São Benedito. A violência está muito próxima da gente”, disse o parlamentar.

    Segundo ele, ninguém pode ficar comodamente sentado em um sofá imaginando que a violência está longe. “Eu acredito que o secretário de Segurança Fábio Abreu esteja elaborando um plano de ação. Porque a sociedade civil organizada cobra isso dele. Um plano de ação e de investimentos para que nós tenhamos mais proteção e segurança”, disse.

    • Full banner
  • segunda, 19 de junho de 2017, às 08:43h

    Senador Dário Berger (PMDB) é o autor do projeto (Foto: Pedro França/Agência Senado)

    A Comissão de Educação, Cultura e Esporte analisa na terça-feira (20) a ideia de antecipar os feriados para as segundas-feiras. De acordo com o Projeto de Lei do Senado 396/2016, que tem esse objetivo, feriados cujas datas caírem entre terça e sexta-feira serão antecipados para as segundas.

    A proposta, do senador Dário Berger (PMDB-SC), não afeta datas simbólicas como 1º de janeiro, 1º de maio, 7 de setembro e 12 de outubro, nem o Natal, o Carnaval, o Corpus Christi e a Sexta-feira Santa. A medida também não valerá para os feriados que caírem aos sábados e domingos.

    O autor do projeto justifica que a opção pela antecipação se deu pelo fato de que o eventual adiamento para as sextas-feiras prejudicaria o comércio aos sábados. Ele também alega que o objetivo é minimizar os danos ao funcionamento das empresas, ao emprego dos trabalhadores e à arrecadação dos governos, causados pelo excessivo número de feriados.

    O parecer do relator Hélio José (PMDB-DF) é favorável à aprovação da proposta, que será votada em caráter terminativo.

    Com informações da Agência Senado

    • Full banner
  • domingo, 18 de junho de 2017, às 15:02h

    Wilson e Mão Santa são opositores de Wellington Dias (Foto: Reprodução/Instagram)

    O ex-governador Wilson Martins (PSB) foi homenageado na noite do sábado (17) na famosa praia da Pedra do Sal, em Parnaíba. E quem prestou a homenagem foi o também ex-governador e atual prefeito da cidade, Mão Santa (SD). 

    Wilson foi agraciado com a Medalha do Mérito Municipal de Parnaíba em um prestigiado evento à beira mar. Na cerimônia, teve discurso dos dois ex-governadores, ambos adversários políticos do atual governador Wellington Dias (PT).

    Ex-governador discursou após homenagem em Parnaíba (Foto: Reprodução/Instagram)

    Entrega da medalha aconteceu na praia da Pedra do Sal (Foto: Reprodução/Instagram)

    • Full banner


voltar para 'Política Dinâmica'